Cemitérios

Separados pela religião, mas de mãos dadas na eternidade

Separados pela religião, mas de mãos dadas na eternidade

Em 1945, com o fim da Segunda Guerra Mundial, várias pequenas facções políticas e religiosas brotaram em toda a Europa. Na Holanda, a sociedade eram (e em algumas áreas, ainda são) divididas em diversos pequenos segmentos ou “pilares” conforme diferentes religiões ou ideologias, que operam separadamente da outra em uma forma não racial de apartheid. Essas divisão ficou conhecida por pilarização (verzuiling em neerlandês) e na Holanda, a divisão era principalmente religiosa, com católicos e protestantes que vivem, de forma eficaz em sociedades separadas.

Todos estes pilares possuem suas próprias instituições sociais: seus próprios jornais, redes de televisão, partidos políticos, sindicatos dos trabalhadores, escolas, hospitais, sociedades cooperativas, universidades, organizações escoteiras e sociedades poliesportivas. Algumas companhias só empregam pessoas de uma especifica religião ou ideologia. Isto resultou em uma situação onde muitas pessoas não tem contato pessoal com pessoas de um outro pilar.

Em 1842, JWC van Gorkum com 33 anos, um coronel da cavalaria holandesa, protestante e que serviu como embaixador na Província de Limburg, graças à sua posição, conheceu a jovem JCPH van Aefferden de 22 anos, que era católica e pertencente a uma das mais importantes famílias nobres da região. Por causa de suas diferenças sociais e acima de tudo, religiosas, tiveram todo tipo de oposição e problemas, mas mesmo assim decidiram se casar em 1842.

Ao longos dos próximos 38 anos, eles viveram um casamento conturbado por causa da oposição das famílias e da sociedade, mas o amor e o respeito um pelo outro falou mais alto, até a morte de van Gorkum em 1880 com 71 anos. Ele foi enterrado em um cemitério na pequena cidade holandesa de Roermond, um lugar onde a pilarização era levado muito a sério e o cemitério era dividido com um muro no meio com 2,5 metros de altura, separando as duas religiões e o coronel foi sepultado na seção protestante deste cemitério.

Van Aefferden faleceu oito anos depois, em 1888, e ela não poderia ser enterrada junto com o marido. Mas em vida, ela deixou um testamento com instruções muito claras, que após sua morte, ela não queria ser enterrada no mausoléu da família, mas sim, o mais perto possível de seu marido. A solução foi sepultá-la na parte católica e às duas lápides separadas pelo muro e pela religião, porém as lápides foram feitas altas e unidas por dois braços de concreto sobre o muro. As lápides são conhecidas por Het Graf met de handjes (A sepultura com as mãos). Foi uma solução elegante num conjunto de regras deselegantes e uma solução alternativa que sobreviveu a pilarização. Um grupo chamado Movimento Popular Holandês (NVB), se mobilizou por mais de um século, para acabar com essa segregação, e foram bem sucedidos e conseguiram mudar a cultura holandesa, em 1960.

Separados pela religião, mas de mãos dadas na eternidade

Túmulo de JWC van Gorkum

Separados pela religião, mas de mãos dadas na eternidade

Túmulo de JCPH van Aefferden

Fonte: 1 2

“Tudo o que o homem não conhece não existe para ele. Por isso, o mundo tem para cada um o tamanho que abrange o seu conhecimento”. – Carlos Bernardo González Pecotche

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 445 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo! O que achou do artigo??
  • Ótimo
  • Bom
  • Indiferente
  • Poderia ser melhor
Ajude a melhorar o conteúdo do site. Deixe um comentário
Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cemitérios

Curioso desde sempre, queria um lugar para guardar às curiosidades de lugares e histórias inusitadas que lia em livros ou pela internet e assim nasceu o site Magnus Mundi em 2015. Me chamo Julio Cesar, sou natural de Blumenau e morador de Porto Belo, litoral de Santa Catarina.

Veja mais em Cemitérios

Highgate, o cemitério maldito

Magnus Mundi25 de julho de 2019

Narcotumbas, os mausoléus faraônicos dos criminosos mexicanos

Magnus Mundi18 de abril de 2019

Casa das Lápides, a casa inusitada da Virgínia

Magnus Mundi2 de julho de 2018

As pilhas de ossos do cemitério Colon em Havana

Magnus Mundi7 de junho de 2018

Grotta del Cane, a caverna que matava cães

Magnus Mundi23 de maio de 2018

Père-Lachaise, onde os mortos nunca descansam

Magnus Mundi14 de abril de 2018

O cemitério no porão da igreja de New Haven Green

Magnus Mundi16 de fevereiro de 2018

Tafofobia, o medo de ser enterrado vivo

Magnus Mundi1 de novembro de 2017

Wadi al-Salam, o mais antigo e maior cemitério do mundo

Magnus Mundi12 de fevereiro de 2017

Magnus Mundi é uma revista digital que tem seu conteúdo voltado para lugares, eventos, artes e histórias inusitadas pelo mundo afora

Copyright © 2015 · OceanSite · Desenvolvimento de website e aplicativos para mobiles

Scroll Up