Arqueológicos

A pedra dividida de Al Naslaa

A pedra dividida de Al Naslaa

Há muitas ocorrências naturais que podem deixar qualquer um desconfiado se aquilo realmente foi criado pela natureza, ou é obra humana no decorrer dos anos. A quem diga também que pode ser obra de algum extraterrestre brincalhão. A pedra Al Naslaa, localizada no oásis de Tayma na Arábia Saudita é um desses fenômenos da natureza, que deixa qualquer pessoa com ‘pulgas atrás da orelha’. Recentes descobertas arqueológicas, mostram que Tayma foi habitada desde os tempos antigos e a pedra de Al Naslaa por conter pinturas rupestres é uma das formações rochosas mais fotografadas da região.

A pedra dividida de Al Naslaa

De acordo com os geólogos, a fenda perfeita entre as duas pedras e as faces planas de um dos lados das pedras são completamente naturais. O mais provável é que o chão se moveu ligeiramente debaixo de um dos dois suportes, fazendo a pedra se dividir. Outra teoria é de que pode ser um dique vulcânico, que era composto de algum mineral mais fraco, que com o correr dos anos, acabou se desfazendo, criando o espaço vazio entre as pedras.

Também o que ter dividido a pedra seria a pressão sobre uma antiga rachadura natural. Na pedra da direita, pode ser observado uma dessas rachaduras em diagonal, que um dia poderá romper aquela parte da pedra. E por último, uma antiga falha da rocha que com qualquer movimento do solo, tenha enfraquecido aquela área da pedra, que com o tempo é corroída mais facilmente que o restante da rocha circundante.

A pedra dividida de Al Naslaa

O oásis de Tayma foi um importante ponto de encontro para os comerciantes e caravanas. Antigamente, era um vasto oásis habitado, com uma fortaleza cercada por um muro de pedras sobre uma colina que controlava as rotas comerciais que cruzavam o deserto entre as cidades de Yathrib (Medina) e Dumah. Atualmente é um sítio arqueológico de 500 hectares, localizado a 830 metros acima do nível do mar e a 220 quilômetros de distância da cidade de Tabuk e a 400 quilômetros de Medina. A água do poço de Tayma era chamado de Bir Haddaj, e caiu em desuso há muitos séculos. Em 1953, o Rei Saud colocou quadro bombas de água no oásis e reativou a área inteira para pequenos agricultores.

Em 2010, a Comissão Saudita de Turismo e Antiguidades anunciou a descoberta de uma rocha perto de Tayma com uma inscrição hieroglífica do faraó do Egito Ramsés III.

A pedra dividida de Al Naslaa

A pedra dividida de Al Naslaa

Crédito das fotos: www.saudi-archaeology.com

Fonte: 1 2

“Há mais mistérios entre o Céu e a Terra do que sonha a nossa vã filosofia.” – William Shakespeare

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 1307 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Ótimo
  • Bom
  • Indiferente
  • Poderia ser melhor

Faça nosso trabalho valer a pena. Deixe seu comentário!

Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Arqueológicos

Magnus Mundi é uma revista digital que tem seu conteúdo voltado para lugares, eventos, artes e histórias inusitadas pelo mundo afora

Veja mais em Arqueológicos

Trilha Inca, um dos maiores feitos de engenharia das Américas

Magnus Mundi26 de abril de 2019

Moray, os terraços circulares dos incas

Magnus Mundi28 de dezembro de 2018

Cidadela de Erbil, a cidade de seis mil anos

Magnus Mundi18 de novembro de 2018

Lady Dai, a múmia preservada da China

Magnus Mundi12 de novembro de 2018

Eredo de Sungbo, o maior monumento da África que nunca se ouviu falar

Magnus Mundi5 de junho de 2018

Monte Testácio, o depósito de lixo com 2.000 anos

Magnus Mundi14 de maio de 2018

Nosy Mangabe, a ilha das pedras postais

Magnus Mundi4 de abril de 2018

Pedra de Ingá, o enigma da Paraíba

Magnus Mundi11 de janeiro de 2018

Cueva de las Manos, a caverna das mãos na Patagônia

Magnus Mundi8 de janeiro de 2018

Magnus Mundi é uma revista digital que tem seu conteúdo voltado para lugares, eventos, artes e histórias inusitadas pelo mundo afora

Copyright © 2015 · OceanSite · Desenvolvimento de website e aplicativos para mobiles

Scroll Up