Arquitetura

Tianducheng: A falsa Paris na China

Tianducheng: A falsa Paris na China

Os chineses são famosos por copiar tudo que possa ser de interesse para seu país, podendo ser um simples produto a uma cidade inteira, como é o caso de Tianducheng, um bairro nos subúrbios de Hangzhou na China, em que não só a Torre Eiffel foi copiada, como também outros monumentos, habitações, jardins, estátuas e outros da “Cidade Luz” da França.

Réplicas de monumentos famosos são comuns em todo o mundo, mas há algo obsessivo em querer fazer uma cidade similar a já existente. Distribuída por 31 quilômetros quadrados, a cópia de Paris foi inaugurada em 2007. A torre Eiffel copiada tem mais de 108 metros de altura, ou um terço do tamanho da original. Também foi feito cópia do Arco do Triunfo, do Parque Versalhes e todo um bloco de edifícios residenciais construído em estilo europeu. A avenida principal da região recebeu o nome da famosa Champs Elysées.

Tianducheng: A falsa Paris na China

O fotógrafo Francois Prost, natural de Paris, curioso pela cópia da sua cidade a quinze mil quilômetros de distância, viajou até o destino para registrar tudo. Produziu uma série de fotos chamada “Síndrome de Paris“, que mostra cenas da capital francesa lado a lado com edifícios similares em Tianducheng. A imagens de amplo boulevard francês alinhado com prédios de apartamentos tradicionais da Era Hausmann e esculturas públicas clássicas parisiense, que são difíceis de distinguir do original.

Tianducheng: A falsa Paris na China

As pessoas que vivem em Tianducheng vivem lá, como se vivessem em qualquer outro lugar da China“, observa o fotógrafo. Mesmo as opções de refeições se assemelham ao resto do país, com cantinas de rua e restaurantes que servem pratos típicos chineses. ” Eu pensei que talvez por viverem numa aura parisiense, eles também tivessem tentado recriar o jeito francês de viver“, comentou Prost.

Tianducheng: A falsa Paris na China

A empresa Zhejiang Guangsha Co. Ltd. é a responsável pela construção do condomínio fechado que durou cinco anos. A ideia de criar uma “pequena Paris” na China, foi numa época em que o país vivia um boom da construção: este projeto em larga escala poderia atrair investidores estrangeiros e afetar positivamente o crescimento do PIB no país. Quase que simultaneamente com a cidade de Tianducheng, também foram construídas outras cidades que se assemelham as europeias. Projetada inicialmente para uma população de 10.000 pessoas até 2013, Tianducheng, tinha apenas dois mil, e por isso ficou conhecida como uma cidade fantasma.

Tianducheng: A falsa Paris na China

No entanto, o interesse mudou com incentivos do governo e com o aparecimento de transportes públicos, tais como o projeto da construção de uma linha de metro para ligar Tianducheng ao centro de Hangzhou. A vontade de ali viver passou a ser visto como uma boa escolha. Em Tianducheng agora vivem, sobretudo, pessoas da classe média e já há comércio nas avenidas largas e bem arranjadas. A população atingiu os 30.000 habitantes (2017) e continua a crescer.

Todas as fotografias à esquerda estão na China, da série Síndrome de Paris. .

Tianducheng: A falsa Paris na China

Tianducheng: A falsa Paris na China

Tianducheng: A falsa Paris na China

Tianducheng: A falsa Paris na China

Tianducheng: A falsa Paris na China

Tianducheng: A falsa Paris na China

Tianducheng: A falsa Paris na China

Tianducheng: A falsa Paris na China

Tianducheng: A falsa Paris na China

Tianducheng: A falsa Paris na China

Tianducheng: A falsa Paris na China

Tianducheng: A falsa Paris na China

Tianducheng: A falsa Paris na China

Tianducheng: A falsa Paris na China

Tianducheng: A falsa Paris na China

Tianducheng: A falsa Paris na China

Tianducheng: A falsa Paris na China

Tianducheng: A falsa Paris na China

Tianducheng: A falsa Paris na China

Tianducheng: A falsa Paris na China

Tianducheng: A falsa Paris na China

Tianducheng: A falsa Paris na China

Fontes: 1 2 3

“Suba a montanha não para fixar a sua bandeira, mas para abraçar o desafio, desfrutar do ar e usufruir da paisagem. Escale-a para que possa ver o mundo, não para que o mundo possa te ver”. – David McCullough Jr.

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 21 vezes

Deixe seu comentário! Faça nosso trabalho valer a pena!
Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Arquitetura

Me chamo Julio Cesar, e moro no litoral de Santa Catarina. Sou o idealizador do site Magnus Mundi, que tem como objetivo descrever lugares curiosos, estranhos ou inóspitos, bem como lendas, eventos inusitados pelo mundo afora.

Veja mais em Arquitetura

Seaweed House, as casas de algas da Ilha de Læsø

Magnus Mundi10 de Fevereiro de 2018

Coconut Palace, o Palácio de Coco em Manila

Magnus Mundi5 de Fevereiro de 2018

Bailong: O mais alto elevador panorâmico do mundo

Magnus Mundi11 de Janeiro de 2018

O navio sobre o penhasco em Jeongdongjin

Magnus Mundi22 de dezembro de 2017

A igreja Sagrada Família de Gaudí

Magnus Mundi11 de dezembro de 2017

Haohan Qiao, a ponte dos homens bravos na China

Magnus Mundi7 de dezembro de 2017

Yanweizhou, o parque ecológico da China

Magnus Mundi24 de novembro de 2017

Heródio, a fortaleza do rei Herodes

Magnus Mundi11 de novembro de 2017

A casa da abóbora de Kenova

Magnus Mundi31 de outubro de 2017