Engenharia

Devil’s bridge, as pontes do diabo na Europa

Devil’s bridge, as pontes do diabo na Europa

A designação ponte do diabo ou ponte do demônio (devil bridge) faz referência a várias dezenas de antigas pontes que, segundo a tradição popular, teriam sido construídas pelo Diabo, com sua ajuda, ou, inclusive contra seus desejos. A maioria são pontes medievais em arco que encontram-se principalmente na Europa e que destacaram-se (quase sempre) pelos obstáculos técnicos superados em sua construção, ainda que em muitas ocasiões também pela sua estética ou graça, ou pela sua importância econômica ou estratégica para a comunidade à que serviam.

Devil's bridge, as pontes do diabo na Europa
Ponte perto de Ardino, nas montanhas Rhodope na Bulgária | Crédito da foto

O folclore local frequentemente atribui erroneamente essas pontes à era romana, mas, na verdade, muitas delas são medievais, tendo sido construídas entre 1000 e 1600 d.C. Nos tempos medievais algumas estradas romanas foram consideradas muito além da capacidade e necessidades humanas e, portanto, só poderia ter sido construídas pelo diabo. Alguns historiadores acreditam que a referência ao diabo acontece porque no passado se dizia que era obra do diabo tudo aquilo que fosse demasiado difícil de construir, e que nenhum humano teria tal capacidade.

Devil's bridge, as pontes do diabo na Europa
Ponte sobre o rio Mynach, em Ceredigion, País de Gales. São três pontes uma sobre a outra construídas em época diferentes. A de cima em 1902, a do meio em 1753 e a mais antiga onde deriva seu nome como ponte do diabo foi construída em algum momento entre 1075-1200 | Crédito da foto

As pontes que se enquadram na categoria Ponte do Diabo são tão numerosas que as lendas sobre eles formam uma categoria especial no sistema de classificação Aarne-Thompson para contos populares. Algumas legendas têm elementos de categorias de contos populares, por exemplo, Enganando o Diabo, O Contrato do Diabo e As Lendas do Construtor Mestre.

Devil's bridge, as pontes do diabo na Europa
Ponte do diabo – Montoulieu – Pays de Foix, França | Crédito da foto

Uma versão do conto apresenta o construtor de pontes e o Diabo como adversários. Isso reflete o fato de que frequentemente, como no caso do Teufelsbrücke no Passo de São Gotardo, essas pontes foram construídas sob condições tão desafiadoras que a conclusão bem-sucedida da ponte exigiu um esforço heroico por parte dos construtores e da comunidade, garantindo seu status lendário. Outras versões da lenda apresentam uma velha senhora ou um simples pastor que faz um pacto com o Diabo. Nesta versão, o diabo concorda em construir a ponte e, em troca, receberá a primeira alma a atravessá-la.

Devil's bridge, as pontes do diabo na Europa
Ponte sobre o lago Bohinj, Eslovênia | Crédito da foto

Depois de construir a ponte (muitas vezes durante a noite), o diabo é enganado por seu adversário, por exemplo, jogando pão para atrair um cão sobre a ponte primeiro, e é visto pela última vez descendo para a água, trazendo paz à comunidade. No caso do Steinerne Brücke em Regensburg, a lenda fala do diabo ajudando em uma corrida entre os construtores da ponte e da catedral (na verdade, uma construção significativamente posterior), e um ligeiro solavanco no meio da ponte é disse que o resultado do diabo pulou de raiva ao ser enganado de seu prêmio.

Devil's bridge, as pontes do diabo na Europa
Ponte do diabo Crouzet Migette, França | Crédito da foto

Na lenda de Teufelsbrück em Hamburgo, que só leva um pequeno riacho, o carpinteiro fez um pacto com o diabo e prometeu-lhe a primeira alma a atravessar a ponte. No dia da inauguração, enquanto o padre e o vereador do condado discutiam quem deveria pisar primeiro na ponte, um coelho a atravessou e o desapontado demônio desapareceu. A lenda da Ponte della Maddalena em Borgo a Mozzano, província de Lucca, fala de um santo local, muitas vezes São Juliano, o hospitaleiro, que fez o pacto com o diabo. No dia do parto, o santo ateia fogo a um cachorro ou um porco que cruza a ponte e engana o diabo.

