Abandonados

Times Beach, a cidade tóxica americana

Times Beach, a cidade tóxica americana

A antiga cidade da Times Beach, no Missouri, Estados Unidos, a cerca de 27 km ao sudoeste de St. Louis, foi fundada a partir de uma estranha promoção de um jornal. Em 1925, o extinto jornal “The St. Louis Star-Times” oferecia seis meses de assinatura do jornal por 67,50 dólares (900 dólares atualmente) e junto o assinante, receberia um lote no tamanho de 6 por 30 metros, em uma grande extensão de terras propensa a inundações, ao longo do rio Meramec.

Eram lotes pequenos, e a pessoa precisava de pelo menos dois para construir uma casa, e ao construí-la teria que ser sobre palafitas. O anúncio era de página inteira, e o slogan da promoção dizia “o calor sufocante e o desconforto da cidade são desconhecidos em Times Beach.” A ideia do jornal seria de conquistar empresários, profissionais liberais e pessoas prosperas de St. Louis a terem uma casa em Times Beach para relaxar, passar as férias de verão ou pegar alguns peixes no final de semana.

Se a promoção foi bem-sucedida, porém, é uma questão de ponto de vista, mas a cidade nunca se tornou o resort de verão que o jornal almejava. A Grande Depressão seguido do racionamento de gasolina durante a Segunda Guerra Mundial, fez as pessoas irem para Times Beach fugindo dos altos custos de vida das cidades grandes, e assim o lugar acabou se tornando uma comunidade de famílias de classe média baixa, e lentamente, a cidade cresceu. As antigas casas sobre palafitas foram substituídas por casas modulares e até mesmo algumas casas de alvenaria. Cerca de 2.000 pessoas viveram na cidade até sua evacuação forçada em 1985.

No início dos anos 1970, a cidade não tinha dinheiro para pavimentar as estradas e enfrentava sérios problemas com a poeira. O vento forte vindo do rio, soprava o pó, sujando as casas, lojas e infernizando as pessoas. Na época, a solução era pulverizar as estradas com óleo usado, que fazia a poeira se aglutinar, tornando-se difícil de ser levada pelo vento. Embora esse método soasse como uma ideia horrível as pessoas atualmente, na época muitas cidades pequenas do interior utilizavam o método, era ruim, mas não catastrófico. Times Beach foi exceção, e acabou se tornando o lugar do mais estranho desastre ambiental do Estados Unidos.

Em 1971, Judy Piatt contratou Russell Martin Bliss para pulverizar óleo usado em sua fazenda de cavalos em Moscow Mills. Ninguém sabia, mas o óleo continha níveis altos de dioxina, e dentro de alguns dias, gatos, cães e pássaros começaram a morrer. Os 62 cavalos da fazenda ficaram doentes e todos sem exceção, morreram após alguns dias. O pior, as duas filhas do fazendeiro também ficaram doentes, tendo dores de cabeça, hemorragias nasais, dor abdominais e diarreia. Médicos e veterinários ficaram perplexos e Piatt suspeitou da pulverização e confrontou Bliss que alegou usar apenas óleo usado de cárter e então contatou as autoridades que não deram muita importância ao problema.

Piatt resolveu ele mesmo investigar a empresa de Bliss e começou a segui-lo e a seus caminhões e descobriu que Bliss tinha sido também contratado para dar fim a resíduos industriais, provenientes de uma fábrica de produtos químicos (Nordeste Pharmaceutical and Chemical Company – NEPACCO) que tinha sido utilizada para produzir o agente laranja, um herbicida usado pelos Estados Unidos na Guerra do Vietnã, para destruir florestas e assim combater os guerrilheiros vietnamita. Mas o agente laranja continham um composto extremamente tóxico conhecido como dioxina, responsável por doenças graves, e até mesmo mortes de dezenas de milhares de vietnamita, na época considerada a toxina mais potente sintetizada pelo homem.

Times Beach, a cidade tóxica americana

Aviso na entrada da cidade em 1985 | Crédito da foto

Muito desse resíduo industrial, Bliss enterrou em tambores, outros ele espalhou em sua fazenda e uma grande parte ele misturou no óleo usado, antes de vende-lo como supressores de poeira nos estados de Missouri e Illinois e assim durante quatro anos, entre 1972 e 1976, Bliss foi contratado para pulverizar as estradas de Times Beach e eliminar o problema da poeira.

Em 1982, a Environmental Protection Agency (EPA) realizou testes em algumas amostras de terra, descobrindo que a quantidade de dioxina era 100 vezes maior do que era considerado seguro para seres humanos. E para piorar, em dezembro de 1982, uma inundação do rio Meramec, espalhou ainda mais a contaminação do solo pela cidade e outras áreas. Com as doenças e mortes de animais o pânico se espalhou e a pressão sobre o governo aumentou e em 1983, o presidente Ronald Reagan formou uma força tarefa para estudar os efeitos da dioxina e liberou 32 milhões de dólares para a cidade.

