Estranhos

Khuk Khi Kai, a prisão de cocô de galinha

Khuk Khi Kai, a prisão de cocô de galinha

As fezes de galinha tem um cheiro forte e sufocante de amônia, sendo difícil de suportar por mais de alguns minutos. O odor causa uma variedade de reações adversas nos seres humanos, que variam de vômitos, dor de cabeça e irritação, chegando a dar estresse e depressão.

A amônia quando entra no corpo reage com a água para produzir hidróxido de amônio, que é muito corrosivo e causa queimaduras no nariz, garganta e vias respiratórias. A exposição a longo prazo e a inalação de compostos liberados pelo cocô de galinha são prejudiciais aos seres humanos e aos animais.

A toxicidade das fezes das galinhas foi aproveitada por Abbotsford – uma cidade na Colúmbia Britânica, no Canadá. Em 2013, em uma tentativa de expulsar os mendigos das ruas de Abbotsford, os servidores públicos despejaram um caminhão de esterco de galinha e o espalharam por uma área onde os moradores de ruas costumavam acampar.

O editor do jornal Abbotsford Today escreveu um artigo contundente contra a prefeitura, relatando suas ações “perversas” como um ato de guerra química contra os sem-tetos. O prefeito mais tarde emitiu uma nota, pedindo desculpas por suas ações e prometendo limpar o local.

Mas essa não foi a primeira vez que o cocô de galinha havia sido usado como arma contra seres humanos. Em 1893, durante a ocupação francesa na Tailândia, tropas francesas construíram uma pequena cela em Laem Sing, uma pequena cidade costeira na província de Chanthaburi. A estrutura retangular, feita de tijolos vermelhos, tem pouco mais de quatro metros e oito metros de altura, com duas fileiras de fendas de ventilação nas laterais.

A prisão se localizava no andar térreo da estrutura. Acima disso, havia um galinheiro. O piso do galinheiro era uma treliça feita com madeira, fazendo os excrementos das aves caírem diretamente sobre os prisioneiros abaixo. A prisão era conhecida como Khuk Khi Kai, ou “prisão de cocô de galinha”.

Os colonizadores francesas usaram Kluk Khi Kai como método de tortura, para punir os rebeldes tailandeses de Chanthaburi, que se rebelaram contra a ocupação francesa. Alguns historiadores acreditam que a história é apócrifa, e que a estrutura era apenas uma torre de observação.

Khuk Khi Kai, a prisão de cocô de galinha

Crédito da foto

Fontes: 1 2 3

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 168 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo! O que achou do artigo??
  • Ótimo
  • Bom
  • Indiferente
  • Poderia ser melhor
Ajude a melhorar o conteúdo do site. Deixe um comentário
Ver Comentários (1)

1 Comentário

  1. Pingback: Khuk Khi Kai, a prisão de cocô de galinha – Digitado

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estranhos

Curioso desde sempre, queria um lugar para guardar às curiosidades de lugares e histórias inusitadas que lia em livros ou pela internet e assim nasceu o site Magnus Mundi em 2015. Me chamo Julio Cesar, sou natural de Blumenau e morador de Porto Belo, litoral de Santa Catarina.

Veja mais em Estranhos

Hart Island, a ilha dos mortos de Nova Iorque

Magnus Mundi29 de março de 2020

Os esqueletos decorados das catacumbas romanas

Magnus Mundi11 de fevereiro de 2020

Highgate, o cemitério maldito

Magnus Mundi25 de julho de 2019

Triora, a terra das bruxas na Itália

Magnus Mundi25 de Maio de 2019

Shell Grotto, a misteriosa gruta da Inglaterra

Magnus Mundi14 de janeiro de 2019

Roswell: O que caiu aqui?

Magnus Mundi10 de dezembro de 2018

Castelo de Čachtice, o castelo da condessa sanguinária

Magnus Mundi1 de dezembro de 2018

Crazy House, a casa de contos de fadas

Magnus Mundi31 de outubro de 2018

A árvore leprosa de Malawi

Magnus Mundi21 de junho de 2018

Magnus Mundi é uma revista digital que tem seu conteúdo voltado para lugares, eventos, artes e histórias inusitadas pelo mundo afora

Copyright © 2015 · OceanSite · Desenvolvimento de website e aplicativos para mobiles

Scroll Up