Antigamente, casas de árvores costumava ser coisa de criança, onde elas podiam brincar, se isolar e até mesmo fingir-se de adultos, mas atualmente, são os adultos que estão tomando para si essa brincadeira de criança, incorporando o tema em modernas construções. Como é o caso do prédio 25 Green, um edifício de cinco andares em Turim na Itália, construído entre 2007 e 2012, projetado pelo arquiteto Luciano Pia, que levou em conta o conceito das casas de árvores na floresta, ao desenhar o edifício.

Sua estrutura foi feita em aço e se assemelha com uma floresta, onde as árvores, enraizadas em terraços, adquirem formas irregulares. O prédio conta com 150 árvores dispostas nos terraços, protegendo os moradores do barulho e da poluição e fazendo o prédio parecer uma floresta. O projeto paisagístico tem 7.500 m² de área e 4.000 m² de terraços e telhados verdes. Somadas às outras 50 árvores plantadas no jardim, a vegetação produz oxigênio, absorve anidrido carbônico, reduz a poluição do ar e protege os apartamentos do barulho externo, além de criar um microclima no interior do edifício que ameniza a queda de temperatura no inverno e o calor no verão.

25 Green, a casa de árvore urbana

O projeto objetivou separar o espaço habitado das ruas, criando uma calma transição marcada pelo verde, pelas roseiras, pelas frutíferas e ervas aromáticas e pela transparência da estrutura singular. Os pisos em madeira maciça, que cobrem os terraços, filtram a luz do sol no verão, enquanto que, no inverno, permitem a quebra de luz para dentro dos apartamentos. A fachada de tijolos é macia e vibrante. As estruturas metálicas parecem árvores “crescendo” a partir do piso térreo até o terraço e junto com a vegetação entrelaçada formam uma fachada única.

Um dos objetivos do projeto é o aumento da eficiência energética e, por essa razão, várias soluções integradas têm sido adotadas: isolamento contínuo, proteção solar, aquecimento e refrigeração que fazem uso da energia geotérmica com bombas de calor e reciclagem da queda chuva para regar os jardins. Ao todo, são 63 apartamentos equipados com amplos terraços de formas irregulares e árvores de diferentes alturas (entre 2,5 e 8 metros). O último piso é coberto com telhado verde.

25 Green, a casa de árvore urbana

A vegetação mostra várias facetas: vasos enormes nos terraços, pátios, jardins verticais e telhados verdes com Epimedium rubrum e Vinca minor, em frente dos lofts. Nos vasos foram plantados árvores e arbustos com alturas que variam de 2,5 a 8 metros. Algumas espécies são caducifólias, como: Liquidambar styraciflua, Gingko biloba, Carpinus betulus, Cercidiphyllum japonicum, Lagerstroemia indica, Acer freemanii, A. platanoides, A. japonicum e Punica granatum, possibilitando o melhor aproveitamento solar no inverno.

A escolha das plantas também obedeceu uma harmonização de tonalidades verdes e uma diversificação das cores das flores, Viburnum tinus, Euonymus, Crataegus monogyna, Osmanthus aquifolium, Elaeagnus ebbingei e Physocarpus opulifolius, são algumas das espécies arbustivas utilizadas para lograr esse efeito. A sensação é a de viver em uma casa pendurada em uma árvore gigantesca. É provável que sonhe com uma casa ou que viva em um sonho para sempre!

25 Green, a casa de árvore urbana

25 Green, a casa de árvore urbana

25 Green, a casa de árvore urbana

25 Green, a casa de árvore urbana

25 Green, a casa de árvore urbana

25 Green, a casa de árvore urbana

25 Green, a casa de árvore urbana

25 Green, a casa de árvore urbana

25 Green, a casa de árvore urbana

25 Green, a casa de árvore urbana

25 Green, a casa de árvore urbana

25 Green, a casa de árvore urbana

25 Green, a casa de árvore urbana

25 Green, a casa de árvore urbana

25 Green, a casa de árvore urbana

Fontes: 1 2 3 4

“Verba volant, scripta manent” (As palavras voam, os escritos permanecem)

Postagens por esse mundo afora

Visualização desde 2014: 299 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo! O que achou do artigo??
  • Ótimo
  • Bom
  • Indiferente
  • Poderia ser melhor
Ajude a melhorar o conteúdo do site. Deixe um comentário

Sobre o Autor

Curioso desde sempre, queria um lugar para guardar às curiosidades de lugares e histórias inusitadas que lia em livros ou pela internet e assim nasceu o site Magnus Mundi em 2015. Me chamo Julio Cesar, sou natural de Blumenau e morador de Porto Belo, litoral de Santa Catarina.

Você pode gostar de ver isso

Faça um comentário

Seu email não será publicado