Natureza

O belo e misterioso meteorito Fukang

O belo e misterioso meteorito Fukang

O meteorito Fukang, acredita-se ter cerca de 4,5 bilhões de anos, portanto, tão antigo quanto a própria Terra, e foi descoberto perto de uma cidade do mesmo nome, na província chinesa de Xinjiang, em 2000, e possivelmente é a pedra extraterrestre mais impressionante que o homem já viu. O meteorito foi encontrado por uma pessoa simples, morador da região, que ficou intrigado com a rocha. O homem tinha muitas vezes parado e sentado na pedra para descansar, e ele sempre se perguntava de que material era feito aquilo e um dia, finalmente pegou um martelo e um formão e quebrou algumas pedaços, e posteriormente, enviou para os EUA e assim foi confirmado que se tratava de um meteorito.

Fukang-001Originalmente, o meteorito Fukang tinha cerca de 1.003 kg e logo após ser descoberto, uma pedaço de cerca de 20 kg foi removido. Mas o meteorito era tão incrível que todo mundo queria um pedaço. Desde então, tem sido dividido em dezenas de fatias finas e leiloados ou distribuídos ao redor do mundo. Dentro da rocha, cristais translúcidos dourados de um mineral chamado olivina, brilhavam entre um favo de mel prateado constituído de níquel e ferro. Representando só 1% de todos os meteoritos, elas são um dos mais raros tipos desse objeto espacial, com apenas 61 registrados, dos quais 10 foram encontrados na Antártida, e quais quatro tiveram sua queda observada. Em 2005 o caçador de pedras do espaço Steve Arnold desenterrou um meteorito, também constituído do mesmo material de 635 kg no Kansas.

Fukang-002

Um colecionador anônimo detém a maior porção do meteorito Fukang, que pesa 420 Kg. Em 2008, esta peça era esperado arrecadar dois milhões de dólares em um leilão na Bonham, em Nova York, mas o meteorito não foi arrematado.  É tão valioso que mesmo pedaços pequenos são vendidos entre R$ 50,00 a R$ 80,00 por grama de rocha. O laboratório Tucson Gem and Mineral Show, Tucson, no Arizona é quem detém cerca de 30 kg da pedra espacial e garante que é uma das mais notáveis descobertas de meteoritos do século 21.

Segundos peritos o Fukang ofusca todos os outros exemplos conhecidos da classe “Pallasita” (A pallasita é um tipo de pedraferro originada de meteoritos). O laboratório dos EUA afirma que sua fatia polida do meteorito original é a maior seção de meteorito do mundo da classe “Pallasita”, medindo 92 cm por 50 cm. As pallasitas têm seu nome em homenagem ao naturalista alemão Peter Pallas, que no século 18 descreveu esses meteoritos. Nos anos 1790, elas foram usadas por E. F. Fk. Chladni para demonstrar que a queda de meteoritos era uma realidade, já que na época os cientistas consideravam a ideia toda uma fantasia.

Fukang-003

Fukang-004

Fonte: 1 2

Postagens pelo mundo:

Visualização: 1636 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado
Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Natureza

Me chamo Julio Cesar, e moro no litoral de Santa Catarina. Sou o idealizador do site Magnus Mundi, que tem como objetivo descrever lugares curiosos, estranhos ou inóspitos, bem como lendas, eventos inusitados pelo mundo afora.

Veja mais em Natureza

O valioso sangue azul do caranguejo-ferradura

Magnus Mundi11 de junho de 2018

Jingshan, a menor montanha da China

Magnus Mundi16 de abril de 2018

Flor de Udumbara, a flor celestial

Magnus Mundi10 de março de 2018

Crooked Forest, misteriosa floresta da Polônia

Magnus Mundi26 de fevereiro de 2018

O meteorito Hoba, o maior já encontrado na Terra

Magnus Mundi11 de janeiro de 2018

Flor-cadáver, a imensa flor rara e fedorenta

Magnus Mundi7 de dezembro de 2017

Yanweizhou, o parque ecológico da China

Magnus Mundi24 de novembro de 2017

Neuschonau, a caminhada mais alta e longa em árvores do mundo

Magnus Mundi21 de novembro de 2017

Dust Bowl, as tempestades negras de poeira

Magnus Mundi27 de setembro de 2017