Abandonados

O Cemitério afundado de Sunken, na ilha de Camiguin

O Cemitério afundado de Sunken, na ilha de Camiguin

O cemitério de Sunken, está localizado na ilha de Camiguin, uma pequena ilha com 14 quilômetros de largura por 33 quilômetros de comprimento, localizada no Mar Bohol.

Camiguin é a menor província das Filipinas, e se localiza a cerca de dez quilômetros da costa norte de Mindanao. Em Janeiro de 1871, os moradores de Bonbon, uma colônia na ilha fundada em 1500 pelos espanhóis, relataram sismos e ruídos subterrâneos. Seguiram-se derrocadas, aparecimento de fissuras na terra e diversos abalos sísmicos.

Em Abril, o vulcão expeliu rochas, poeiras e cinza durante uma semana, formando-se uma cúpula vulcânica que seria mais tarde designada Vulcan. A cúpula chegou aos 457 metros, com uma base de quase 1500 metros após quatro anos. A atividade do Vulcan tem se limitado à emissão de vapor a partir de fissuras no topo da cúpula. A ilha é conhecida como “nascida do fogo“, por ser composta de sete vulcões.

Entre eles, quatro jovens estratovulcão (vulcões compostos) sobrepostos em estruturas vulcânicas mais antigas, se erguem a cerca de 610 metros de altura. Estes incluem Monte Vulcan e Monte Hibok-Hibok (também conhecido como Catarman), ainda considerado ativo, sendo sua última erupção em 1953.

O Hibok-Hibok entrou em erupção cinco vezes na história moderna. A primeira erupção registada aconteceu em 1827. Eles fazem parte dos 22 vulcões ativos das Filipinas, que fazem parte do chamado “Anel de fogo do Pacífico“.

Há também, os vulcões do Monte Tempong, o mais alto, com seu cume a 1.580 metros acima do nível do mar e Monte Mambajao (no centro de Camiguin), o segundo em altura, com 1.420 metros.

Em abril de 1953, uma fissura vulcânica se abriu e começou a despejar lava nas áreas vizinhas e no mar. Quando as erupções cessaram quatro anos depois, o Monte Vulcan nasceu e atingiu uma altura de 590 metros. A erupção do vulcão matou centenas de pessoas que insistiram em ficar no local, mesmo ele dando sinais, há bastante tempo, de uma erupção iminente.

O vulcão continuou expelindo lava ao mar, submergindo grande parte da antiga cidade de Bonbon e Catarman, na época, capital da província, incluindo o cemitério da cidade. Hoje, tudo o que resta da cidade são as ruínas da igreja espanhola São Roque, um convento e um campanário.

Restos das estruturas e lápides do cemitério ainda eram vistos durante a maré baixa até 1948, quando o monte Vulcan entrou em erupção pela quarta vez, e suas lavas enterrou a área mais seis metros. Em 1982, uma grande cruz foi construída sobre a lava solidificada para marcar este antigo local.

Mais de um século se passou, e a natureza exuberante voltou a cobrir as encostas dos morros, bem como, as pessoas reconstruíram a infra estrutura do lugar. A maior parte dos restos mortais do cemitério foram exumados e transferidos para outro local. Onde era o antigo cemitério, hoje se tornou o lar de vários corais e vida marinha.

Sunken Cemetery, na ilha de fogo

Camiguin e o Mar de Bohol | Crédito da foto

Sunken Cemetery, na ilha de fogo

Interior da cruz | Crédito da foto

Publicado originalmente em fevereiro de 2016

Fonte: 1 2

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 598 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo! O que achou do artigo??
  • Ótimo
  • Bom
  • Indiferente
  • Poderia ser melhor
Ajude a melhorar o conteúdo do site. Deixe um comentário
Ver Comentários (2)

2 Comentários

  1. Pingback: Sunken Cemetery, na ilha de fogo – Digitado

  2. Pingback: O Cemitério afundado de Sunken, na ilha de Camiguin – Digitado

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abandonados

Curioso desde sempre, queria um lugar para guardar às curiosidades de lugares e histórias inusitadas que lia em livros ou pela internet e assim nasceu o site Magnus Mundi em 2015. Me chamo Julio Cesar, sou natural de Blumenau e morador de Porto Belo, litoral de Santa Catarina.

Veja mais em Abandonados

Castelos medievais sendo reconstruídos digitalmente

Magnus Mundi3 de abril de 2020

Celles, a vila francesa que foi evacuada à toa

Magnus Mundi16 de março de 2020
James Whitaker Wright

A história de um vigarista e seu salão de baile submerso!

Magnus Mundi28 de junho de 2019

The Impossible Railroad, a ferrovia impossível

Magnus Mundi24 de junho de 2019

Rockall, o rochedo desejado por quatro nações

Magnus Mundi22 de abril de 2019

Burj Al Babas, a cidade dos castelos abandonados

Magnus Mundi27 de janeiro de 2019

Houtouwan, a vila de pescadores abandonada na China

Magnus Mundi24 de janeiro de 2019

Taylor Camp, o paraíso perdido hippie do Havaí (NSFW)

Magnus Mundi31 de dezembro de 2018

Craco, uma cidade italiana abandonada

Magnus Mundi30 de dezembro de 2018

Magnus Mundi é uma revista digital que tem seu conteúdo voltado para lugares, eventos, artes e histórias inusitadas pelo mundo afora

Copyright © 2015 · OceanSite · Desenvolvimento de website e aplicativos para mobiles

Scroll Up