Estranhos

A beleza das piscinas de lítio no Deserto de Atacama

A beleza das piscinas de lítio no Deserto de Atacama

A cerca de 1.120 quilômetros ao norte de Santiago, capital do Chile, se localiza o Deserto do Atacama, e nele, enormes campos da mina de lítio são operados pela Sociedad Química y Minera de Chile (SQM), companhia essa a terceira maior do mundo na produção do lítio, um mineral não renovável e o mais leve do mundo, que nos últimos anos, tem atiçado a ambição de mercados em busca de fontes de energia alternativas.

O lítio é usado em baterias de computadores, relógios, câmeras e celulares é uma das principais promessas dos carros elétricos e da fusão nuclear. Armazenando mais energia em menos espaço, o lítio garante a fabricação de baterias menores e mais duráveis. Também podem ser usados em medicamentos psiquiátricos, como antidepressivos, e em produtos à base de cerâmica, plásticos e alumínio, permitindo a construção de peças mais resistentes e leves.

O lítio é encontrado a cerca de 45 metros de profundidade e não é encontrado em estado nativo, mas sim dissolvido em água salgada. Essa salmoura de lama grosso é bombeada do solo e vertida em piscinas rasas de evaporação, sendo seca sob o sol escaldante do deserto. A água evaporada, deixa para trás um material oleoso e amarelado.

No início da década de 1950, a principal fonte mundial de lítio, era a mina de Kings Mountain, na Carolina do Norte, nos Estados Unidos. Na época, o metal era essencial para a produção de armas nucleares de fusão e era extraído a partir de um mineral de silicato chamado espodumena, que ocasionalmente, era usado como pedra preciosa. Embora a espodumena possa produzir um lítio mais puro, o processo era trabalhoso e caro.

Quando o mineral foi descoberto por toda a extensão da Cordilheira dos Andes na América do Sul, empresas de produção de lítio mudaram seu foco na extração do metal a partir da salmoura nos campos de sal, fazendo a mina da Carolina do Norte encerrar suas atividades. Atualmente, o Bolívia, Argentina e Chile são os países com as maiores reservas de lítio. O Chile sozinho, abastece com 43% da demanda mundial do lítio, porém as maiores reservas pertencem a Bolívia.

Fontes: 1 2 3

“Verba volant, scripta manent” (As palavras voam, os escritos permanecem)

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 576 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado
Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estranhos

Me chamo Julio Cesar, e moro no litoral de Santa Catarina. Sou o idealizador do site Magnus Mundi, que tem como objetivo descrever lugares curiosos, estranhos ou inóspitos, bem como lendas, eventos inusitados pelo mundo afora.

Veja mais em Estranhos

A árvore leprosa de Malawi

Magnus Mundi21 de junho de 2018

Grotta del Cane, a caverna que matava cães

Magnus Mundi23 de maio de 2018

Patomskiy Cater, o ninho da águia de fogo

Magnus Mundi10 de março de 2018

O cemitério no porão da igreja de New Haven Green

Magnus Mundi16 de fevereiro de 2018

Shanay-timpishka, o misterioso rio que ferve na Amazônia

Magnus Mundi7 de fevereiro de 2018

Mercado de las Brujas, o mercado das bruxas de La Paz

Magnus Mundi20 de janeiro de 2018

Pedra de Ingá, o enigma da Paraíba

Magnus Mundi11 de janeiro de 2018

Varanasi: Onde a morte é o motivo da vida

Magnus Mundi10 de novembro de 2017

Colossos de Memnon, as estátuas que cantavam

Magnus Mundi13 de outubro de 2017