Estruturas

La Turritas, as antigas torres de Bolonha

La Turritas, as antigas torres de Bolonha

Bolonha é uma comuna italiana, capital e a maior cidade da região da Emília-Romanha, província de Bolonha, mais especificamente entre os rios Reno e o Savena. É uma cidade universitária animada e cosmopolita com cerca de 390.000 habitantes, e a sétima maior cidade em termos de população na Itália, localizada aos pés da cadeia de montanha Tosco-Emiliano, no centro norte do país.

Foi fundada pelos etruscos e atingiu seu maior desenvolvimento comercial na era romana. Na Idade Média, foi um centro cultural importante, sendo apelidada de “la dotta” (a doutora), pois era a sede da primeira universidade da Europa. Nessa época, também era chamada de “la turrita” (a cheia de torres) devido as quase 200 torres espalhadas pela cidade, sendo a cidade mais vertical da época, com torres que variam de 20 a 60 metros de altura. Estas torres eram símbolos de status construídas por famílias ricas da cidade para demonstrar seu poder e importância.

A partir do século 13, muitas dessas torres foram derrubadas, principalmente atingidas por raios que muitas vezes causavam incêndios e pequenos colapsos ou caíram por falta de manutenção. Só em 1824, que algumas delas receberam para-raios. As sobreviventes foram posteriormente utilizadas de diferentes formas, servindo de prisão, lojas ou como residências. As últimas demolições ocorreram em 1917, quando duas torres foram derrubadas para dar lugar a um projeto de reurbanização. Não mais de vinte torres permanecem atualmente em Bolonha. As mais conhecidas a Torre degli Asinelli e a Torre del Garisenda, cuja forma inclinada icônica se transformaram num símbolo da cidade. A Torre degli Asinelli tem uma inclinação de 2,23 metros para o oeste, mas devido a sua altura, tal inclinação é quase imperceptível. Essas duas torres são chamadas de Le Due Torri.

Ambas tem os nomes das suas respectivas famílias. A Torre degli Asinelli é a mais alta com 97,20 metros com 498 degraus, e a Garisenda tem 48 metros e sendo 3,2 metros mais estreita que a sua vizinha. Ambas as torres eram originalmente da mesma altura, em cerca de 60/70 metros, mas quando a torre Garisenda começou a se inclinar, sua altura foi reduzida no século 14. A Torre degli Asinelli, por outro lado, teve sua altura ampliada. Neste mesmo século, a torre foi assumida pela cidade, que a transformou em uma prisão e numa pequena fortaleza.

Durante esse período, um edifício de madeira foi adicionado em torno da torre a uma altura de trinta metros do solo, e construído uma passarela com corda e madeira que ligava as duas torres. Tal passarela foi destruída em um incêndio em 1398. Diz-se que o edifício foi construído por Giovanni Visconti, duque de Milão, para vigiar o turbulento mercado Mezzo (hoje Via Rizzoli e ruas circundantes) e ser capaz de dominar qualquer tumulto. Na época, Visconti tinha tomado o poder em Bolonha após a queda do senhorio de Pepoli, o que o fez impopular.

Os Cientistas Giovanni Battista Riccioli (em 1640) e Giovanni Battista Guglielmi (no século seguinte) usaram a Torre degli Asinelli para experiências com a gravidade e a rotação terrestre. Recentemente a Torre degli Asinelli era um repetidor de transmissão do canal de televisão RAI. Durante a Segunda Guerra Mundial, entre 1943 e 1945, foi usada como torre de observação. Quatro voluntários permaneciam no topo da torre observando o espaço aéreo e orientavam as tropas aliadas em bombardeios às tropas inimigas.

La Turritas, as antigas torres de Bolonha

Um modelo gerado em 3D de como seria a Bolonha medieval | Crédito da foto

Hoje em dia a Torre degli Asinelli tem uma bilheteria para visitação. Dentro pode-se subir as escadas de madeira até o topo, ao longo de 498 degraus. Do terraço há uma vista panorâmica de toda cidade e arredores. No piso térreo da torre encontram-se algumas lojas de artesanato, para recordar a velha função comercial da área. Desde 28 de novembro de 2015, a Torre degli Asinelli e sua vizinha são iluminadas por um sistema de iluminação especial, que permite a visibilidade de todos os cantos do Bologna.

La Turritas, as antigas torres de Bolonha

O interior da Torre degli Asinelli | Crédito da foto

La Turritas, as antigas torres de Bolonha

Vista aérea da Torre del Garisenda | Crédito da foto

La Turritas, as antigas torres de Bolonha

As duas torres Garisenda e Asinelli | Crédito da foto

La Turritas, as antigas torres de Bolonha

Outra arte retratando Bolonha medieval

La Turritas, as antigas torres de Bolonha

Outra representação do que teria sido Bolonha no passado | Crédito da foto

Fontes: 1 2 3

“A lei de ouro do comportamento é o respeito mútuo, já que nunca pensaremos todos da mesma maneira e que não vemos senão uma parte da verdade e sob ângulos diferentes – Mahatma Gandhi

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 28 vezes

Deixe seu comentário! Faça nosso trabalho valer a pena!
Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estruturas

Me chamo Julio Cesar e sou o idealizador do site Magnus Mundi, um espaço para compartilhar informações sobre lugares, eventos, artes e histórias inusitadas pelo mundo afora.

Veja mais em Estruturas

Agulhas de Cleópatra, os obeliscos do Egito Antigo

Magnus Mundi20 de agosto de 2017

O busto indestrutível de Pablo Iglesias

Magnus Mundi30 de julho de 2017

Diaolou, as torres fortificadas da China

Magnus Mundi13 de julho de 2017

El Helicoide, o shopping que se tornou uma prisão

Magnus Mundi8 de junho de 2017

Henningsvær Idrettslag Stadion, o estádio de futebol na pequena ilha

Magnus Mundi1 de maio de 2017

As estações de metro mais profundas do mundo

Magnus Mundi8 de março de 2017

A parede de vento de Rozenburg

Magnus Mundi17 de fevereiro de 2017

O cemitério das plataformas petrolíferas de Cromarty Firth

Magnus Mundi1 de fevereiro de 2017

Pilar de ferro de Déli, na Índia

Magnus Mundi8 de janeiro de 2017