Desastres

Dust Bowl, as tempestades negras de poeira

Dust Bowl, as tempestades negras de poeira

Como se a Grande Depressão que se abateu em 1930 sobre os Estados Unidos não fosse suficiente, os agricultores do Centro Oeste se viram arrasados, nesse mesmo ano, por outra calamidade: uma série de terríveis tempestades de areia. Vários estados da região das Grandes Planícies foram afetados, em particular Oklahoma, Kansas, Colorado e Texas. Embora esse fenômeno, batizado com o nome de Dust Bowl (bola de poeira), fosse para alguns um castigo divino, na verdade era provocado pelo tipo de agricultura que se praticava nessas zonas semidesérticas. No começo do século 20, um período excepcionalmente chuvoso fez com que os imigrantes europeus acreditassem que essas terras podiam ser férteis.

Dust Bowl, as tempestades negras de poeira

A enorme tempestade do Domingo Negro quando se aproxima de Ulysses, Kansas, 14 de abril de 1935. Crédito da foto: Museu Histórico Adobe, Ulysses, KS

As tempestades ocorreram em três eventos (1934, 1936 e 1939/1940), mas algumas das regiões das Grandes Planícies experimentaram condições de seca por quase oito anos. O termo “bola de poeira” foi inventado por Edward Stanley, editor de notícias da Associated Press, de Kansas City. Inicialmente, referia-se à área geográfica afetada por uma severa tempestade de areia num evento que ocorreu em abril de 1935, mas hoje todo o evento é chamado de Dust Bowl.

A seca transformou o solo antes fértil em uma camada fina de poeira negra semelhante a farinha ou pó de gesso. Quilômetros de campos cobertos de poeira. Quando o vento soprou sobre essas campos, a poeira acumulada se levantou formando enormes nuvens com centenas de metros de altura e chegando a viajavam a uma velocidade de 200 quilômetros por hora, crescendo a medida que engolia fazendas e plantações pelas pradarias, arruinando tudo em poucas horas o que os colonos levaram décadas para criar. Além da seca, uma onda de calor sem precedentes arrasou o país em 1936. As Black blizzards como eram chamadas pelos habitantes do Centro Oeste, persistiriam assim durante praticamente toda a década, arruinando os agricultores que já sofriam gravemente pelos estragos da crise econômica.

Dust Bowl, as tempestades negras de poeira

Máquinas e ferramentas enterradas numa fazenda pela areia; Dallas, South Dakota, maio de 1936.

O efeito “dust bowl” foi provocado por anos de práticas inadequadas de manejo do solo. Este se tornou susceptíveis às forças do vento, que provocaram uma seca induzida pelo alto nível de partículas de solo suspensas no ar. O solo, despojado de umidade, era levantado pelo vento em grandes nuvens de pó e areia tão espessas que esconderam o sol durante vários dias. Esses dias eram chamados também como “nevasca negra” ou “tempestade negra“.

Os prejuízos agrícola e econômico devastaram as Grandes Planícies. A seca Dust Bowl piorou as já graves crises econômicas que muitos dos agricultores enfrentavam durante a Grande Depressão. No início da década de 1930, muitos deles procuravam recuperar das perdas econômicas. Para compensar começaram a incrementar as colheitas. A grande produção baixou os preços, forçando  os agricultores a incrementar ainda mais as colheitas para pagar as suas terras e as suas dívidas. Com o impacto da seca, os agricultores já não puderam produzir a quantidade suficiente para pagar empréstimos e as suas necessidades básicas. Mesmo com a ajuda federal de emergência, muitos agricultores das Grandes Planícies não puderam suportar a crise econômica da seca. Muitos foram forçados a deixar as suas terras: uma em cada dez fazendas mudou de dono no auge da crise.

Dust Bowl, as tempestades negras de poeira

As grandes planícies continham uma vegetação natural que suportava longas estiagens, e ainda segurava a terra no lugar e gerava umidade, ajudando nas precipitações em períodos chuvosos. Após o fim da Guerra Civil em 1865, uma série de atos federais de terra foram aprovados, concedendo aos colonos, centenas de hectares de terra, para plantarem trigo, milho, cevada e outras gramíneas, essa capa de vegetação natural foi retirada para o plantio e deixou a terra sem proteção. Com a primeira estiagem, as culturas morreram e deram lugar à terra nua, sem umidade e prolongando a seca mais do que o normal.

Dust Bowl, as tempestades negras de poeira

Em março de 1932, os habitantes de Kansas enfrentaram vinte dias consecutivos de tempestade e escuridão. O ano de 1933, contabilizou 193 dias de tempestade. A tempestade podia bloquear o sol e fazer com que a temperatura caíssem até 40 graus Farenheit em apenas uma hora. Em 14 de Abril de 1935, o Dust Bowl experimentou a sua maior provação. O dia que ficou conhecido como Black Sunday (Domingo Negro) começou bonito e com um sol agradável que motivou as pessoas a sair de suas casas. Muitos resolveram fazer piqueniques ou visitar parentes e amigos. Mal sabiam que mais de vinte tempestades estavam prestes a se formar simultaneamente na mais forte tempestade da época.

