Templos

Qasr al-Farid, o castelo solitário

Qasr al-Farid, o castelo solitário

Os nabateus foram um antigo povo semítico, ancestrais dos árabes, que habitavam a região norte da Arábia, o sul da Jordânia e Canaã, em especial os diversos povoados situados em torno dos oásis na região fronteiriça entre a Síria e a Arábia, do Eufrates ao mar Vermelho, a cerca de 2.500 anos atrás. Segundo os historiadores, os nabateus eram cerca de 10 mil beduínos que viviam do transporte de especiarias, incenso, mirra e plantas aromáticas. Eles levavam a carga da Arábia Feliz, atuais Iêmen e Omã, até o Mediterrâneo.

Como resultado deste comércio lucrativo, os nabateus ficaram rico e poderoso. Uma expressão dessa riqueza pode ser visto nos monumentos que eles construíram. O monumento Nabateu mais conhecido é sem dúvida o al-Khazneh, a magnifica cidade de Petra, Jordânia. No entanto, os nabateus eram artesãos altamente qualificados quando se tratava de esculpir pedras, e numerosos exemplos de sua obra pode ser encontrada em todo o seu reino, um desses monumento é o Qasr al-Farid, que significa Castelo Solitário e está localizado no sítio arqueológico de Mada’in Saleh (também conhecido como Al-Hijr ou Hegra), no norte da Arábia Saudita.

Embora chamado de castelo, Qasr al-Farid é na realmente uma tumba e que nunca foi concluída. O Qasr al-Farid é apenas um dos 111 túmulos monumentais espalhadas ao redor da paisagem da Mada’in Saleh, e inscrito pela UNESCO como Patrimônio Mundial da Humanidade em 2008. Destes túmulos, 94 deles são decorados, e alguns com elementos egípcios, helenísticos e assírios. O Qasr al-Farid é um dos túmulos mais famosos em Mada’in Saleh, e foi nomeado como tal devido ao fato de que ele está completamente isolado dos outros túmulos nabateus situados na área. Isso é incomum, dado que a maioria dos túmulos monumentais em Mada’in Saleh foram encontrados para ter sido feito em grupos. Estes incluem os túmulos Qasr al-Bint, os túmulos Qasr al-Sani, e os túmulos de área de Jabal al-Mahjar.

O Qasr al-Farid foi esculpido com quatro andares e isso era uma indicação da riqueza e status social da pessoa, quando maior, mais poder. Outro detalhe é o número de pilastras em sua fachada. Todas os outros túmulo de nabateus tem apenas duas pilastras. O Qasr al-Farid, no entanto, tem quatro pilastras na fachada, uma de cada lado, e duas outras adicionais no meio. Isso pode ser mais uma prova de que o proprietário deste túmulo era um indivíduo imensamente rico e importante na sociedade Nabateus.

Outros túmulos de Mada’in Saleh

Fonte: 1 2

Postagens pelo mundo:

Visualização: 302 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado
Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Templos

Me chamo Julio Cesar, e moro no litoral de Santa Catarina. Sou o idealizador do site Magnus Mundi, que tem como objetivo descrever lugares curiosos, estranhos ou inóspitos, bem como lendas, eventos inusitados pelo mundo afora.

Veja mais em Templos

A solitária capela dentro do vulcão de Santa Margarida

Magnus Mundi9 de junho de 2018

Castelo Houska, o portão do inferno

Magnus Mundi27 de abril de 2018

Wat Phra Dhammakaya, o impressionante templo budista da Tailândia

Magnus Mundi11 de abril de 2018

Santuário de Las Lajas, a igreja do abismo

Magnus Mundi23 de março de 2018

A sagrada fumaça! A igreja da cannabis

Magnus Mundi22 de novembro de 2017

Shaolin Flying Monks Theatre’s, o templo dos monges voadores

Magnus Mundi31 de março de 2017

As misteriosas cavernas de Caynton

Magnus Mundi24 de março de 2017

Santuário da Verdade, o templo de madeira da Tailândia

Magnus Mundi27 de fevereiro de 2017

Damanhur, os templos da humanidade

Magnus Mundi15 de novembro de 2016