Atualidade

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

Na Guatemala, o conceito de descanso eterno após a morte é só para inglês ver, pois se os familiares não pagarem o aluguel do túmulo, o falecido é despejado de sua cova e colocado em sacos plásticos e largados em qualquer canto, a espera dos familiares virem acertar o aluguel, caso contrário, eles serão enterrados numa vala comum, numa espécie de lixão dos mortos.

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

O país é de predominância católica, e as pessoas ricas compram lotes em cemitérios privados, e fazem túmulos decorados ou suntuosos mausoléus. Já os pobres, enterram seus entes queridos em cemitérios públicos, e precisam pagar um taxa em torno de 25 dólares para os primeiros seis anos de contrato de arrendamento da sepultura. Após o término do contrato, pagasse 23 dólares a cada quatro anos. Num país, onde muitos não podem pagar nem mesmo a comida, o valor é uma quantia significativa.

Em 2015, o governo expediu 3.600 notificações, alertando os responsáveis sobres as exumações que seriam feitas nos túmulos de seus familiares mortos, caso não fossem acertados os valores correspondentes ao arrendamento da sepultura. Nas notificações, estavam inclusos, 1.500 sepulturas infantis. As exumações são feitas duas vezes ao ano.

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

A prática da exumação e cobrança de alugueis de sepulturas na Guatemala é determinado por lei e não é nova, mas devido aos problemas financeiros que passa a população do país, mais e mais pessoas estão sendo enterradas em cemitérios públicos e o número de alugueis não pagos cresce a cada ano e assim, aumenta as exumações.

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

Depois de estarem no mínimo seis anos em suas covas, os cadáveres estão decompostos e alguns até mumificados, mas dependendo de onde estão enterrados, mais perto ao chão ou em criptas superiores, o cheiro que exalam é insuportável. Os coveiros muitas vezes não utilizam máscaras, alias, não utilizam equipamento de segurança nenhum, e na maioria das vezes, manipulam os corpos sem luvas e utilizam apenas marretas, picaretas e pás para abrirem as sepulturas e quando vão puxar o caixão para fora, ele se desmancha todo.

Muitos criticam a forma como eles tratam os cadáveres, não demonstrando nenhum respeitos aos mortos, mas conforme relato de um coveiro, seria humanamente impossível de fazer isso, devido a quantidade de exumação que eles precisam fazer, portanto tratam os mortos, como se fossem objetos qualquer. Alguns familiares, que não conseguem pagar as custas dos túmulos, acabam buscando seus mortos, levam dentro de ônibus e simplesmente enterram no quintal de suas casas.

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

“Verba volant, scripta manent” (As palavras voam, os escritos permanecem)

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 1391 vezes

Deixe seu comentário! Faça nosso trabalho valer a pena!
Ver Comentários (1)

1 Comentário

  1. Frederico Feroli

    13 de julho de 2016 às 12:08

    Tão reclamando aqui onde eu moro , vc vai visitar o tumulo de seu familiar e quando chega lá , tem outro no lugar os ossos foram tirados ninguém da família é comunicado e fica tudo por isso mesmo , pois se vc reclamar o povo inteiro da cidade fica te olhando de cara feia , pq quem faz ta sempre certo e quem reclama é taxado de louyco ou encrenqueiro …

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Atualidade

Meu nome é Julio Cesar, e sou de Santa Catarina e idealizador do site Magnus Mundi. O site tem como objetivo informar sobre lugares curiosos, estranhos ou inóspitos e também histórias, lendas, eventos inusitados pelo mundo afora.

Veja mais em Atualidade

A casa da abóbora de Kenova

Magnus Mundi31 de outubro de 2017

Rios de sangue da Eid al-Adha, em Bangladesh

Magnus Mundi6 de outubro de 2017

Os cemitérios de bicicletas abandonadas da China

Magnus Mundi22 de agosto de 2017

Bételes, os chicletes de Taiwan

Magnus Mundi22 de novembro de 2016

Astolat Dollhouse Castle, a casa de boneca que vale oito milhões de dólares

Magnus Mundi16 de julho de 2016

As sinistras nuvens tsunamis

Magnus Mundi14 de novembro de 2015

Museu da Cidade, um playground numa fábrica abandonada

Magnus Mundi14 de novembro de 2015

Streaking ou Chispada, o ato de correr nu! (NSFW)

Magnus Mundi21 de outubro de 2015

Sol, areia e diversão nas praias artificiais de Paris

Magnus Mundi17 de outubro de 2015