Animais

Enguia pelicano, o bizarro peixe das profundezas

Enguia pelicano, o bizarro peixe das profundezas

A enguia pelicano (Eurypharynx pelecanoides) é um peixe abissal raramente visto por seres humanos, embora ocasionalmente sejam capturados pelas redes de pesca. É um peixe parecido com uma enguia e o único membro conhecido da gênero Eurypharynx. Também é conhecido pelos nomes como peixe pelicanoenguia-de-guleira ou peixe boca de guarda chuva, podendo ser encontrado nas áreas temperadas e tropicais de todos os oceanos, numa profundidade entre 500 a 3000 metros.

Enguia pelicano, o bizarro peixe das profundezas

A característica mais notável da enguia pelicano é sua enorme boca, que é muito maior que seu corpo. A boca é frouxamente articulada e pode ser aberta o suficiente para engolir um peixe maior do que a própria enguia. A mandíbula inferior em forma de bolsa lembra a de um pelicano, daí seu nome. Tal mandíbula é articulada na base da cabeça, sem massa corporal por trás, fazendo com que a cabeça pareça desproporcionalmente grande. Essa espécie tem o corpo negro e algumas subespécies podem ter uma fina faixa branca na lateral. Como muitas criaturas de águas profundas, a enguia pelicano têm áreas do corpo com fotóforos (órgão biológico que emite luz) – ao longo da barbatana dorsal e na cauda.

Enguia pelicano, o bizarro peixe das profundezas

A enguia pelicano é muito diferente na aparência para a maioria das outras espécies de enguias. O que a torna tão diferente de outros peixes, não é tanto o que tem, mas o que não tem. A enguia pelicano não têm barbatanas pélvicas, bexiga natatórias, nadadeiras e escamas. Seu esqueleto consiste em vários ossos deformados e cartilagens leves. Seus segmentos musculares têm uma forma em “V”, enquanto outros peixes têm segmentos musculares em forma de “W”. Ao contrário de muitas outras criaturas do fundo do mar, a enguia tem olhos pequenos.

Acredita-se que seus olhos evoluíram para detectar leves traços de luz em vez de formar imagens. A enguia pelicano também tem uma cauda muito longa e semelhante a um chicote. A enguia usa a cauda para se movimentar, e espécies capturadas trazidas a superfície por redes de pesca são conhecidas por terem longas caudas ligadas por vários nós, chegando a medir oitenta centímetros.

Enguia pelicano, o bizarro peixe das profundezas

No final de sua cauda, têm um órgão complexo com numerosos tentáculos, que brilha em tons rosados e emitem ocasionalmente clarões vermelho vivo. Esta é presumivelmente uma atração para atrair suas presas, embora sua presença na extremidade do corpo, longe de sua boca sugeri que a enguia pode ter que adotar uma postura incomum para usá-la efetivamente. O estômago pode esticar e expandir para acomodar grandes refeições, embora a análise do conteúdo do estômago sugira que eles comam principalmente pequenos crustáceos. Apesar do grande tamanho das mandíbulas, que ocupam cerca de um quarto do comprimento do animal, ele possui apenas dentes pequenos, o que não seria consistente com uma dieta regular de peixes grandes.

Enguia pelicano, o bizarro peixe das profundezas

A boca grande pode ser uma adaptação para permitir que a enguia coma uma variedade maior de presas quando a comida é escassa. Também pode ser usado como uma grande rede. A enguia pode nadar em grandes grupos de camarões ou outros crustáceos com a boca aberta, recolhendo-os ao longo do caminho. Quando se alimenta, a água ingerida é expelida pelas brânquias.

Devido às profundidades extremas em que vive, a maior parte do que se sabe sobre a enguia vem de espécimes que são inadvertidamente capturadas em redes de pesca em alto-mar. Embora considerada uma espécie puramente de profundidade, desde 1970, centenas de espécimes foram capturadas por pescadores, principalmente no Oceano Atlântico.

Enguia pelicano, o bizarro peixe das profundezas

Enguia pelicano, o bizarro peixe das profundezas

Enguia pelicano, o bizarro peixe das profundezas

Enguia pelicano, o bizarro peixe das profundezas

Enguia pelicano, o bizarro peixe das profundezas

Enguia pelicano, o bizarro peixe das profundezas

Enguia pelicano, o bizarro peixe das profundezas

Enguia pelicano, o bizarro peixe das profundezas

Enguia pelicano, o bizarro peixe das profundezas

Enguia pelicano, o bizarro peixe das profundezas

Enguia pelicano, o bizarro peixe das profundezas

Abaixo um vídeo de um Eurypharynx pelecanoides avistado pela equipe de exploradores da Nautilus em águas profundas no Havaí.

Fontes: 1 2 3

“A vida é o que fazemos dela. As viagens são os viajantes. O que vemos não é o que vemos, senão o que somos”. – Fernando Pessoa

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 181 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado

Faça nosso trabalho valer a pena. Deixe seu comentário!

Ver Comentários (1)

1 Comentário

  1. Pingback: Enguia pelicano, o bizarro peixe das profundezas – feeds que foram digitado

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Animais

Me chamo Júlio César e moro em Porto Belo/SC. Sou o idealizador do site Magnus Mundi, um site sobre lugares curiosos, estranhos ou inóspitos pelo mundo afora, bem como histórias inusitadas de pessoas, lendas, eventos e outros assuntos interessantes. Feito para as pessoas que gostam de saber mais sobre um determinado assunto que é tratado superficialmente por outros sites do gênero.

Veja mais em Animais

Dindim, o pinguim que sempre retorna para quem o ajudou

Magnus Mundi10 de dezembro de 2018

O pântano de sangue da ilha de Ramree

Magnus Mundi6 de dezembro de 2018

Spirobranchus giganteus, o verme árvore de Natal

Magnus Mundi3 de dezembro de 2018

As cabras escaladoras do Marrocos

Magnus Mundi29 de novembro de 2018

Pirâmide de Ball, a maior ilha vulcânica do mundo

Magnus Mundi24 de novembro de 2018

Aula Museo Abejas del Valle, o museu das abelhas

Magnus Mundi22 de novembro de 2018

Fish wheels, roda de peixes para capturar salmões

Magnus Mundi20 de novembro de 2018

Gurung, os caçadores de mel

Magnus Mundi17 de novembro de 2018

A vespa assassina que transforma baratas em zumbis

Magnus Mundi6 de novembro de 2018

Magnus Mundi é uma revista digital que tem seu conteúdo voltado para lugares, eventos, artes e histórias inusitadas pelo mundo afora

Copyright © 2015 · OceanSite · Desenvolvimento de website e aplicativos para mobiles

Scroll Up