Festas e Eventos

Gävle Goat, a cabra vandalizada da Suécia

Gävle Goat, a cabra vandalizada da Suécia

Todos os anos, no período que antecede o Natal, conhecido como Advento, a cidade de Gävle, a cerca de 100 quilômetros ao norte de Estocolmo, na Suécia constrói em Slottstorget, praça do centro da cidade, uma cabra gigante de madeira e palha para a decoração de Natal, e todos os anos, vândalos se esforçam o máximo para incendiar a tal cabra, antes do dia 24 de dezembro.

A cabra de palha de Gävle é uma versão gigante da Yule Goat, que tem sido uma tradição cristã durante muitos séculos na Suécia e em outros países escandinavos. Já a tradição de confeccionar a cabra de Gävle, por outro lado, começou em 1966 como uma forma de atrair mais clientes para o comércio na parte sul da cidade. Desde então, a Gävle Goat, também conhecida como Gavlebocken tem sido um símbolo do Natal, e sempre construída no mesmo lugar.

Há também uma longa tradição de alguém destruí-la ano após ano, antes de chegar o Natal, e por isso, a cabra acabou ganhando uma certa fama internacional, mais pelas vandalizações do que pela tradição em si. Apesar das medidas de segurança e da presença próxima de um posto dos bombeiros, nos últimos cinquenta anos, a cabra foi queimada e derrubada e algumas vezes, jogada no rio, trinta e sete vezes. A Gävle Goat de 2016 nem sequer conseguiu durar 24 horas. As vandalizações chegam a ser ousadas, como invadir o sistema de segurança pela internet e introduzir uma mensagem incentivando as pessoas a destruir a cabra e em 2010, dois homens tentaram (sem sucesso) sequestrar a cabra usando um helicóptero.

A destruição da cabra de palha não é oficialmente parte da tradição de Gävle, mas parece que nem todo mundo tem consciência disso. Em 2001, Lawrence Jones de 51 anos, um turista americano, foi convencido por seus amigos de que fazia parte da tradição, incendiar a cabra e colocou fogo na mesma e foi pego em flagrante. Ele acabou com uma multa de 15 mil dólares, pegou 18 dias de prisão e obrigado a pagar os custos de reconstrução. Na maioria das vezes, o vandalismo é cometido durante a madrugada e até o momento, apenas quatro pessoas foram presas ou condenadas por vandalizar a cabra.

A cidade por sua vez, já tentou de tudo para evitar a destruição, usando cercas de proteção, câmeras de segurança, guardas 24 horas cuidando do bicho de palha, e até tentaram proteger a cabra com uma substância à prova de fogo, usada em aviões. Mas câmeras foram sabotadas, flechas incendiárias lançadas pelas cercas, guardas subornados ou sendo ludibriados e a substância à prova de fogo acabou escorrendo da palha com o orvalho, enfim, nada consegue conter às destruições.

Antes do dia 13 de dezembro, ela é reconstruída todas às vezes que é destruída. Em 1971, apenas cinco anos após a primeira cabra, o grupo de empresários conhecidos como Southern Merchants se cansaram dos repetido incêndios e decidiram parar de reconstruir a cabra. Então o Clube de Ciências Naturais da Escola de Vasa assumiu o trabalho, e a sua primeira cabra batizada de Yule Goat. A primeira foi pequena de apenas dois metros de altura, mas ano após ano, a cabra foi aumentada de tamanho e se tornou tão grande que em 1985, foi incluída no Guinness Book, o livro de recordes. Naquele ano, a Yule Goat foi construída com doze metros de altura.

Gävle Goat, a cabra vandalizada da Suécia

A cabra queimada e vandalizada em 2006. Aos fundos, uma maior foi construída. | Crédito da foto

Devido ao prêmio ganho em 1985, o grupo Southern Merchants decidiu construir novamente a cabra e em 1986, houve duas cabras em Gävle. Ambas foram alvos de vandalismo. Desde então, há uma certa rivalidade entre os grupos construtores, cada um tentando fazer a cabra mais alta. Em 1993, o Clube de Ciências entrou novamente no Guinness Book, com uma cabra com 14,90 metros de altura.

Clique aqui para ver um infográfico da linha de tempo das destruição da cabra de palha (em inglês)

Fontes: 1 2

“Aprenda com o ontem, viva para o hoje, acredite no amanhã. O importante é não parar de questionar!”. – Albert Einstein

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 295 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado

Faça nosso trabalho valer a pena. Deixe seu comentário!

Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Festas e Eventos

Magnus Mundi é uma revista digital que tem seu conteúdo voltado para lugares, eventos, artes e histórias inusitadas pelo mundo afora

Veja mais em Festas e Eventos

La Fetê du Citron, o festival do limão de Menton

Magnus Mundi18 de fevereiro de 2019

Oktoberfest, a maior festa alemã do mundo

Magnus Mundi20 de outubro de 2018

Cardrona Bra Fence, curiosa cerca dos sutiãs

Magnus Mundi16 de abril de 2018

Dragon Escalator, a escada rolante do dragão na China

Magnus Mundi13 de janeiro de 2018

A celebração de Natal na Rússia

Magnus Mundi22 de dezembro de 2017

A árvore de Natal do Monte Ingino

Magnus Mundi21 de dezembro de 2017

A batalha das fogueiras da Holanda

Magnus Mundi20 de novembro de 2017

A casa da abóbora de Kenova

Magnus Mundi31 de outubro de 2017

Rios de sangue da Eid al-Adha, em Bangladesh

Magnus Mundi6 de outubro de 2017

Magnus Mundi é uma revista digital que tem seu conteúdo voltado para lugares, eventos, artes e histórias inusitadas pelo mundo afora

Copyright © 2015 · OceanSite · Desenvolvimento de website e aplicativos para mobiles

Scroll Up