Situado na costa leste de Essex, na Inglaterra, no estuário do rio Roach, a ilha Foulness é controlada pelos militares há muitos anos. O campo de artilharia foi estabelecido pela primeira vez pelo Ministério da Guerra em meados do século 19 e agora é operado pelo Ministério da Defesa para testar novas armas e munições. Por estar localizada longe de grandes centros populacionais, a ilha é ideal para esse propósito.

A ilha entretanto não está livre de civis. Coabitando com granadas, projéteis explosivos e sistemas de mísseis guiados, existe um pequeno número de famílias que cultivam trigo, cevada, ervilhas e linhaça em terras arrendadas. Esse arranjo bizarro, faz da ilha Foulness um lugar único.

Por muitos anos, a única maneira de chegar a ilha era de balsa ou caminhando ao longo da planícies de Maplin Sands quando a maré estivesse baixa. Essa rota marítima é chamada de Broomway (caminho das vassouras) e provavelmente, é o caminho mais perigoso da Grã Bretanha.

Broomway começa em um lugar chamado Wakering Stairs e segue para o leste, em direção ao mar. Depois de cerca de 400 metros, a rota vira para nordeste e segue nessa direção paralela à costa por cerca de oito quilômetros, antes de cortar em direção a terra em Fisherman’s Head, na ponta mais alta da ilha Foulness.

Com tempo bom, a rota parece nada mais do que uma longa caminhada em uma grande praia. Quando a maré retorna, entretanto, ela vem rápido – galopando sobre a areia mais rápido do que um ser humano pode correr. Em poucos minutos, a água alcança os quadris e, em seguida, ao peito. Inúmeras pessoas perderam suas vidas caminhando pelo Broomway.

Acredita-se que a travessia de Maplin Sands tenha matado mais de 100 pessoas ao longo dos séculos; parece provável que houve outras vítimas cujos destinos não foram registrados. Sessenta e seis de seus mortos estão enterrados no pequeno cemitério de Foulness; os outros corpos não foram recuperados.

Há evidências de que Broomway era usada há 600 anos, mas essa rota antiga pode muito bem ser anterior aos romanos, especialmente porque assentamentos romanos foram encontrados na ilha Foulness. Estudiosos alegam que o caminho era usado durante a época anglo-saxônica e posteriormente foi inundada devido à erosão costeira. Pesquisas arqueológicas revelaram que pelo menos a seção sul de Broomway já foi reforçada com barreiras de madeira.

No final do século 16, o caminho Broomway estava bem marcado nos mapas. Broomway leva o nome das cerca de 400 vassouras que antes eram colocadas em intervalos de 30 a 60 metros de cada lado da pista, indicando assim a passagem segura na areia dura que havia entre elas. Até 1932, tal caminho era o único meio de ir e voltar de Foulness, exceto por barco, pois a ilha estava isolada do continente por riachos intransponíveis e trechos de lama conhecidos como Terras Negras. 

Escrevendo no início dos anos 1900, o autor Herbert W. Tompkins deixou registrado de que à medida que a maré baixava, as vassouras “erguiam a cabeça e apareciam como uma linha de pontos pretos“, fornecendo uma indicação de quando o viajante poderia iniciar sua jornada.

As vassouras fincadas na lama exigiam manutenção constante e, pelo menos desde o século 18, o caminho era financiado pelo maior latifundiário da ilha. A essa altura, Broomway havia se tornado a principal rota da ilha para os fazendeiros que levavam seus produtos ao mercado.

Broomway, o caminho mortal da Grã-Bretanha

Crédito da imagem: Laris Karklis/The Washington Post

Há outros perigos neste inusitado caminho, dos quais a possibilidade de ser pego pela maré subindo não é o pior. A desorientação é um deles, e quando tem neblina, chuva ou nevoeiro, é fácil perder a direção em um terreno muito igual, com areia brilhante estendendo-se em todas as direções. Nem todas as superfícies que você encontra são confiáveis: há lama que pode dificultar a caminhada, e poços de areia movediça traiçoeiros pelo caminho. Se não chegar à terra antes da maré subir, isso pode significar a morte.

O outro perigo vem do campo de tiro da ilha Foulness. Os militares rotineiramente disparam artilharia em Maplin Sands e no estuário do Tâmisa, onde explodem e formam grandes crateras. Essas crateras são preenchidas pela maré com lama macia, criando poços de areia movediça traiçoeiras que não são visíveis, bem como, muitos desses projéteis não explodem, ficando enterrados na areia aguardando alguém pisar em cima e detonar o explosivo.

Atualmente, não há necessidade de pegar Broomway, ou “Doomway” (caminho do inferno), como os locais a chamam, para chegar à ilha Foulness. Os militares construíram uma estrada e algumas pontes em 1922, conectando a ilhas à Wakering Stairs. Porém as pontes são de acesso restrito, e apenas às cerca de 150 famílias que vivem na ilha tem a permissão de usa-las, desde que estejam motorizadas pois a pé a travessia é proibida. Muitas pessoas ainda preferem chegar à ilha através do caminho das vassouras apenas como aventura.

Fontes: 1 2 3

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 64 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo! O que achou do artigo??
  • Ótimo
  • Bom
  • Indiferente
  • Poderia ser melhor
Ajude a melhorar o conteúdo do site. Deixe um comentário

Faça um comentário

Seu email não será publicado