Uma das bebidas alcoólicas mais bizarras do mundo, é o vinho de cobra originário do Vietnã e consumido por todo o sudeste asiático e exportado ilegalmente para outros países onde o consumo de tais bebidas que se usa animais até em risco de extinção são proibidos, mas na Ásia e em outros países é usado até como remédio popular e estimulante capilar.

Snake_Wine01

Geralmente é preparada a base de álcool de arroz e tem baixo teor alcoólico. Sua cor e aroma, vem da cobra venenosa fermentando dentro da garrafa, que muitas vezes é colocada viva na garrafa. Também podem colocar outros pequenos animais juntos, como escorpião, lagartos, sapos ou cavalos marinhos. Fabricantes alegam que o veneno da cobra não faz mal a saúde, uma vez que álcool contido na bebido dilui o veneno.

Snake_Wine03

Ninguém sabe ao certo como iniciou-se o consumo de tal bebida, que é tradição no Vietnã há centenas de anos. Muitos dizem que a serpente é símbolo de sabedoria e longevidade e beber a infusão de cobra, é um modo de adquirir a força do animal.

Usar cobras venenosas na cura de diversas doenças são conhecidos nos países asiáticos e europeus há séculos. Por exemplo, na França a carne de serpentes venenosas era muito consumida até o século 18 e também era popular devido aos efeitos benéficos para a saúde. Famosa escritora francesa, Maria de Rabutin-Chantal, mais conhecida como marquesa de Sévigné, descreveu em uma de suas obras de como ela receitava para sua filha o consumo de carne de cobra, como uma dieta que deveria durar por um mês.

Snake_Wine04

Há duas variedades do vinho de cobra conhecidas:  A primeira é a fermentação, onde uma cobra venenosa grande e outras pequenas ou outros animais é deixado fermentando durante meses dentro da garrafa junto com álcool de arroz, antes de ser ingerido. E a outra forma, e quando a cobra é fermentada por um tempo em álcool de arroz numa garrafa e misturada com vinho na hora de ser consumida.

Snake_Wine05

Snake_Wine06

Snake_Wine07

Snake_Wine08

Snake_Wine09

Snake_Wine10

Snake_Wine11

Fonte: 1

“Verba volant, scripta manent” (As palavras voam, os escritos permanecem)

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 3920 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo! O que achou do artigo??
  • Ótimo
  • Bom
  • Indiferente
  • Poderia ser melhor
Ajude a melhorar o conteúdo do site. Deixe um comentário

Sobre o Autor

Curioso desde sempre, queria um lugar para guardar às curiosidades de lugares e histórias inusitadas que lia em livros ou pela internet e assim nasceu o site Magnus Mundi em 2015. Me chamo Julio Cesar, sou natural de Blumenau e morador de Porto Belo, litoral de Santa Catarina.

Você pode gostar de ver isso

2 Respostas

  1. Pak Ou Caves, as cavernas dos budas defeituosos » Magnus Mundi

    […] Quanto Laos ainda era uma monarquia, as grutas eram visitadas todos os anos pela família real, que encomendavam estátuas de artistas locais para serem depositados nas cavernas e essa tradição continuou até 1975 e isso contribuiu muito para o acumulo de estátuas nas cavernas, uma vez que as pessoas comuns também começaram a trazer estátuas em suas peregrinações ao local. As cavernas estão a poucos quilômetros da aldeia de Ban Xang Hai, famosa pela produção de vinho, especialmente os vinhos que contem animais, como cobras, escorpiões e outros dentro das garrafas. Leia mais sobre essa bebida, aqui. […]

    Responder

Faça um comentário

Seu email não será publicado