Casas

Casa das Lápides, a casa inusitada da Virgínia

Casa das Lápides, a casa inusitada da Virgínia

Uma casa simples de dois andares revestida de mármore em Petersburg, no estado americano de Virgínia, tem mais de 150 anos de história da Guerra Civil americana embutidas em suas paredes. No entanto, a casa foi construída apenas em 1934. Naquela época, Oswald Young fechou um acordo com o Cemitério Nacional de Poplar Grove localizado perto de Petersburg. Durante a Grande Depressão, o cemitério estava tentando economizar dinheiro em sua manutenção, e o superintendente do Parque Nacional que administra o cemitério, decidiu que se arrancassem as lápides das sepulturas e as cortassem e colocassem apenas o pedaço que continha a inscrição deitadas no chão em cima das covas, economizariam algum dinheiro em manutenções de tais lápides.

Casa das Lápides, a casa inusitada da Virgínia

Crédito da foto: CNN

Consequentemente, mais de duas mil lápides foram removidas, cortadas em tamanho apropriado e colocadas horizontalmente no chão. No final do processo, o cemitério tinha milhares de pedaços de mármores cortados que precisavam ser descartados urgentemente. Oswald Young viu ali uma oportunidade e conseguiu comprar os mármores pela quantia simbólica de 45 dólares. Essas peças foram usadas para decorar o exterior de sua casa, pavimentar a sua calçada e até mesmo construir a lareira. Sua casa acabou ganhando o apelido de Casa das Lápides.

As lápides pertenciam as sepulturas de soldados da União mortos durante o Cerco de Petersburg entre 1864 e 1965. Os mortos foram enterrados às pressas perto do campo de batalha, em covas rasas individuais e também em covas coletivas. Apenas alguns soldados receberam enterros apropriados e seus túmulos marcados com uma estaca de madeira que posteriormente todas foram mudadas para uma lápide de mármore.

Em 1866, o tenente coronel James Moore começou a procurar numa área em Petersburg para criar um cemitério nacional e uma fazenda ao sul da cidade foi escolhida. Esse terreno havia sido o acampamento da 50º tropa de Engenheiros Voluntários de Nova York. Durante a guerra, eles haviam construído uma igreja de madeira em estilo neo gótico chamada Poplar Grove, e assim o cemitério também recebeu esse nome.

Casa das Lápides, a casa inusitada da Virgínia

O cemitério voltou a repor as lápides na posição vertical | Crédito da foto: CNN

Após a criação do cemitério, começou o trabalho de transferências dos restos mortais dos soldados. Milhares de corpos foram exumados de quase cem cemitérios improvisados nas cercanias de Petersburg e posteriormente enterrados em Poplar Grove. Cerca de uma centena de homens se voluntariam-se para a missão de busca e recuperação dos carpos, procurando meticulosamente cada metro quadrado do campo de batalha por túmulos sem identificação.

Tal grupo de homens ficaram conhecidos como “Corpo de Enterro“, e esses homens trabalharam por três anos, encerrando as atividades em 1869. Até aquele ano, eles encontraram e enterraram aproximadamente 6.718 corpos, dos quais, apenas 2.139 restos mortais foram identificados. O mesmo destino foi dado aos quase 30.000 mortos confederados enterrados no cemitério Blandford, em Petersburg. Deles, apenas cerca de 2.000 corpos foram identificados.

Casa das Lápides, a casa inusitada da Virgínia

Os novos marcadores verticais nas sepulturas. Os marcadores antigos foram destruídos. Crédito da foto: CNN

Nas décadas seguintes à conversão das lápides do cemitério, Poplar Grove caiu lentamente no esquecimento. Aparar a grama e a substituição anual de bandeiras foram os únicos trabalhos de manutenção realizados. A escassa drenagem levou o cemitério a inundar a cada temporal, e a água começou a corroer as lápides posicionadas no chão. O muro do cemitério desmoronou e o o mastro da bandeira enferrujou.

Famílias e descendentes dos soldados enterrados no cemitério reclamaram durante anos o desleixo e a desonra que era mostrada aos veteranos de guerra caídos naquela região. Eventualmente, o governo destinou um orçamento de vários milhões de dólares para a reativação no cemitério. Entre 2015 e 2017, mais de cinco mil marcos de pedra ou madeira foram substituídos e melhorias foram feitas por toda a propriedade. Sepulturas de mortos identificados ganharam novas lápides verticais, enquanto as sepulturas dos desconhecidos receberam novos marcos quadrados com um número, sob suas covas, refazendo a configuração original do cemitério. As lápides antigas de mármores foram enterradas ou descartadas adequadamente, para impedir que outro oportunista a usassem de maneira inadequada.

Casa das Lápides, a casa inusitada da Virgínia

Marcadores de soldados desconhecidos com apenas 15 x 15 centímetros que foram substituídos | Crédito da foto: CNN

Poplar é um dos quatorze Cemitérios Nacionais administrados pelo Serviço Nacional de Parques (NPS). Estão fechados para enterros, mas são abertos diariamente para visitação. Tais cemitérios refletem a tragédia que se abateu sobre os Estados Unidos durante a Guerra Civil. Cada simples lápide é um lembrete pungente do custo humano da guerra.

Casa das Lápides, a casa inusitada da Virgínia

Uma visão noturna do cemitério Poplar Grove, como é atualmente | Crédito da foto

Fontes: 1 2

“Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos”. – Fernando Teixeira de Andrade

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 42 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado
Ver Comentários (1)

1 Comentário

  1. Pingback: Casa das Lápides, a casa inusitada da Virgínia – Foi Digitado

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Casas

Me chamo Julio Cesar, e moro no litoral de Santa Catarina. Sou o idealizador do site Magnus Mundi, que tem como objetivo descrever lugares curiosos, estranhos ou inóspitos, bem como lendas, eventos inusitados pelo mundo afora.

Veja mais em Casas

O ninho de Quetzalcoatl no México

Magnus Mundi23 de junho de 2018

Makhunik, a antiga aldeia dos anões

Magnus Mundi18 de maio de 2018

Seaweed House, as casas de algas da Ilha de Læsø

Magnus Mundi10 de fevereiro de 2018

Coconut Palace, o Palácio de Coco em Manila

Magnus Mundi5 de fevereiro de 2018

A casa da abóbora de Kenova

Magnus Mundi31 de outubro de 2017

Kandovan, uma troglodita vila iraniana

Magnus Mundi21 de agosto de 2017

Equihen Plage, a vila dos barcos virados

Magnus Mundi18 de abril de 2017

Adolf Hitler e a casa onde nasceu

Magnus Mundi24 de janeiro de 2017

Winchester Mystery House, a casa mal assombrada

Magnus Mundi2 de novembro de 2016