Abandonados

Burj Al Babas, a cidade dos castelos abandonados

Burj Al Babas, a cidade dos castelos abandonados

Já ouviu falar em “duplitetura”? É um termo usado para descrever a arquitetura de réplica que vem surgindo especialmente na China desde a década de 1990, onde monumentos icônicos e cidades inteiras são copiados e geralmente construídos usando material de baixa qualidade e assim clonando de forma inusitada, séculos de história europeia.

A moda da duplitetura também chegou a Turquia, um país euro-asiático, mas que está mais para o Oriente que para o Ocidente. Na vila de Burj Al Babas, em Mudurnu, a 290 quilômetros a sudeste de Istambul, 732 mini castelos quase idênticos se destoam por entre as montanhas do lugar, As construções tentaram trazer para a região toda a magia, que castelos da Romênia, Alemanha e de outros países da Europa já fazem a centenas de anos.

Burj Al Babas parecia um sonho, centenas de casas lembrando pequenas mansões francesas, ou castelos góticos saídos diretamente dos contos de fadas e dos filmes da Disney, prontos para quem quisesse morar. Porém, o empreendimento iniciado em 2014, situado na província de Bolu, a meio caminho entre Ancara e Istambul, transformou-se numa pequena cidade-fantasma. O que era para ser um lugar encantado, transformou-se num cenário de filme de terror.

O projeto do Grupo Sarot – responsável pela obra – pretendia além das mais de setecentas casas em forma de castelos, construir um centro de convivência, lojas, cinemas, restaurantes, salas de conferências, salas de reuniões, uma creche e até mesmo uma mesquita. O condomínio teria também um ginásio, banhos turcos, saunas, salas de vapor, campos de tênis e de futebol e um parque aquático. O projeto que custou mais de 200 milhões de euros pretendia mudar o turismo naquela parte da Turquia. O objetivo era ser uma comunidade de luxo para compradores estrangeiros que queriam investir no mercado imobiliário turco, ao custo de 500 mil euros por casa.

No entanto, o Grupo Sarot não conseguiu obter a quantia necessária para finalizar o projeto e sofreu as consequências da crise financeira e política dos últimos anos e não teve a adesão pretendida. Embora cerca de metade das moradias terem sido vendidas, em grande parte para clientes do Oriente Médio, a empresa entrou com pedido de concordata, fazendo com que o projeto fosse abandonado.

Burj Al Babas, a cidade dos castelos abandonados

Crédito da foto

Após as eleições na Turquia, em 2018, vários compradores de países como Dubai e o Kuwait deixaram de pagar as prestações das moradias. Enquanto a Turquia enfrenta um crise econômica e política, a queda do preço do petróleo também tem tornado os investidores árabes mais cautelosos. O resultado foram catastróficos para o empreendimento em Burj Al Babas.

Para o vice-presidente do Grupo Sarot, ainda há esperança de concluir o projeto, mesmo com 27 milhões de dólares em dívida da empresa. “Só precisamos vender mais 100 casas e liquidamos nossa dívida. Acredito que podemos superar esta crise em quatro a cinco meses e inaugurar parcialmente o projeto em 2019“, comentou para o canal de notícias Bloomberg. No momento, todas as construções estão paradas por ordem da justiça, até a empresa pagar a dívida.

Nas redes sociais, as opiniões sobre o empreendimento não são das melhores: “Um pesadelo em uma bela paisagem“, “Que horrível, não há espaço entre as casas da Barbie. Pode ser tudo, mesmo luxuoso“, “Parece uma Disneylândia distópica“, “Parece um rio branco de arrependimento“, são alguns dos comentários que as pessoas de diferentes países fizeram sobre o lugar que pretendia ser um conto de fadas.

Burj Al Babas, a cidade dos castelos abandonados

Mapa do Projeto | Crédito da foto

Burj Al Babas, a cidade dos castelos abandonados

Casa Modelo | Crédito da foto

Para saber mais: www.burjalbabas.com

Fontes: 1 2 3

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 620 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado

Faça nosso trabalho valer a pena. Deixe seu comentário!

Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abandonados

Me chamo Júlio César e moro em Porto Belo/SC. Sou o idealizador do site Magnus Mundi, um site sobre lugares curiosos, estranhos ou inóspitos pelo mundo afora, bem como histórias inusitadas de pessoas, lendas, eventos e outros assuntos interessantes.

Veja mais em Abandonados

Rockall, o rochedo desejado por quatro nações

Magnus Mundi22 de abril de 2019

Houtouwan, a vila de pescadores abandonada na China

Magnus Mundi24 de janeiro de 2019

Sunken Cemetery, na ilha de fogo

Magnus Mundi2 de janeiro de 2019

Taylor Camp, o paraíso perdido hippie do Havaí (NSFW)

Magnus Mundi31 de dezembro de 2018

Craco, uma cidade italiana abandonada

Magnus Mundi30 de dezembro de 2018

As bibliotecas perdidas de Chinguetti

Magnus Mundi5 de dezembro de 2018

Castelo de Čachtice, o castelo da condessa sanguinária

Magnus Mundi1 de dezembro de 2018

Ilha Hashima, a ilha fantasma do Japão

Magnus Mundi28 de novembro de 2018

Castaway Depots, os depósitos de sobrevivência da Nova Zelândia

Magnus Mundi11 de outubro de 2018

Magnus Mundi é uma revista digital que tem seu conteúdo voltado para lugares, eventos, artes e histórias inusitadas pelo mundo afora

Copyright © 2015 · OceanSite · Desenvolvimento de website e aplicativos para mobiles

Scroll Up