Inóspitos

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Cabo Polonio é uma pequena vila numa praia escondida atrás de oito quilômetros de dunas, sem eletricidade, sem água corrente e sem televisão, localizada na ponta extrema de terra, que se projeta no Oceano Atlântico, a cerca de 65 quilômetros de Punta del Diablo, na costa leste do Uruguai, uma região chamada Departamento de Rocha. No ponto mais externo, ergue-se um imponente farol construído em 1881 com vista sobre três ilhas rochosas (Islas de Torres (que levam o sobrenome do capitão de uma embarcação que naufragou pela primeira vez na região, em 1516), a Isla Rasa e a Isla Encantada), onde uma grande colônia de leões e lobos marinhos vivem. O nome da cidade vem de um galeão espanhol que naufragou na região em 1735.

Cabo Polonio: Uma idílica vila

O ponto mais alto de Cabo Polonio é Cerro Buena Vista, bem como o farol com uma escadaria de 132 degraus e também a única estrutura em toda a aldeia que está conectado à rede elétrica. Nenhuma outra das centenas de casas têm eletricidade ou água corrente, nem mesmo rede de esgoto. Alguns estabelecimentos comerciais e casas têm geradores próprios, painéis solares ou usam a energia eólica para iluminar suas empresas e casas. A água doce é obtido a partir de poços artesianos ou recolhida da chuva.

Cabo Polonio é mantida isolada do resto do país por uma ampla região de dunas de areia. A aldeia está localizada a cerca de oito quilômetros da estrada principal dentro do Parque Nacional do Cabo Polonio, mas não existem estradas que levam a praia. As únicas maneiras de alcançá-la é a pé caminhando pelas dunas móveis, algumas com até trinta metros de altura e por isso devesse ter um bom preparo físico ou na carroceria de um caminhão 4×4, que são os únicos autorizados a entrar no local.

Cabo Polonio: Uma idílica vila

As atrações principais da vila são a praia paradisíaca, a reserva natural de lobos marinhos, as casas típicas e por que não dizer, o estilo de vida dos frequentadores. Cabo Polônio e a costa uruguaia tem a maior população de lobos-marinhos-de-dois-pêlos do mundo, chegando a 200 mil animais.. Estes animais têm feito das duas ilhas ao leste e ao norte da aldeia e na ponta da península a sua casa, tornando-os fáceis de observar do topo do farol. Também é comum ver baleias procurando refúgio nas águas calmas a partir do final de setembro a novembro.

Cabo Polonio: Uma idílica vila

A vila é relativamente calma durante os meses de inverno, de maio a setembro. Durante este período, apenas alguns poucos moradores fixos, amantes da natureza, cientistas pesquisando baleias e focas e pescadores podem ser encontrados. Mas no auge do verão, em janeiro, esta calma vila à beira-mar torna-se um dos lugares mais populares no Uruguai. Devido à sua localização idílica, a vila tornou-se um destino de verão popular entre os hippies e mochileiros da Argentina e do Brasil e muitos comparam o lugar ao do filme “A Praia” onde o ator Leonardo diCaprio interpretava um mochileiro procurando um paraíso escondido na Tailândia.

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Com o aumento do turismo, um crescente número de hospedagens e restaurantes surgiram, mas a maioria dos visitantes preferem alugar casas de moradores. Existe um serviço de celular agora na área, e com ele, chegou também a internet, mas Cabo Polonio ainda permanece fora da distribuição de energia. O único lugar para recarregar a bateria de celulares é nos estabelecimentos comerciais e somente quando o gerador estiver ligado. Na verdade, a falta de energia elétrica é uma das maiores queixas dos moradores fixos. Muitos pescadores também reivindicam eletricidade para a refrigeração de pescados e frutos do mar, bem como, donos de estabelecimentos comerciais que querem dar mais conforto a seus clientes. Mas a verdade é que no dia que chegar a eletricidade, a vila perderá o seu grande charme e atrativo!

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Quando um dono de restaurante teve seu caminhão quebrado no trajeto, indo comprar gasolina para seu gerador, um jornalista do New York Times que visitava a região escreveu em sua coluna no jornal. “Sem gasolina, não teremos bateria para o celular, nenhuma música e nenhum liquidificador para fazer drinks.” Em tais situações, os moradores têm que contar com o vento em seus moinhos eólicos. Mas, para os turistas, Cabo Polonio proporciona uma oportunidade única de escapar da agitação da vida moderna. É um daqueles lugares no mundo que encanta e relaxa a alma.

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Cabo Polonio: Uma idílica vila

Texto publicado originalmente em 08 de abril de 2015

Fontes: 1 2 3

“A vida é o que fazemos dela. As viagens são os viajantes. O que vemos não é o que vemos, senão o que somos”. – Fernando Pessoa

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 1086 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado
Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inóspitos

Me chamo Julio Cesar, e moro no litoral de Santa Catarina. Sou o idealizador do site Magnus Mundi, que tem como objetivo descrever lugares curiosos, estranhos ou inóspitos, bem como lendas, eventos inusitados pelo mundo afora.

Veja mais em Inóspitos

Sentinelas da Bretanha

Magnus Mundi31 de Março de 2018

Happy End, acidentes de aviões com finais felizes

Magnus Mundi31 de Março de 2018

Lítla Dímun, a ilha coberta de nuvens

Magnus Mundi25 de Março de 2018

Patomskiy Cater, o ninho da águia de fogo

Magnus Mundi10 de Março de 2018

As chaminés maciças do lago Abbe

Magnus Mundi4 de Março de 2018

Galápagos: satã chega ao éden

Magnus Mundi9 de Fevereiro de 2018

Puma Yumco, a joia azul que flutua no céu

Magnus Mundi9 de Fevereiro de 2018

Shanay-timpishka, o misterioso rio que ferve na Amazônia

Magnus Mundi7 de Fevereiro de 2018

Queimada Grande, o ninho de cobras

Magnus Mundi25 de Janeiro de 2018