Fadiouth, a ilha feita de conchas

Postado por

Na região de Petite Côte, na costa do Senegal, a sudeste de Dakar, na África, encontra-se uma bucólica vila de pescadores chamada Joal-Fadiouth. A vila se compõem em duas partes, a cidade de Joal é maior e se localiza no continente e conhecida como a terra natal do primeiro presidente senegalês e poeta, Léopold Sédar Senghor, enquanto a vila de Fadiouth, também conhecida localmente como “ilha das conchas“, fica numa pequena ilha, ligada a Joal por duas pontes de madeira estreita, só para pedestres, sendo proibida a circulação de carros.

Fadiouth, a ilha feita de conchas

Fadiouth se localiza no delta de um rio e é uma ilha artificial, feito de três pequenas ilhotas, fundada sobre a sedimentação de milhares e milhares de conchas. Por centenas de anos, os habitantes da vila pescaram moluscos, comiam e acumularam as conchas em Fadiouth, que no fim acabou ajudando a formar a pequena ilha.

As conchas acumuladas ao longo de muitos anos não só forram o solo das ilhas, como também são utilizadas nas ruas de Joal e Fadiouth e na construção das casas da região. Muitos artesãs locais também utilizam as conchas em seus artesanatos e que depois são vendidos por vendedores ambulantes ou em pequenas lojas paupérrimas, a espera de algum turista perdido por aquelas bandas.

Fadiouth, a ilha feita de conchas

Fadiouth é conhecido principalmente pela densidade demográfica, onde 9.000 habitantes se amontoam-se na pequena ilha de 0,15 quilômetros quadrados e também por seu cemitério misto, para muçulmanos e cristãos. Os moradores da região são na sua maioria cristão, mas eles também têm uma população islâmica significativa, e a comunidade unida tem imenso orgulho da atmosfera de tolerância religiosa.

Fadiouth, a ilha feita de conchas

Os turistas são atraídos não só pela singularidade do lugar, com suas casas feitas de conchas, mas também pelo cemitério local, que fica em uma outra ilha, adjacente a Joal-Fadiouth. Quase toas as sepulturas são cristãs, embora existam túmulos muçulmanos. O cemitério também está coberto de conchas, o que torna a paisagem muito pitoresca. Um curiosidade é que os habitantes locais têm o costume de enterrar seus mortos, acompanhados de uma garrafa de “soma”, uma bebida típica da região e com baixo teor alcoólico, para que o morto possa ter algum divertimento em sua nova morada.

Fadiouth, a ilha feita de conchas

Fadiouth, a ilha feita de conchas

Fadiouth, a ilha feita de conchas

Fadiouth, a ilha feita de conchas

Fadiouth, a ilha feita de conchas

Fadiouth, a ilha feita de conchas

Fadiouth, a ilha feita de conchas

Fadiouth, a ilha feita de conchas

Fadiouth, a ilha feita de conchas

Fadiouth, a ilha feita de conchas

Fadiouth, a ilha feita de conchas

Fadiouth, a ilha feita de conchas

Fadiouth, a ilha feita de conchas

Fadiouth, a ilha feita de conchas

Fadiouth, a ilha feita de conchas

Fadiouth, a ilha feita de conchas

Fadiouth, a ilha feita de conchas

Publicado inicialmente em 20 de maio de 2015

Fonte: 1 2

“Verba volant, scripta manent” (As palavras voam, os escritos permanecem)

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 730 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo! O que achou do artigo??
  • Ótimo
  • Bom
  • Indiferente
  • Poderia ser melhor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll Up ©2020 OceanSite - Desenvolvimento de sites e aplicativos