Inusitados

Big Hole, uma cratera cavada com as mãos!

Big Hole, uma cratera cavada com as mãos!

Big Hole ou Great Hole (Grande Buraco) é uma antiga mina de diamantes que fechou em 1914, e agora é uma enorme cratera cheia de água. Há 150 anos, o local onde é hoje o Big Hole era uma colina de topo achatado, mas quando a notícia se espalhou de que tinha sido descoberto diamantes, milhares de garimpeiros, armados com nada mais do que picaretas, pás e esperança, vieram para Kimberley, capital da província de Northern Cape, África do Sul e criaram o maior buraco escavado manualmente do mundo.

De 1866 a 1914, mais de 50 000 mineiros escavaram o buraco, tirando dele 2720 kg em diamantes. O Big Hole ocupa 17 hectares e tem 463 metros de largura, com um perímetro de 1,5 quilômetros. O buraco foi escavado até uma profundidade de 240 metros, e depois enchido com entulho para ajudar a reduzir a sua profundidade a 215 metros. Desde então acumulou água até aos 40 metros abaixo da superfície, inundando 175 metros do buraco. A mina subterrânea de Kimberley foi escavada até uma profundidade de 1097 metros.

Big Hole, uma cratera cavada com as mãos!

Tudo começou já em 1866, quando Erasmus Jacobs, com 15 anos na época, encontrou uma pedra transparente, na fazenda de seu pai, nas margens do rio Orange. Essa pedra mais tarde foi vendido em Londres, depois de ter sido determinada que era um diamante de 21,25 quilates. Cinco anos depois, os irmãos De Beers deram permissão para que garimpeiros holandeses cavassem em sua fazenda em Vooruitzicht, a 122 quilômetros a norte do local onde o diamante foi encontrado. Um diamante maior ainda foi encontrado nas encostas de uma pequena colina chamada Colesberg Kopje, que causou a primeira febre de diamantes na área.

Hordas de mineiros começaram a chegar. Uma pequena colina desapareceu em uma enxurrada de prospecção, com picaretas e pás, extraindo do buraco 22,5 milhões de toneladas de terra. Uma cidade fronteiriça chamada New Rush, foi construída rapidamente, casas espaçosas emergiram praticamente do nada. Em junho de 1873, New Rush foi renomeada para Kimberley por John Wodehouse, Conde de Kimberley e Secretário de Estado britânico para as Colônias. Entre os mais ambiciosos garimpeiros estavam dois ingleses, Cecil J. Rhodes e Barney Barnato. Ambiciosos e empreendedores, construíram propriedade após propriedade e se tornaram os maiores proprietários de mineração na área. Em 1888, eles fundiram suas empresas e assim nasceu a De Beers Consolidated Mines Limited, uma das mais importantes empresas de diamantes do mundo até hoje, e seu prédio principal ainda está em Kimberley.

Big Hole, uma cratera cavada com as mãos!

A mina subterrânea em Kimberley atinge uma profundidade de 1.097 metros. Ao longo dos próximos 15 anos, a África do Sul rendeu mais diamantes do que a Índia tinha conseguido em 2.000 anos. Este grande derramamento de diamantes coincidiu com o esgotamento das jazidas brasileiras e com o aumento da riqueza, particularmente nos Estados Unidos, garantiu que os preços dos diamantes não caíssem, como tinham ocorrido com a descoberta de diamantes no Brasil na década de 1730.

As operações de mineração foram finalizadas em 1914, embora três dos buracos – Du Toitspan, Wesselton e Bultfontein – continuaram abertos até 2005. As operações subterrâneas nas minas de Kimberley só recentemente foram fechadas, e o Big Hole teve um investimento para transformá-lo em uma atração turística. Existe atualmente um esforço para registrar o Big Hole como Patrimônio Mundial.

Big Hole, uma cratera cavada com as mãos!

Hoje em dia, os visitantes podem ir ao Big Hole de metrô, e ao lado do buraco, toda uma estrutura foi montada recriando a época da extração de diamantes, bem como uma ampla seleção de casas, escritórios e lojas originais. Os turistas podem assistir a um filme, visitar o centro de exposições, o museu da Mina de Kimberley ou ir na plataforma de observação que permite obter uma visão panorâmica do grande buraco ou visitar a Cidade Velha, uma recriação de como a cidade foi durante os dias frenéticos da corrida do diamante, onde muitos dos prédios são originais que foram trazidos ao longo dos anos para este local. O museu tem a casa mais antiga em Kimberley – importada da Inglaterra em 1877 – o bar dos mineiros, a academia de boxe de Barney Barnato, uma loja de tabaco, uma reconstrução da propriedade De Beers e imitações de escavações de diamantes .

A poucos quilômetros do centro da cidade encontra-se o mais velho subúrbio residencial de Kimberley, Belgravia, que remonta a década de 1870. Estas casas foram construídas no auge do comércio de diamantes. Este é o lugar onde o patriarca da dinastia de mineração da África do Sul, Harry Oppenheimer, nasceu. Diz-se que naquela época, havia mais milionários nesta área do que em qualquer outro lugar do mundo.

Big Hole, uma cratera cavada com as mãos!

Big Hole, uma cratera cavada com as mãos!

Big Hole, uma cratera cavada com as mãos!

Big Hole, uma cratera cavada com as mãos! Cidade histórica

No passado:

Texto originalmente publicado em 13 de julho de 2015

Fonte: 1 2

Postagens pelo mundo:

Visualização: 1088 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado
Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inusitados

Me chamo Júlio César e moro em Porto Belo, Santa Catarina. Sou o idealizador do site Magnus Mundi, uma revista digital feita para pessoas que gostam de ler e saber mais profundamente sobre lugares curiosos, estranhos ou inóspitos pelo mundo afora, bem como lendas, eventos e outros assuntos inusitados.

Veja mais em Inusitados

Como uma ponte de Londres foi parar na América

Magnus Mundi12 de outubro de 2018

A floresta fantasma de Neskowin

Magnus Mundi10 de outubro de 2018

Shōwa-shinzan, a montanha que o Japão escondeu do mundo

Magnus Mundi6 de outubro de 2018

Os moradores das copas das árvores da floresta de Hambach

Magnus Mundi3 de outubro de 2018

Corippo, a aldeia que se transformará em hotel

Magnus Mundi3 de outubro de 2018

Monte Kali, a montanha branca de sal

Magnus Mundi27 de setembro de 2018

Dogon, o povo das estrelas que vive nas escarpas Bandiagara

Magnus Mundi28 de julho de 2018

Skull Rock, a ilha da caveira da Austrália

Magnus Mundi1 de julho de 2018

Os moinhos em cascata de Folón e Picón

Magnus Mundi22 de junho de 2018
Scroll Up