Times Beach, a cidade tóxica americana

Área pantanosa no Route 66 State Park, anteriormente era a cidade de Times Beach | Crédito da foto

Dois anos mais tarde, em 1985, toda a população de mais de 2.000 moradores foram evacuados, com a exceção de um casal de idosos que se recusou a sair. O lugar inteiro foi colocado em quarentena. Mas, mesmo tendo que se mudar, a preocupação das pessoas com o efeito a longo prazo da toxina continuava e pior, com a ampla cobertura do caso pela impressa, os antigos moradores de Times Beach foram rejeitados pela população dos lugares que eles foram realocados, que temiam a contaminação.

Milhares de processos foram abertos contra Bliss, NEPACCO e seus subcontratados. Embora a prática de Bliss foram questionados, ele nunca foi implicado ou condenado por qualquer crime. Quanto às ações judiciais envolvendo as empresas químicas, não havia leis em vigor que regulamentavam a eliminação de resíduos perigosos na época. Durante anos após a evacuação, o lugar ficou vazio atrás de barricadas que protegiam o público curioso da ameaça tóxica, enquanto o Governo Federal decidia o que fazer.

Times Beach, a cidade tóxica americana

Trilha onde anteriormente ficava a cidade de Times Beach | Crédito da foto

Durante os anos de 1996 e 1997, o governo retirou 265.000 toneladas de solo contaminado e detritos de Times Beach e outros 28 locais de Missouri a um custo de 110 milhões de dólares. Um incinerador foi construído em Time Beach, pela NEPACCO e o solo incinerado. Em 1997, o incinerador foi desmontado e o lugar entregue ao Estado de Missouri. Apesar da toxina dioxina ser ligada a câncer, doenças de pele, doenças imunológicas e defeitos de nascença, o efeito a longo prazo sobre os moradores expostos ainda é desconhecida.

Com a garantia da EPA de que o lugar era seguro, o governo do estado começou a fazer planos para o local, e como a histórica rota 66 passava pela cidade, a ideia de um parque começou a tomar forma, e assim em 1999, foi inaugurado o parque Route 66 State Park, que inclui um pedaço da Rota 66, a ponte sobre o rio Meramec e um museu sobre a estrada histórica, que foi instalado numa antiga pousada, a única edificação de Times Beach que ainda está de pé.

Times Beach, a cidade tóxica americana

Vista aérea tirada em 1939 | Crédito da foto

Times Beach, a cidade tóxica americana

Times Beach, a cidade tóxica americana

Russell Martin Bliss, acabou não sendo preso pela contaminação, mas virou motivo de piadas em adesivo

Times Beach, a cidade tóxica americana

Ponte que cruza o rio Meramac e faz parte da rota 66 e acesso a cidade de Times Beach

Fontes: 1 2 3

“Verba volant, scripta manent” (As palavras voam, os escritos permanecem)

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 761 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado

Faça nosso trabalho valer a pena. Deixe seu comentário!

Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abandonados

Me chamo Júlio César e moro em Porto Belo/SC. Sou o idealizador do site Magnus Mundi, um site sobre lugares curiosos, estranhos ou inóspitos pelo mundo afora, bem como histórias inusitadas de pessoas, lendas, eventos e outros assuntos interessantes. Feito para as pessoas que gostam de saber mais sobre um determinado assunto que é tratado superficialmente por outros sites do gênero.

Veja mais em Abandonados

As bibliotecas perdidas de Chinguetti

Magnus Mundi5 de dezembro de 2018

Castelo de Čachtice, o castelo da condessa sanguinária

Magnus Mundi1 de dezembro de 2018

Ilha Hashima, a ilha fantasma do Japão

Magnus Mundi28 de novembro de 2018

Castaway Depots, os depósitos de sobrevivência da Nova Zelândia

Magnus Mundi11 de outubro de 2018

A floresta fantasma de Neskowin

Magnus Mundi10 de outubro de 2018

Salton Sea, o lago criado acidentalmente

Magnus Mundi21 de setembro de 2018

Kola Superdeep, um dos buracos mais profundo do mundo

Magnus Mundi19 de setembro de 2018

Hallsands, a vila que desapareceu no mar

Magnus Mundi9 de julho de 2018

Fortaleza de Mimoyecques, a base secreta dos nazistas para destruir Londres

Magnus Mundi24 de junho de 2018

Magnus Mundi é uma revista digital que tem seu conteúdo voltado para lugares, eventos, artes e histórias inusitadas pelo mundo afora

Copyright © 2015 · OceanSite · Desenvolvimento de website e aplicativos para mobiles

Scroll Up