Atualidade

A casa da abóbora de Kenova

A casa da abóbora de Kenova

Jack-O’-Lantern (Jack da Lanterna) é o apelido dado a uma abóbora esculpida e iluminada feita como enfeite para o Halloween, o Dia das Bruxas, que é uma celebração que acontece em vários países, principalmente em países de língua inglesa, no dia 31 de outubro, véspera da festa cristã ocidental do Dia de Todos os Santos. Nos Estados Unidos, a abóbora esculpida foi primeiramente associada com a estação da colheita, muito antes de se transformar num símbolo do Halloween. Em 1900, um artigo sobre o Dia de Ação de Graças recomendava lanternas de abóbora como parte das festividades.

A casa da abóbora de Kenova

A casa da abóbora em 2010 | Crédito da foto

A Pumpkin House, é uma casa em estilo vitoriano do século 19, localizada na Beech Street em Kenova, em West Virginia nos Estados Unidos, e seu proprietário leva muito a sério esse enfeite dos Dias das Bruxas, a ponto de ter 3.000 abóboras esculpidas à mão a cada Halloween, enfeitando todos os espaços da fachada da casa, seja no jardim, varanda ou no telhado. Um espetáculo que trás cerca de 30.000 pessoas por ano para Kenova, para verem as abóboras brilhando sinistramente no escuro pela luz vinda de seu interior.

Tudo começou em 1978, com o ex prefeito da cidade Ric Griffith, que colocou cinco abóboras decoradas na varanda de sua casa, uma para cada membro de sua família, na casa onde residiam no Condado de Wayne. No ano seguinte ele aumentou para 20 abóboras, e depois para 200 e foi aumentando a quantidade de abóboras a cada ano. Em 1991, sua família mudou-se para a casa atual, bem maior de duas águas e com um grande quintal e não parou com a tradição, sempre acrescentando mais abóboras a cada Halloween, com a ajuda dos amigos, vizinhos e voluntários. No ano 2000, decidiu exibir duas mil abóboras em sua casa.

A casa da abóbora de Kenova

Decoração da casa em 2007 | Crédito da foto

Fazer 2.000 abóboras exigiu um esforço enorme, e alguns amigos mais íntimos, aconselharam ele a não fazer tantas assim. Mas havia muito espaço ainda para ser preenchido no quintal e na casa e muitas outras pessoas se oferecendo como voluntárias para ajudar no trabalho. Assim, ele decidiu aumentar a quantidade de abóboras em 3.000 e parar nessa quantidade. Desde então mais de 500 voluntários se revezam em ajudar a desenhar, esculpir e em toda a logística que este trabalho exige. Pelas suas contas, cerca de 56.000 abóboras foram utilizadas como decoração em suas duas casas desde 1978 e gasta por ano em torno de 6.000 dólares na compra das abóboras.

Elas são alinhadas na varanda, nos beirais e em grande parte do telhado. Também estão em longas fileiras sobre bases de madeira no jardim e ao longo dos extremos da propriedade. As abóboras são esculpidas numa enorme variedade de temas, incluindo esportes, música, personagem de desenho animado e pessoas famosas. Neste ano, a novidade eram as abóboras esculpidas com os rostos de todos os presidentes dos Estados Unidos. As abóboras ficam expostas por cinco dias, sendo iluminadas por lâmpadas elétricas, tendo até uma parede onde acendem e apagam ao som de uma música orquestrada e sincronizada por computador. São retiradas quando começam a murchar e apodrecer e são doadas aos agricultores para alimentação animal.

A casa da abóbora de Kenova

Parede de abóbora que acendem e apagam conforme uma música | Crédito da foto

A Casa da abóbora, originalmente conhecida como The Beeches, foi construída em 1891 para um banqueiro local e empresário que foi comissário da Receita Federal, no governo do presidente Grover Cleveland. A casa foi posteriormente adquirida por Ric Griffith, que também é farmacêutico da cidade. A celebração do Dia das Bruxas da Pumpkin House faz parte do festival anual da Autumnfest Kenova, comemorado no último fim de semana de outubro.

A casa da abóbora de Kenova

Em torno de 500 pessoas se revezam como voluntárias para que a casa seja decorada por 3.000 abóboras | Crédito da foto

Fontes: 1 2 3

“Verba volant, scripta manent” (As palavras voam, os escritos permanecem)

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 89 vezes

Deixe seu comentário! Faça nosso trabalho valer a pena!
Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Atualidade

Meu nome é Julio Cesar, e sou de Santa Catarina e idealizador do site Magnus Mundi. O site tem como objetivo informar sobre lugares curiosos, estranhos ou inóspitos e também histórias, lendas, eventos inusitados pelo mundo afora.

Veja mais em Atualidade

Rios de sangue da Eid al-Adha, em Bangladesh

Magnus Mundi6 de outubro de 2017

Os cemitérios de bicicletas abandonadas da China

Magnus Mundi22 de agosto de 2017

Bételes, os chicletes de Taiwan

Magnus Mundi22 de novembro de 2016

Astolat Dollhouse Castle, a casa de boneca que vale oito milhões de dólares

Magnus Mundi16 de julho de 2016

Na Guatemala, mortos são despejados de suas covas

Magnus Mundi3 de julho de 2016

As sinistras nuvens tsunamis

Magnus Mundi14 de novembro de 2015

Museu da Cidade, um playground numa fábrica abandonada

Magnus Mundi14 de novembro de 2015

Streaking ou Chispada, o ato de correr nu! (NSFW)

Magnus Mundi21 de outubro de 2015

Sol, areia e diversão nas praias artificiais de Paris

Magnus Mundi17 de outubro de 2015