Animais

Espiral da morte

Espiral da morte

As formigas são cegas e elas seguem as trilhas do feromônio que umas vão deixando para as outras. Isso as torna vulneráveis à formação de uma “espiral da morte”, em que as formigas inadvertidamente formam uma espiral que gira continuamente. Nessa curiosa formação, cada formiga segue as que estão na frente e são seguidas pelas que estão atrás. Uma vez que isso acontece não há nenhuma maneira de quebrar o ciclo e as formigas vão marchar até morrerem de exaustão. Esse fenômeno é conhecido no meio científico como Ant Mill ou “moinho de formiga” e foi reproduzido em laboratório com colônias de formigas.

ants-circle2

O naturalista norte-americano William Beebe, observou uma dessas espirais – com 365 metros de circunferência – na selva da Guiana Inglesa. “As formigas acreditavam totalmente que estavam a caminho de um novo formigueiro, pois a maioria carregava ovos, larvas e alimentos, descreveu Beebe, em seu livro de 1921, “Edge of the Jungle”. E calculou que, naquela marcha insana pela floresta, cada formiga levava duas horas e meia para fazer um circuito.

Num vídeo que circula no Youtube se vê formigas correndo aleatoriamente em torno de um Iphone até que esse começa a tocar e em seguida, elas começam a andar em círculo em torno do celular tocando, em uma marcha que os especialistas dizem que é uma reminiscência da espiral da morte. Eles não sabem exatamente o que causa nas formigas para elas agirem dessa maneira, mas têm algumas teorias, entre elas a de quê as formigas são sensíveis à radiação eletromagnética emitida pelo aparelho, pois as formigas têm receptores magnéticos em suas antenas que podem ser afetados pelas ondas eletromagnéticas de uma chamada.

Fontes 1 2

Faça nosso trabalho valer a pena! O seu comentário é o que nos move.

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 1213 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado

Faça nosso trabalho valer a pena. Deixe seu comentário!

Ver Comentários (1)

1 Comentário

  1. Felipe augusto

    17 de abril de 2018 às 10:18

    Site maravilhoso!!!!, A natureza é realmente interessante; Nas palavras de Richard Feynman :” tudo é interessante se você olhar perto o suficiente”….temos muito a aprender com essas criaturas !.

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Animais

Me chamo Júlio César e moro em Porto Belo/SC. Sou o idealizador do site Magnus Mundi, um site sobre lugares curiosos, estranhos ou inóspitos pelo mundo afora, bem como histórias inusitadas de pessoas, lendas, eventos e outros assuntos interessantes. Feito para as pessoas que gostam de saber mais sobre um determinado assunto que é tratado superficialmente por outros sites do gênero.

Veja mais em Animais

Dindim, o pinguim que sempre retorna para quem o ajudou

Magnus Mundi10 de dezembro de 2018

O pântano de sangue da ilha de Ramree

Magnus Mundi6 de dezembro de 2018

Spirobranchus giganteus, o verme árvore de Natal

Magnus Mundi3 de dezembro de 2018

As cabras escaladoras do Marrocos

Magnus Mundi29 de novembro de 2018

Pirâmide de Ball, a maior ilha vulcânica do mundo

Magnus Mundi24 de novembro de 2018

Aula Museo Abejas del Valle, o museu das abelhas

Magnus Mundi22 de novembro de 2018

Fish wheels, roda de peixes para capturar salmões

Magnus Mundi20 de novembro de 2018

Gurung, os caçadores de mel

Magnus Mundi17 de novembro de 2018

A vespa assassina que transforma baratas em zumbis

Magnus Mundi6 de novembro de 2018

Magnus Mundi é uma revista digital que tem seu conteúdo voltado para lugares, eventos, artes e histórias inusitadas pelo mundo afora

Copyright © 2015 · OceanSite · Desenvolvimento de website e aplicativos para mobiles

Scroll Up