Arquitetura

Ilhas Astronautas, as ilhas camufladas da Califórnia

Ilhas Astronautas, as ilhas camufladas da Califórnia

Não muito longe da costa de Long Beach, na Califórnia, nos Estados Unidos, há um conjunto de quatro ilhas artificiais que contém edifícios brancos imponentes entre palmeiras, arbustos e cachoeiras, todos iluminados por luzes coloridas à noite. Da costa próxima, as ilhas artificiais parecem estar ocupadas por algum tipo de condomínio ou resort de luxo.

Mas na verdade, elas são apenas uma fachada que camufla enormes operações na perfuração e extração de petróleo na baía, sendo o quarto maior campo petrolífero do país. A camuflagem é tão bem feita, que a maioria das pessoas não percebe que as ilhas são instalações de produção de petróleo.

Disfarçar infraestruturas industrial para que elas se misturem com o meio ambiente não é novidade. A cidade de Toronto vem disfarçando subestações elétricas em pequenas casas por mais de um século. Da mesma forma, cidades como Nova York, Paris e Londres escondem poços de ventilação e trilhos de trens atrás de paredes ou edificações falsas. Tais disfarces são raramente divulgados, sendo descobertos muitas vezes por cidadãos curiosos.

Conhecidas por THUMS, que é a combinação da primeira letra dos nomes das empresas Texaco, Humble (agora Exxon), Union Oil, Mobil e Shell – as cinco empresas que formaram um consórcio para supervisionar as operações na extração de petróleo na Baía de San Pedro. As ilhas foram construídas em 1965 a um custo estimado de 22 milhões de dólares, na construção de quatro ilhas, com áreas entre 10 e 12 acres.

Mais de 640.000 toneladas de pedras, algumas com até cinco toneladas cada, sendo trazidas da Ilha de Catalina foram usadas para construir os perímetros das ilhas, começando pelo área do cais, com cerca de 30 a 40 metros de profundidade. As ilhas foram então preenchidas com 3,2 milhões de metros cúbicos de material dragado da baía. O próximo passo foi o paisagismo e a instalação de equipamentos.

Ilhas Astronautas, as ilhas camufladas da Califórnia

Quando os moradores de Long Beach em 1962 num referendo deram sinal verde ao ambicioso plano de explorar os recursos petrolíferos localizados no mar, parte do acordo era que as ilhas deveriam ser projetadas para se parecerem com locais tropicais e que deveriam esconder as operações de perfuração. “As ilhas eram obrigadas a se misturar ao ambiente e paisagem local. O principio orientador era que as ilhas melhorariam ao invés de prejudicar a beleza natural da baía.“, disse Frank Komin, vice-presidente executivo de operações do sul da Califórnia Resources Corporation, a companhia que atualmente é a proprietária das ilhas.

As ilhas foram projetadas por Joseph Linesch, que também ajudou a projetar o paisagismo na Disneylândia. Palmeiras foram plantadas no exterior. Fachadas de concreto que escondiam os guindastes também serviam ao propósito de afastar o ruído industrial dos moradores que residiam nas proximidades. Uma delas é chamada The Condo, pois é confundida com um hotel elegante.

As ilhas THUMS também são conhecidas por Ilhas Astronautas desde 1967, tendo sido nomeadas em homenagem aos quatro astronautas americanos que perderam suas vidas a serviço da Nasa – Theodore C. Freeman, Gus Grissom, Ed White e Roger B. Chaffee. Os últimos três eram astronautas da Apollo 1 que haviam morrido na explosão da nave na rampa de lançamento.

Ilhas Astronautas, as ilhas camufladas da Califórnia

A ilha à direita é a Island Grissom, uma das plataformas de petróleo offshore da THUMS. | Crédito da foto

Fontes: 1 2

“A utopia está lá no horizonte. Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar”. – Fernando Birri

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 903 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado

Faça nosso trabalho valer a pena. Deixe seu comentário!

Ver Comentários (1)

1 Comentário

  1. Pingback: Ilhas Astronautas, as ilhas camufladas da Califórnia – Digitado

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Arquitetura

Me chamo Júlio César e moro em Porto Belo/SC. Sou o idealizador do site Magnus Mundi, um site sobre lugares curiosos, estranhos ou inóspitos pelo mundo afora, bem como histórias inusitadas de pessoas, lendas, eventos e outros assuntos interessantes.

Veja mais em Arquitetura

Kayabuki no Sato, a pequena vila e seu sistema anti-incêndio

Magnus Mundi15 de abril de 2019

Cragside, a primeira casa do mundo a ter energia elétrica

Magnus Mundi7 de abril de 2019

Jal Mahal, o palácio da água da Índia

Magnus Mundi22 de março de 2019

O relógio ao contrário da Bolívia

Magnus Mundi24 de fevereiro de 2019

As janelas de bruxa de Vermont

Magnus Mundi23 de fevereiro de 2019

Fadiouth, a ilha feita de conchas

Magnus Mundi21 de fevereiro de 2019

Burj Al Babas, a cidade dos castelos abandonados

Magnus Mundi27 de janeiro de 2019

Stepwells, os poços em degraus da Índia

Magnus Mundi6 de janeiro de 2019

Liebian Building, a cachoeira construída num edifício

Magnus Mundi12 de dezembro de 2018

Magnus Mundi é uma revista digital que tem seu conteúdo voltado para lugares, eventos, artes e histórias inusitadas pelo mundo afora

Copyright © 2015 · OceanSite · Desenvolvimento de website e aplicativos para mobiles

Scroll Up