Abandonados

Banghar Fort, antiga cidade assombrada da Índia

Banghar Fort, antiga cidade assombrada da Índia

A antiga cidade de Banghar Fort, conhecida localmente como Bhoot Bangla (Casa dos Fantasmas) se localizada nas montanhas da reserva Sariska Tiger Reserve, entre Alwar e Jaipur, no distrito de Jodhpur, à 269 quilômetros de Delhi, no estado de Rajasthan, na Índia e foi construída no século 17 durante o reinado de Man Singh (1550-1614), um marajá poderoso, que mandou construí-la em 1573. O local se tornou a residência de Madho Singh I, o segundo filho do marajá e no seu auge, chegou a ter 10.000 habitantes, sendo conhecida naquele tempo pela ostentação de riqueza, tanto na arquitetura, quanto nas pessoas que viviam por lá e a defesa da cidade foi tão bem planejada pelos arquitetos indianos na época, que ela é cercada de montanhas em três lados, tendo somente três portões principais.

Banghar Fort, antiga cidade assombrada da Índia

Placa do governo indiano, proibindo a permanência no local a noite | Crédito da foto

Apesar das estradas ruins e o lugar ser de difícil acesso, a cidade em ruínas acabou se transformando em atração turística. Perto dali, Golakabaas, uma aldeia com aproximadamente 1.300 habitantes, em cerca de 200 residências, se desenvolveu fora dos limites do forte, devidos aos seus habitantes terem medo de supostos fantasmas que assombram a antiga cidade. O moradores alegam ouvir vozes, risadas e músicas vindo das ruínas a noite, e ninguém se atreve a chegar perto delas depois do anoitecer. A história relata que o declínio de Bhanghar Fort começou em 1630, após Chhatr Singh, filho de Madho Singh ser morto num ataque e em 1783, a cidade foi completamente abandonada, após a população restante do lugar passar fome.

Há duas lendas narrando a história da cidade fortaleza, uma diz que Bhanghar foi amaldiçoada pelo Guru Balu Nath, que provocou a evacuação da cidade. Balu Nath profetizou: “No momento em que as sombras de algum palácios cair sobre minha casa, a cidade não será mais como era” e ignorando tal profecia, um descendente ambicioso ergueu seu palácio a uma altura tal que a sombra chegasse ao retiro de Balu Nath e assim a cidade caiu em desgraça, como profetizado.

Em outra versão, Scindia, um mago, que era adepto da magia negra caiu de amores por Ratnavati, a princesa de Bhanghar que era muito bonita e tinha muitos pretendentes para se casar com ela de muitas famílias reais do país. Um dia, enquanto a princesa, de 18 anos de idade, foi às compras com suas amigas e estava comprando ittar (perfume). O mago substituiu o perfume por uma poção, a fim de seduzir a princesa. Ele ofereceu a poção para que ela se apaixonasse e se casasse com ele.

No entanto, a princesa percebeu a trapaça do mago e quando ele lhe ofereceu o vidro com a poção, ela jogou-o sobre uma pedra grande numa encosta e como resultado a pedra começou a rolar em direção ao mago, e lhe esmagou o corpo e antes de morrer, ele amaldiçoou Bhanghar dizendo que ela seria destruída em breve e que ninguém seria capaz de viver dentro de seus muros. Depois disso, a cidade foi invadida pelos mongóis do norte, sendo cercada e saqueada e todas as pessoas foram mortas, incluído a princesa. O atual estado do forte é atribuída à maldição do mago e as pessoas acreditam que os fantasmas no forte são o da princesa e do mago.

Lendas e maldições a parte, na realidade, ninguém sabe ao certo porque a Bhanghar foi abandonada. Desta forma, também ocorreu em diversos outros lugares no mundo, onde civilizações construíram cidades magnificas e depois deixadas no abandono, sem que se pudesse ter uma certeza do porquê, e lendas aparecem para dar alguma explicação popular. A maioria são apenas isso: lendas, enquanto outras podem conter alguma verdade nelas.

O certo é que, fantasmas, evacuações, maldições deram a Bhanghar a reputação de mal assombrado, e está assim a mais de 400 anos envolvido com assombrações e lendas de fantasmas que rondam a antiga cidade. Há uma placa na entrada colocada pela Archaeological Survey of India (ASI) proibindo a permanência no lugar depois do pôr do sol, e moradores locais dizem que quem teima em ficar a noite, nunca mais voltará!

Fontes: 1 2

“Tudo o que o homem não conhece não existe para ele. Por isso, o mundo tem para cada um o tamanho que abrange o seu conhecimento”. – Carlos Bernardo González Pecotche

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 696 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado

Faça nosso trabalho valer a pena. Deixe seu comentário!

Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abandonados

Me chamo Júlio César e moro em Porto Belo/SC. Sou o idealizador do site Magnus Mundi, um site sobre lugares curiosos, estranhos ou inóspitos pelo mundo afora, bem como histórias inusitadas de pessoas, lendas, eventos e outros assuntos interessantes. Feito para as pessoas que gostam de saber mais sobre um determinado assunto que é tratado superficialmente por outros sites do gênero.

Veja mais em Abandonados

As bibliotecas perdidas de Chinguetti

Magnus Mundi5 de dezembro de 2018

Castelo de Čachtice, o castelo da condessa sanguinária

Magnus Mundi1 de dezembro de 2018

Ilha Hashima, a ilha fantasma do Japão

Magnus Mundi28 de novembro de 2018

Castaway Depots, os depósitos de sobrevivência da Nova Zelândia

Magnus Mundi11 de outubro de 2018

A floresta fantasma de Neskowin

Magnus Mundi10 de outubro de 2018

Salton Sea, o lago criado acidentalmente

Magnus Mundi21 de setembro de 2018

Kola Superdeep, um dos buracos mais profundo do mundo

Magnus Mundi19 de setembro de 2018

Hallsands, a vila que desapareceu no mar

Magnus Mundi9 de julho de 2018

Fortaleza de Mimoyecques, a base secreta dos nazistas para destruir Londres

Magnus Mundi24 de junho de 2018

Magnus Mundi é uma revista digital que tem seu conteúdo voltado para lugares, eventos, artes e histórias inusitadas pelo mundo afora

Copyright © 2015 · OceanSite · Desenvolvimento de website e aplicativos para mobiles

Scroll Up