Devil's bridge, as pontes do diabo na Europa
Ponte Rakotz Brücke, Azalea and Rhododendron Park Kromlau, Alemanha | Crédito da foto

A maioria das pontes que receberam a denominação da Ponte do Diabo é notável em alguns aspectos, na maioria das vezes, pelos obstáculos tecnológicos superados na construção da ponte, mas também por sua graça estética , ou por sua importância econômica ou estratégica para a comunidade.

Devil's bridge, as pontes do diabo na Europa
Ponte Della Maddalena, Borgo a Mozzano Lucca, Toscana, Itália | Crédito da foto

Devil's bridge, as pontes do diabo na Europa
Ponte Gobbo ou ponte Vecchio, em Bobbio, Emilia-Romagna, Itália | Crédito da foto

Devil's bridge, as pontes do diabo na Europa
Ponte Ronda, em Málaga, Espanha | Crédito da foto

Devil's bridge, as pontes do diabo na Europa
Ponte que desafia a gravidade sobre o rio Llobregat em 1283, entre Martorell e Castellbisbal, Catalunha, Espanha | Crédito da foto

Devil's bridge, as pontes do diabo na Europa
Ponte Regensberg, Alemanha | Crédito da foto

Devil's bridge, as pontes do diabo na Europa
Teufelsbrucke do Passo de São Gotardo, na Suíça | Crédito da foto

Devil's bridge, as pontes do diabo na Europa
Ponte Tartu, Estônia, construída em 1903 sobre os alicerce de uma mais antiga | Crédito da foto

Devil's bridge, as pontes do diabo na Europa
Ponte Valentré, França | Crédito da foto

Devil's bridge, as pontes do diabo na Europa
A Ponte do Diabo em Céret, sul da França | Crédito da foto

Devil's bridge, as pontes do diabo na Europa
Ponte Della Harmonia-Concordia em Fossombrone, região de Marche, sobre o rio Metauro, Itália | Crédito da foto

Devil's bridge, as pontes do diabo na Europa
Ponte Hérault entre Saint-Guilhem-le-Desert e Saint-Jean-de-Fos, França | Crédito da foto

Devil's bridge, as pontes do diabo na Europa
Ponte da Mizarela, Portugal | Crédito da foto

Devil's bridge, as pontes do diabo na Europa
A Ponte do Diabo (em italiano: Ponte del Diavolo) em Lanzo Torinese, a norte da Itália | Crédito da foto


Devil's bridge, as pontes do diabo na Europa

Ponte Cividale, Friuli, Itália | Crédito da foto


Fontes: 1 2

“A vida é o que fazemos dela. As viagens são os viajantes. O que vemos não é o que vemos, senão o que somos”. – Fernando Pessoa

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 42 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado
Ver Comentários (1)

1 Comentário

  1. Pingback: Devil’s bridge, as pontes do diabo na Europa – Foi Digitado

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Engenharia

Me chamo Julio Cesar, e moro no litoral de Santa Catarina. Sou o idealizador do site Magnus Mundi, que tem como objetivo descrever lugares curiosos, estranhos ou inóspitos, bem como lendas, eventos inusitados pelo mundo afora.

Veja mais em Engenharia

Os moinhos em cascata de Folón e Picón

Magnus Mundi22 de junho de 2018

A ponte ferroviária El Infiernillo no Peru

Magnus Mundi9 de junho de 2018

Ilhas Astronautas, as ilhas camufladas da Califórnia

Magnus Mundi4 de abril de 2018

The Wall, a estrutura contra o vento de Fermont

Magnus Mundi19 de março de 2018

Cristo Redentor, o símbolo do Brasil

Magnus Mundi12 de janeiro de 2018

As barragens de kauri da Nova Zelândia

Magnus Mundi16 de setembro de 2017

Mail Rail, o correio subterrâneo de Londres

Magnus Mundi11 de agosto de 2017

Xian Ming Wall, às muralhas de Xian

Magnus Mundi8 de abril de 2017

Pozzo di San Patrizio na Itália

Magnus Mundi11 de dezembro de 2016