Arquitetura

Os moinhos em cascata de Folón e Picón

Os moinhos em cascata de Folón e Picón

Os moinhos de Folón e Picón são uma coleção de 67 moinhos localizados nas encostas do Monte Campo do Couto, no município espanhol de El Rosal, na comunidade autônoma da Galiza. Esses moinhos, construídos durante o século 18, estão dispostos em cascata para poderem compartilhar o mesmo canal de água, e foram declarados Bem de Interesse Cultural pela Junta da Galiza.

A energia fornecida pelas águas à medida que desce a montanha era utilizada para moer milho e trigo, além de trabalhar com linho e lã. Embora não estejam mais em funcionamento, os moinhos lindamente restaurados constituem um conjunto de grande patrimônio cultural e etnográfico da região de El Rosal.

Os moinhos em cascata de Folón e Picón

Moinhos de Folón | Crédito da foto

Os moinhos são construídos em dois grupos. O primeiro grupo chamado Moinhos do Folón, consiste de 36 moinhos e está localizado na encosta do Folón sobre um riacho que também é chamado Folón. O segundo grupo chamado Moinhos do Picón, consiste de 31 fábricas e está localizado nas proximidades do córrego chamado Picón.

A maioria dos moinhos são estruturas de dois andares com o moinho real situado no último andar chamado terminado, enquanto o térreo que é chamado sarteio, é ocupado pelas máquinas que acionam o moinho. São edificações feitas de pedra construídas numa encosta ao pé do rio, para aproveitar toda a força da água com o fim de moer o grão de milho, de centeio ou de trigo para fazer farinha. Alguns deles conservam no exterior pias de pedra usadas como bebedouros e comedouros dos animais, como por exemplo, no moinho número 5 (que tem um alpendre para as cavalarias) ou o 23.

A inscrição mais antiga dessas estruturas data de 1702, embora pareça haver evidências documentadas de que essas instalações estavam em operação no século 17. A existência destes moinhos neste local está provavelmente ligada à influência dos monges no Mosteiro de Santa María de Oia. Alguns dos moinhos pertenciam às aldeias, como propriedade comunal; outros eram de propriedade privada ou compartilhados entre várias famílias, e também havia alguns que foram alugados.

Nas vergas das portas (dintéis), ou nas colunas laterais das portas (jambas) e paredes, tanto interiores como exteriores, podem-se observar, numerosas marcas dos construtores das estruturas, posteriormente, os proprietários dos moinhos também deixaram as suas próprias marcas e sinais, geralmente religiosos, tendo neste caso uma possível função quer protetora quer delimitadora da propriedade. Como exemplo, a inscrição de uma cruz com a oração “Ave Maria” que se observa no moinho número 4 ou de uma cruz com um cálice no moinho número 21.

Em 1988, os moinhos de Folón e Picón foram declarados um local de interesse cultural. Logo depois, o trabalho começou a recuperar e restaurar os moinhos e seus arredores, que estavam em estado de abandono na época. Hoje, há uma trilha de caminhada bem marcada na área, com a possibilidade de visitas guiadas gratuitas para ver e entender o funcionamento das usinas.

Os moinhos em cascata de Folón e Picón

Roda d’água | Crédito da foto

Os moinhos em cascata de Folón e Picón

Roda de pedra para moer grãos | Crédito da foto

Os moinhos em cascata de Folón e Picón

Moinhos do Picón | Crédito da foto

Os moinhos em cascata de Folón e Picón

Moinhos de Picón | Crédito da foto

Os moinhos em cascata de Folón e Picón

Moinhos de Picón | Crédito da foto

Os moinhos em cascata de Folón e Picón

Inscrições num moinho | Crédito da foto

Fontes: 1 2

“É preciso que o discípulo da sabedoria tenha o coração grande e corajoso. O fardo é pesado e a viagem longa”. – Confúcio

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 672 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado

Faça nosso trabalho valer a pena. Deixe seu comentário!

Ver Comentários (1)

1 Comentário

  1. Pingback: Os moinhos em cascata de Folón e Picón – foi Digitado

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Arquitetura

Me chamo Júlio César e moro em Porto Belo/SC. Sou o idealizador do site Magnus Mundi, um site sobre lugares curiosos, estranhos ou inóspitos pelo mundo afora, bem como histórias inusitadas de pessoas, lendas, eventos e outros assuntos interessantes. Feito para as pessoas que gostam de saber mais sobre um determinado assunto que é tratado superficialmente por outros sites do gênero.

Veja mais em Arquitetura

Liebian Building, a maior cachoeira urbana do mundo

Magnus Mundi12 de dezembro de 2018

Castelo de Čachtice, o castelo da condessa sanguinária

Magnus Mundi1 de dezembro de 2018

Cadillac Ranch: A fazenda dos Cadillacs

Magnus Mundi15 de novembro de 2018

Crooked House of Windsor, a casa torta de Windsor

Magnus Mundi3 de novembro de 2018

Crazy House, a casa de contos de fadas

Magnus Mundi31 de outubro de 2018

Como uma ponte de Londres foi parar na América

Magnus Mundi12 de outubro de 2018

Smith Mansion, a casa que matou seu dono

Magnus Mundi4 de outubro de 2018

Casa das Lápides, a casa inusitada da Virgínia

Magnus Mundi2 de julho de 2018

O ninho de Quetzalcoatl no México

Magnus Mundi23 de junho de 2018

Magnus Mundi é uma revista digital que tem seu conteúdo voltado para lugares, eventos, artes e histórias inusitadas pelo mundo afora

Copyright © 2015 · OceanSite · Desenvolvimento de website e aplicativos para mobiles

Scroll Up