Abandonados

Poço superprofundo de Kola

Poço superprofundo de Kola

Poço Superprofundo de Kola (KSDB) é o resultado de um projeto de prospecção científica da extinta União Soviética. O projeto tentava perfurar a crosta terrestre o mais profundamente possível. A prospecção teve início em 24 de maio de 1970 em homenagem ao 100º aniversário de Lenin, no Distrito Pechengsky na península de Kola. Os planos de perfurar o poço de Kola já vinham desde 1960, no meio da Guerra Fria e os soviéticos estavam ansiosos em quebrar o recorde mundial para o poço mais profundo.

Labofratório do projeto Kola Superdeep em 1970

Laboratório do projeto Kola Superdeep em 1970

Vários poços foram perfurados por meio de ramificações de um poço central. O mais profundo, o SG-3 com um diâmetro de 92 cm na superfície e 21,5 cm na parte inferior, atingiu 12 262 metros em 1989, tornando-se por duas décadas, o mais profundo poço já perfurado e o ponto artificial mais profundo da terra. Mais tarde em 2008 perdeu o título para perfurações de petróleo em Al Shaheen no Quatar que chegou a 12.289 metros de profundidade e em 2011 também na exploração de petróleo na ilha russa de Sakhalin, onde atingiram 12.345 metros.

No início do projeto, o objetivo inicial da perfuração era chegar até quinze mil metros. Em 6 de junho de 1979, o recorde de profundidade que pertencia ao poço de ‘Bertha Rogers’, em Oklahoma, Estados Unidos (9 583 metros) foi quebrado. Em 1982, as brocas passaram da profundidade de doze mil metros e a perfuração foi interrompida por cerca de um ano para a comemoração do evento.

Poço superprofundo de kola em 2008

Poço superprofundo de kola em 2008

Este período de parada total pode ter colaborado para a quebra dos ânimos em setembro de 1984: após atingir 12 066 metros, uma seção de cinco quilômetros da coluna de perfuração quebrou e ficou no buraco, impedindo os trabalhos. Em 1989, a profundidade atingiu 12 262 metros. Naquele ano, os técnicos esperavam chegar aos 13,5 mil metros de profundidade no fim do ano seguinte e aos quinze mil metros em 1993.

kola01

O poço lacrado com uma tampa de aço. | Foto de 2012

Porém, devido às inesperadas altas temperaturas na profundidade alcançada, cerca de 180°C, ao invés dos 100°C previstos, uma perfuração mais profunda foi considerada inviável e os trabalhos interrompidos em 1992. Com o esperado aumento da temperatura à medida que profundidades maiores fossem atingidas, a perfuração a 15 mil metros foi calculada como tendo que ser feita a 300°C, o que tornaria impossível o trabalho das brocas e a exploração foi definitivamente interrompida.

kola07

Geologicamente um dos achados mais importantes do super poço de Kola foi achar rochas Gnaisse (rocha metamórfica que se forma sob altas temperaturas e pressão) à 7.000 metros de profundidade. Nesse profundidade, também encontraram terra saturada com água. Isso poderia implicar que a água era parte da composição química dos próprios minerais da rocha e tinha sido forçado a sair dos cristais e impedido de subir por uma camada da rocha impermeável. Outras descobertas foram que as rochas a uma profundidade de 3.000 metros era semelhante às rochas da lua, e em 10.000 metros elas tinham 2,5 mil milhões de anos de idade. Rocha, fósseis de 24 espécies de organismos celulares foram encontrados, contrariando as ideias científicas da época.

Com a dissolução da União Soviética e a falta de investimentos, o projeto foi encerrado no final de 2005. Os laboratórios foram abandonados e os equipamentos de perfuração e pesquisa foram vendidos e o local abandonado de vez em 2008.

kola03

O que restou do laboratório, foto de 2013

Projetos semelhantes

Os Estados Unidos tinham um projeto semelhante em 1957, apelidado de Projeto Mohole , onde a intenção era de perfurar a crosta superficial sob o Oceano Pacífico. No entanto, após alguns perfuração inicial, o projeto foi abandonado em 1966 por causa da falta de investimentos.

A KTB Superdeep (1990-1994) era um projeto alemão em Windischeschenbach, no norte da Baviera e foi perfurado até uma profundidade de 9.101 metros , atingindo temperaturas superiores a 260 ° C.

kola05

Vozes do Inferno

O poço de Kola criou uma lenda urbana que ainda circula pela internet com o nome ‘Well to Hell’. Originou-se com um professor norueguês que queria verificar a credulidade de seus amigos cristãos americanos. Para sua surpresa, a história se espalhou através da mídia fundamentalista cristão para os tablóides e posteriormente para a internet. De acordo com este lenda a perfuração no Kola Superdeep teve que parar quando atingem um espaço oco e medidos temperaturas extremamente altas. Um microfone foi baixado para dentro do poço, e pegou gritos horripilantes. Eles haviam perfurado todo o caminho para o inferno. A história pode ser encontrada em várias versões e formas em toda a Internet. Ele inclui ‘documentários’ duvidosos no Youtube, e remixes dos sons do inferno – que na verdade são baseados em uma gravação de som feito por diversão pelos geólogos no Kola Superdeep.

kola10

Retirando amostras do furo de sondagem

kola15

A marca de 12 km foi atingido. O plano era continuar até uma profundidade de 15 quilômetros.

Arquivo das amostras de rocha do Kola Superdeep em Zapolyarny de 2005

Arquivo das amostras de rocha do Kola Superdeep em Zapolyarny de 2005

kola02

kola04

kola13

Torre onde ficava o poço | Foto: julho de 2009

Fonte: 1 2

Visualização: 2057 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado
Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abandonados

Me chamo Julio Cesar, e moro no litoral de Santa Catarina. Sou o idealizador do site Magnus Mundi, que tem como objetivo descrever lugares curiosos, estranhos ou inóspitos, bem como lendas, eventos inusitados pelo mundo afora.

Veja mais em Abandonados

Hallsands, a vila que desapareceu no mar

Magnus Mundi9 de julho de 2018

Fortaleza de Mimoyecques, a base secreta dos nazistas para destruir Londres

Magnus Mundi24 de junho de 2018

A incrível história de Burro Schmidt e seu túnel

Magnus Mundi18 de junho de 2018

Ämari Air Force Cemetery, o cemitério de pilotos da Estônia

Magnus Mundi9 de junho de 2018

Happy End, acidentes de aviões com finais felizes

Magnus Mundi31 de março de 2018

O obscuro legado da Ilha de Gruinard

Magnus Mundi16 de dezembro de 2017

O polo sul da inacessibilidade

Magnus Mundi14 de dezembro de 2017

As bibliotecas perdidas de Chinguetti

Magnus Mundi29 de novembro de 2017

The donut, a fracassada ilha artificial

Magnus Mundi22 de outubro de 2017