Estruturas

A torre da flor de Paris

A torre da flor de Paris

Na região 17º Arrondissement, ao lado da praça Claire Motte em Paris, um edifício de 10 andares tem três das quatro de suas fachadas cobertas com vasos com bambus, fazendo com que as paredes do edifício suma em meio a vegetação. São no total, 380 vasos grandes espalhados pelas varandas, que criam uma cortina verde nas três fachadas, onde acabam criando a ilusão do prédio ser um grande vaso de plantas.

O edifício chamado “Flower Tower“, ou Torre da Flor, foi planejado por Edouard Francois, que se inspirou no habito dos parisienses de cultivar todo tipo de vegetação em vasos, até mesmo nas mais pequenas sacadas, como se querendo trazer a natureza para dentro da floresta de concreto da cidade densamente povoada de Paris. Em 2008, ano em que foi construído, o edifício foi a maior sensação da França, e muitas pessoas diziam que com o tempo, a medida que as plantas cresceriam, o prédio iria ficar feio, mas não foi isso que aconteceu, talvez por ter sido o bambu, a planta escolhida, para servir de cortina ao prédio.

Os vasos são afixados ao piso das varandas e a rega das plantas é feito automaticamente por um sistema de canos que compõem o parapeito das sacadas e reutiliza a água da chuva, para garantir que as plantas não morram, caso os moradores se esqueçam de regar ou mesmo prevendo as longas férias de verão dos donos. Foi escolhido o bambu por ser uma planta resistente e de crescimento rápido, mas também por fazer barulho ao vento, “dando a impressão de que as pessoas em seu interior estão vivendo dentro de uma árvore.”, explica Edouard Francois.

Já a quarta fachada norte, a que está de frente para o sol, exibe uma mistura de cinza e branco para dar um aspecto de inacabado. De acordo com o arquiteto, foi uma escolha deliberada, para criar um efeito de yang ying, um contraste entre o belo e o feio e também para destacar mais as outras três fachadas com as plantas.

O interior do prédio também foi cuidadosamente planejado. Não há hall de entrada, em vez disso um elevador de vidro, voltado para fora do edifício em direção a praça, através dos bambus, leva os moradores a cada andar. As paredes internas não são fixas, podendo seus moradores adaptar seus apartamentos como quiserem. Tudo isso acabou fazendo a construção se mais em conta em relação as construções tradicionais.

torre-da-flor-paris-003

torre-da-flor-paris-007

torre-da-flor-paris-004

torre-da-flor-paris-005

torre-da-flor-paris-006

Fotos sem os créditos são de: Edouard Francois

Fonte: 1 2

Faça nosso trabalho valer a pena! O seu comentário é o que nos move.

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 223 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado
Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estruturas

Me chamo Julio Cesar, e moro no litoral de Santa Catarina. Sou o idealizador do site Magnus Mundi, que tem como objetivo descrever lugares curiosos, estranhos ou inóspitos, bem como lendas, eventos inusitados pelo mundo afora.

Veja mais em Estruturas

Devil’s bridge, as pontes do diabo na Europa

Magnus Mundi9 de julho de 2018

Fortaleza de Mimoyecques, a base secreta dos nazistas para destruir Londres

Magnus Mundi24 de junho de 2018

The Wall, a estrutura contra o vento de Fermont

Magnus Mundi19 de março de 2018

Stretcher fences, as macas usadas como cercas na Inglaterra

Magnus Mundi6 de fevereiro de 2018

Völkerschlachtdenkmal, o Monumento da Batalha das Nações

Magnus Mundi29 de janeiro de 2018

Ponte Vecchio, a ponte medieval ocupada por lojas em Florença

Magnus Mundi27 de janeiro de 2018

Telefontornet, a antiga central telefônica de Estocolmo

Magnus Mundi4 de outubro de 2017

Lanternes des morts, as lanternas dos mortos da Europa

Magnus Mundi26 de setembro de 2017

As barragens de kauri da Nova Zelândia

Magnus Mundi16 de setembro de 2017