As primeiras nuvens foram avistadas ao meio dia e rapidamente os ventos começaram a varrer a região erguendo uma quantidade de poeira capaz de preencher o equivalente a 50 estádios dos Yankees de Nova York (uma arena para 70 mil espectadores). As pessoas fugiam e se refugiavam em celeiros, carros e porões. Aqueles que foram colhidos pela tempestade experimentaram um verdadeiro inferno na Terra. Muitos desapareceram.

Dust Bowl, as tempestades negras de poeira

O resultado foi as tempestades de areia constantes, alterando ainda mais o clima existente na região, inclusive chegando a Chicago, Washington, Nova Iorque e na longínqua Boston, com relatos até de navios em pleno Atlântico Norte divulgando que seus decks ficavam sujos de areia. No final da década de 1930, o presidente Franklin Roosevelt iniciou um enorme projeto, conhecido como “cinturão de proteção” para plantar centenas de milhões de árvores nas Grandes Planícies e assim criar uma barreira as tempestades de areia.

Dust Bowl, as tempestades negras de poeira

Foram plantadas 220 milhões de árvores que se estendiam em uma zona de 160 quilômetros de largura que ia do Canadá até o norte do Texas, para proteger a terra da erosão do vento. Até hoje, continua sendo o maior e mais focado esforço do governo dos EUA para enfrentar um problema ambiental. Também iniciou o Programa New Deal que ensinava os fazendeiros técnicas para prevenir a erosão do solo a partir de rotação dos campos e irrigação adequada.

Atualmente, muitos dos cinturões de proteção não oferecem os mesmos benefícios que eles costumavam fazer. As árvores que antes eram essenciais, tornaram-se um fardo para os agricultores, cujo foco agora é aumentar a produção agrícola de suas terras. Alguns pesquisadores temem que a perda dessas árvores possa levar a outra tempestade de areia num futuro próximo.

Dust Bowl, as tempestades negras de poeira

Uma família de imigrantes do Texas que vive em um trailer, um campo do algodão do Arizona. Crédito da foto: Dorothea Lange

Dust Bowl, as tempestades negras de poeira

Dust Bowl, as tempestades negras de poeira

Dust Bowl, as tempestades negras de poeira

A enorme tempestade do Domingo Negro atinge a Igreja de Deus em Ulysses, Kansas, 1935. Crédito da foto: Museu Histórico Adobe

Dust Bowl, as tempestades negras de poeira

Um fazendeiro e seus dois filhos durante uma tempestade de poeira no condado de Cimarron, Oklahoma, em abril de 1936. Crédito da foto: Arthur Rothstein

Dust Bowl, as tempestades negras de poeira

Uma das fotografias mais famosas da Depressão e do Dust Bowl, The Migrant Mother , de Dorthea Lange

Dust Bowl, as tempestades negras de poeira

Três crianças se preparam para sair para a escola usando óculos e máscaras caseiras para protegê-los da poeira. Lakin, Kansas, 1935. Crédito da foto: Green Family Collection

Dust Bowl, as tempestades negras de poeira

Uma cidade fantasma abandonada por causa da Dust Bowl em Dakota do Sul | Crédito da foto

Dust Bowl, as tempestades negras de poeira

Uma cidade fantasma abandonada por causa da Dust Bowl em Dakota do Sul | Crédito da foto

Dust Bowl, as tempestades negras de poeira

Inscreva-se para “Nation First Shelterbelt” localizado perto de Willow, Oklahoma. Crédito da foto: Newsok.com

Fontes: 1 2 3

“Suba a montanha não para fixar a sua bandeira, mas para abraçar o desafio, desfrutar do ar e usufruir da paisagem. Escale-a para que possa ver o mundo, não para que o mundo possa te ver”. – David McCullough Jr.

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 112 vezes

Deixe seu comentário! Faça nosso trabalho valer a pena!
Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado
Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desastres

Meu nome é Julio Cesar, e sou de Santa Catarina e idealizador do site Magnus Mundi. O site tem como objetivo informar sobre lugares curiosos, estranhos ou inóspitos e também histórias, lendas, eventos inusitados pelo mundo afora.

Veja mais em Desastres

Herculano, a cidade menos conhecida de uma tragédia

Magnus Mundi20 de setembro de 2017

Berezniki, a Atlantis russa

Magnus Mundi11 de outubro de 2016

O deslizamento que tremeu a Terra em Utah

Magnus Mundi15 de julho de 2016

O acúmulo de carros danificados pelo furação Sandy

Magnus Mundi13 de Maio de 2016

Times Beach, a cidade tóxica americana

Magnus Mundi9 de Maio de 2016

Fort Zverev, a fortaleza que derreteu

Magnus Mundi8 de Maio de 2016

Lago Nyos, o lago assassino

Magnus Mundi27 de Fevereiro de 2016

Grande dilúvio de melaço

Magnus Mundi9 de Fevereiro de 2016

A barragem que veio abaixo

Magnus Mundi13 de Janeiro de 2016