Exóticos

Fly Geyser, o gêiser criado pelo homem

Fly Geyser, o gêiser criado pelo homem

Fly Geyser ou Fly Ranch Geyser é uma atração turística pouco conhecida nos Estados Unidos, até mesmo para os moradores do estado de Nevada. Isso acontece pelo fato dele estar localizado numa propriedade particular a cerca de 32 quilômetros ao norte de Gerlach, no condado de Washoe. Até um tempo atrás, os antigos proprietários do local não facilitavam a entrada e poucos privilegiados tinha acesso ao local.

Na realidade, são dois gêiseres que existem na propriedade. O primeiro foi criado acidentalmente em 1917, quando foi escavado um poço pensando em utilizar a água para irrigar uma parte do deserto e assim, criar terras para a agricultura. Uma vez perfurado, a água quente saiu em ebulição chegando a mais de 100 graus. O poço foi deixado abandonado e com o tempo criou um único cone formado por carbonato de cálcio com aproximadamente quatro metros de altura.

Em 1964, uma empresa de energia geotérmica foi contratada para perfurar um poço de teste próximo ao primeiro. A água jorrou como da primeira vez, mas a temperatura da água não era suficiente quente para os fins comerciais pretendidos e o poço foi selado. No entanto, a cerca de trinta metros ao norte do primeiro, o gêiser entrou em erupção sozinho, roubando a pressão do original, fazendo o mesmo secar.

Este segundo gêiser é conhecido como Fly Geyser e ele tem crescido substancialmente nos últimos cinquenta anos, criando um pequeno monte multicolorido, com vários terraços e piscinas com o depósito de minerais e água geotérmica em pleno deserto, por uma área de 30 hectares. Esse gêiser acabou não sendo de apenas um cone tão alto quanto o primeiro, mas vários deles, com jatos de água que chegam a cuspir água quente e vapor a mais de cinco metros de altura.

O gêiser é coberto com algas termofílicas, que florescem em ambientes úmidos e quentes, resultando em vários tons de verdes e vermelho, criando ao lugar uma aparência extraterrestre. O nome “fly” é referência a um centro de treinamento com aviões que existia nas proximidades em 1930. O Projeto Burning Man comprou a propriedade de 3.800 acres onde se localiza o Fly Geyser, no primeiro semestre de 2016, com a intenção de preservá-lo às gerações futuras.

A formação de gêiseres requer uma hidrogeologia favorável, o que existe apenas em poucos locais na Terra; logo são fenômenos razoavelmente raros. Existem cerca de mil em todo o mundo, e metade destes no Parque Nacional de Yellowstone, nos Estados Unidos, entre os quais um dos mais conhecidos e regulares é o Old Faithful (ou “Velho Fiel”); outros gêiseres se encontram na Nova Zelândia, Rússia, Chile e Islândia.

Fontes: 1 2 3 4

“Aprenda com o ontem, viva para o hoje, acredite no amanhã. O importante é não parar de questionar!”. – Albert Einstein

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 1009 vezes

Deixe seu comentário! Faça nosso trabalho valer a pena!
Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Exóticos

Meu nome é Julio Cesar, e sou de Santa Catarina e idealizador do site Magnus Mundi. O site tem como objetivo informar sobre lugares curiosos, estranhos ou inóspitos e também histórias, lendas, eventos inusitados pelo mundo afora.

Veja mais em Exóticos

A sagrada fumaça! A igreja da cannabis

Magnus Mundi22 de novembro de 2017

Varanasi: Onde a morte é o motivo da vida

Magnus Mundi10 de novembro de 2017

As pedras amaldiçoadas de Ko Hingham

Magnus Mundi24 de outubro de 2017

Grutas Maijishan, as grutas na Rota da Seda

Magnus Mundi18 de setembro de 2017

Kuro tamago, os ovos negros de Õwakudani

Magnus Mundi25 de agosto de 2017

Júzcar, a cidade espanhola dos Smurfs

Magnus Mundi13 de agosto de 2017

La Piedra Del Peñol, um imenso monolito colombiano

Magnus Mundi24 de julho de 2017

Sudd, os impenetráveis pântanos do Sudão do Sul

Magnus Mundi25 de junho de 2017

O cristalino Rio Verzasca entre a Suíça e a Itália

Magnus Mundi15 de junho de 2017