Seu o inferno fosse um lugar físico na Terra, Fort Zverev, na Rússia, com certeza seria um bom candidato, quando em 1970, um incêndio em seu interior chegou a uma temperatura de 2.000 graus, fazendo os tijolos derreterem. Fort Zverev se localiza às margens do Mar Báltico, no norte de Kronstadt e é um dos nove fortes construídos para defender St. Peterburgo, no Golfo da Finlândia. Foi construído pelo engenheiro que lhe dá o nome, Konstantin Zverev, em 1860 aproximadamente.

Fort Zverev, a fortaleza que derreteu

O edifício havia sido construído com o teto abobadado, um design diferente de todos os outros que Konstantin Zverev já tinha construído antes. Na verdade, foi ele que, pela primeira vez usou asfalto como isolamento em paredes, tetos e pisos na Rússia. No início do século 20, o forte foi convertido em um armazém de minas da marinha e depósito de munição, e continuou em serviço por muito tempo após o término da Segunda Guerra Mundial, como um local para treinamento militar e prática de tiros.

Fort Zverev, a fortaleza que derreteu

Em 1970, um incêndio devastador ocorreu, durando várias semanas. Quando o fogo finalmente cedeu e a fortaleza resfriada o suficiente para entrar, o lugar, principalmente o porão estava completamente irreconhecível. O incêndio foi tão intenso que literalmente derreteu os tijolos do teto, fazendo-os escorrerem e formarem estalactites. Houve uma mudança de composição química nos tijolo revestidos com asfalto, tornando-os líquido com uma viscosidade muito alta. Não se sabe que tipo de material alimentou o fogo, mas, considerando o dano, era evidente que era algo extremamente inflamável. Em qualquer incêndio doméstico normal, um tijolo não chega a derreter. Isto requer uma temperatura suficientemente alta, pelo menos 1.800ºC. Para efeitos de comparação, um incêndio provocado por vazamento de gasolina produzirá uma temperatura de cerca de 1.100ºC.

Fort Zverev, a fortaleza que derreteu

Alguns especulam que os russos estavam testando um novo tipo de arma, possivelmente com uma alta quantidade de fósforo contendo um composto semelhante ao napalm, que queima a temperaturas superiores a 2.000 graus. De acordo com outra versão, o forte era uma fossa de lubrificantes e de munição desativada, de água de esgoto e resíduos de navios, que foi acidentalmente incendiado por turistas descuidados. Até hoje, ninguém sabe explicar como o incêndio começou e quais foram as suas causas. Especulasse que se o incêndio durasse mais tempo, os prédios entrariam em colapso, com os tijolos sendo derretidos completamente.

Os prédios incendiados foram abandonados e esquecidos por algum tempo, mas atualmente é um dos destinos turísticos mais visitados daquela região russa, devido as características estranhas daquele incêndio.

Fort Zverev, a fortaleza que derreteu

Fort Zverev, a fortaleza que derreteu

Fort Zverev, a fortaleza que derreteu

Fort Zverev, a fortaleza que derreteu

Fort Zverev, a fortaleza que derreteu

Fort Zverev, a fortaleza que derreteu

Fort Zverev, a fortaleza que derreteu

Fort Zverev, a fortaleza que derreteu

Fort Zverev, a fortaleza que derreteu

Fort Zverev, a fortaleza que derreteu

Fort Zverev, a fortaleza que derreteu

Fort Zverev, a fortaleza que derreteu

Fort Zverev, a fortaleza que derreteu

Fort Zverev, a fortaleza que derreteu

Fort Zverev, a fortaleza que derreteu

Fort Zverev, a fortaleza que derreteu

Fort Zverev, a fortaleza que derreteu

 

Fonte: 1 2 3

“Verba volant, scripta manent” (As palavras voam, os escritos permanecem)

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 392 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo! O que achou do artigo??
  • Ótimo
  • Bom
  • Indiferente
  • Poderia ser melhor
Ajude a melhorar o conteúdo do site. Deixe um comentário

Faça um comentário

Seu email não será publicado