Coisas

A ponte ferroviária El Infiernillo no Peru

A ponte ferroviária El Infiernillo no Peru

Ferrocarril Central Andino, nas Cordilheira dos Andes, no Peru é a segunda ferrovia mais alta do mundo, e uma das mais notáveis, devido aos grandes desafios técnicos enfrentados e superados ao se construir a ferrovia. A estrada de ferro começa na cidade portuária de Callao, quase ao nível do mar, depois passa por Lima, capital do país e então alcança o pico de 4.818 metros de altitude na passagem de Anticona (Ticlio, Lima).

Continua até chegar à cidade mineira de La Oroya, onde a ferrovia se divide em duas rotas: uma para Cerro de Pasco e a outra para Huancayo e Huancavelica. O percurso ao longo desta rota é uma grande atração para os entusiastas de trens, com 58 pontes, 69 túneis – incluindo o segundo maior túnel ferroviário do mundo – e seis descidas em ziguezagues.

Uma das pontes mais famosas encontradas ao longo da linha de Lima para La Oroya é a ponte El Infiernillo ou “Little Hell”, que significa Pequeno Inferno, localizada em um estreito desfiladeiro entre dois túneis. Os trilhos emergem de um túnel em um penhasco vertical, atravessam a ponte e imediatamente entra em outro túnel em um penhasco vertical. Debaixo da ponte flui o Rio Rimac, e adjacente a ele circula a rodovia principal “Carretera Central”.

A ponte está localizada a uma altitude de 3.300 metros acima do nível do mar e a 129,5 de Callao. Foi construído em 1908 pela “American Bridge Company” e tem um comprimento de 62,78 metros. O túnel em suas duas extremidades dá à ponte a aparência mais dramática. A ferrovia levou quase 40 anos para ser construída.

A construção começou em 1870 e foi concluída em setembro de 1908. A ideia de uma ferrovia naquelas atitudes foi do empresário americano Henry Meiggs. Já o projeto da rota foi do engenheiro polonês Ernest Malinowski e a equipe de construção era formada por uma força de trabalho multinacional, 50% chinesa, 40% peruana e 10% chilena.

Fontes: 1 2 3

“Porque as pessoas loucas o bastante para acreditar que podem mudar o mundo, são as que o mudam” – Jack Kerouac

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 360 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo! O que achou do artigo??
  • Ótimo
  • Bom
  • Indiferente
  • Poderia ser melhor
Ajude a melhorar o conteúdo do site. Deixe um comentário
Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Coisas

Curioso desde sempre, queria um lugar para guardar às curiosidades de lugares e histórias inusitadas que lia em livros ou pela internet e assim nasceu o site Magnus Mundi em 2015. Me chamo Julio Cesar, sou natural de Blumenau e morador de Porto Belo, litoral de Santa Catarina.

Veja mais em Coisas

O mundo raro, caro e estranho dos minerais

Magnus Mundi17 de fevereiro de 2020

Airstream Ranch, curiosa arte feita com trailers no Texas

Magnus Mundi15 de fevereiro de 2020

Spruce Creek: Em vez de garagem, um hangar

Magnus Mundi14 de fevereiro de 2020

O triste fim do Mar sem Fim

Magnus Mundi28 de janeiro de 2020

Os navios dos prazeres de Calígula no lago Nemi

Magnus Mundi19 de novembro de 2019

O telescópio Leviatã de Parsonstown

Magnus Mundi9 de junho de 2019

Cycling Through Water, a ciclovia através da água

Magnus Mundi10 de Maio de 2019

Dagen H, o dia sueco para a troca de lado da estrada

Magnus Mundi14 de abril de 2019

Mackinac Island, a ilha que proibiu os carros

Magnus Mundi1 de abril de 2019

Magnus Mundi é uma revista digital que tem seu conteúdo voltado para lugares, eventos, artes e histórias inusitadas pelo mundo afora

Copyright © 2015 · OceanSite · Desenvolvimento de website e aplicativos para mobiles

Scroll Up