Abandonados

The donut, a fracassada ilha artificial

The donut, a fracassada ilha artificial

Outer Trial Bank é uma ilha artificial no estuário The Wash National Nature Reserve, numa das maiores baías da Inglaterra, na costa leste do país, na divisa de Norfolk e Lincolnshire. É uma das duas ilhas construídas durante a década de 1970 num projeto do governo de transformar todo o estuário da região em um reservatório de água doce. A ideia para o estuário era construir uma barragem de marés e uma estação de energia na entrada da baía, juntamente com um reservatório de água doce, para capturar a água doce dos rios da região que desembocavam no estuário. A ilha peculiar com 250 metros de diâmetro é conhecida localmente como “the donut” por ser perfeitamente circular, com um reservatório no meio, se assemelhando a uma rosquinha gigante.

As duas ilhas de teste começaram a ser construída em 1975, com a finalidade de pesquisar a eventual qualidade da água no futuro reservatório que seria feito ali, no antigo terreno que um dia já havia sido fundo do mar. A ilha é foi construída com areia dragada e depositada sobre uma estrutura feita de gaiolas cheias de pedras (gabiões), com um reservatório central de 2,5 hectares. O projeto falhou porque as ilhas construídas usaram a areia salgada dragada do estuário que acabou salinizava a água fresca armazenada, no reservatório central. Este também foi o motivo de não ter sido usado todo o estuário como um grande deposito de água doce. Depois de ter sido gastos três milhões de libras esterlinas, o projeto foi abandonado em 1976, mas a ilha permaneceu teimosamente no meio do estuário como uma lembrança de seu fracasso.

Raramente a ilha é incluída em mapas, embora se destaque como um dos pontos mais altos da costa, destoando da forma plana e pantanosa do Wash. O the donut é claramente visível nas imagens de satélite, e visto de cima se parece com o local atingido por um meteoro. Agora, essas ilhas artificiais ganharam uma nova importância como uma colônia de aves criadoras, com cerca de três mil pares de aves marinhas usando-a como local para seus ninhos.

Fontes: 1 2 3

“Onde meus talentos e minhas paixões encontram as necessidades do mundo, lá está o meu caminho, o meu lugar”. – Aristóteles

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 525 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado

Faça nosso trabalho valer a pena. Deixe seu comentário!

Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abandonados

Me chamo Júlio César e moro em Porto Belo/SC. Sou o idealizador do site Magnus Mundi, um site sobre lugares curiosos, estranhos ou inóspitos pelo mundo afora, bem como histórias inusitadas de pessoas, lendas, eventos e outros assuntos interessantes.

Veja mais em Abandonados

Rockall, o rochedo desejado por quatro nações

Magnus Mundi22 de abril de 2019

Burj Al Babas, a cidade dos castelos abandonados

Magnus Mundi27 de janeiro de 2019

Houtouwan, a vila de pescadores abandonada na China

Magnus Mundi24 de janeiro de 2019

Sunken Cemetery, na ilha de fogo

Magnus Mundi2 de janeiro de 2019

Taylor Camp, o paraíso perdido hippie do Havaí (NSFW)

Magnus Mundi31 de dezembro de 2018

Craco, uma cidade italiana abandonada

Magnus Mundi30 de dezembro de 2018

As bibliotecas perdidas de Chinguetti

Magnus Mundi5 de dezembro de 2018

Castelo de Čachtice, o castelo da condessa sanguinária

Magnus Mundi1 de dezembro de 2018

Ilha Hashima, a ilha fantasma do Japão

Magnus Mundi28 de novembro de 2018

Magnus Mundi é uma revista digital que tem seu conteúdo voltado para lugares, eventos, artes e histórias inusitadas pelo mundo afora

Copyright © 2015 · OceanSite · Desenvolvimento de website e aplicativos para mobiles

Scroll Up