Inusitados

O lago perdido do Oregon

O lago perdido do Oregon

lost-lake-004O estado do Oregon, nos Estados Unidos tem pelo menos 19 lagos chamados “Lost Lake”, mas provavelmente apenas um pode-se dizer que se encaixa literalmente, como um lago perdido. Este em particular “Lost Lake” está localizado dentro da floresta nacional de Willamette e durante o outono e inverno norte americano, a maioria das pessoas nem presta muita atenção a este lago, que é um lago raso, rodeado de pinheiros e que fica próximo a rodovia Oregon Highway 20. Mas durante o verão, nos meses de seca, o lago de 85 acres (0,34 km²) desaparece totalmente, transformando o lugar num imenso pasto. As erupções próximas ao local causaram a criação de tubos vulcânicos conhecidos como tubos de lava no fundo do lago que drenam toda a água por um enorme buraco, como se fosse um ralo num banheiro.

No final de outubro, a quantidade de chuva que caem na região aumenta o volume de água do lago, excedendo a capacidade dos tubos de lava de drenar a água e continua assim por todo o inverno com as constantes chuvas e neves que caem na região, fazendo o lago ter 2,7 metros de água na sua parte mais profunda, mas é só acabar a estação da chuva e o lago perde sua fonte de água, deixando o buraco exposto e drenando toda a água, até esvaziar o lago por completo. Esse ciclo de cheia e esvaziamento se repete todos os anos.

Tubos de lava não são incomuns no Oregon, o estado é o lar de uma cadeia de vulcões ativos que se estende do sul da Colúmbia Britânica até o norte da Califórnia. Esses tubos, cujo interior é semelhante ao de uma gruta, se formam quando a lava expelida por um vulcão flui sob a superfície antes de solidificar. A abertura pode ocorrer logo a seguir à erupção ou ser o resultado da erosão da crosta que em tempos tapou a superfície do tubo.  Especialistas não sabem dizer ao certo para onde vai a água que desaparece do lago. Acredita-se que ela se infiltre num nível imediatamente abaixo da superfície, abastecendo o aquífero que alimenta algumas nascentes nas imediações.

Os guardas florestais encontram todos os anos, peças de carro, motores e outros detritos do buraco que drena a água, colocados pelas pessoas que fazem isso por divertimento ou tentando bloquear o escoamento da água e os guardas, alertam que se a água não fosse escoada periodicamente como vem sendo, inundaria a região e inclusive a autoestrada que passa por ali perto.

Fontes: 1 2

Postagens pelo mundo:

Visualização: 326 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado
Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inusitados

Me chamo Julio Cesar, e moro no litoral de Santa Catarina. Sou o idealizador do site Magnus Mundi, que tem como objetivo descrever lugares curiosos, estranhos ou inóspitos, bem como lendas, eventos inusitados pelo mundo afora.

Veja mais em Inusitados

Dogon, o povo das estrelas que vive nas escarpas Bandiagara

Magnus Mundi28 de julho de 2018

Skull Rock, a ilha da caveira da Austrália

Magnus Mundi1 de julho de 2018

Os moinhos em cascata de Folón e Picón

Magnus Mundi22 de junho de 2018

Uma cidade canadense chamada Amianto

Magnus Mundi10 de junho de 2018

A ponte ferroviária El Infiernillo no Peru

Magnus Mundi9 de junho de 2018

A solitária capela dentro do vulcão de Santa Margarida

Magnus Mundi9 de junho de 2018

As pilhas de ossos do cemitério Colon em Havana

Magnus Mundi7 de junho de 2018

Baldwin Street, considerada a rua mais inclinada do mundo

Magnus Mundi1 de junho de 2018

Ko Panyi, aldeia flutuante da Tailândia

Magnus Mundi26 de maio de 2018