Gastronomia

Glass Gem Corn, os milhos multicoloridos

Glass Gem Corn, os milhos multicoloridos

Grãos de milho multicoloridos que se parecem com contas de vidro pertencem a uma variedade especialmente criada e chamada de “Glass Gem Corn” (Milho Gema de Vidro), e foram cultivadas a partir de sementes selecionadas e coletadas.

Glass Gem Corn, os milhos multicoloridos

Essa variedade de milho colorido foi desenvolvido pelo já falecido Carl Barnes, um agricultor e índio mestiço da tribo Cherokee, que viveu em Oklahoma nos Estados Unidos e que percebeu, que de vez em quando, um grão de milho numa espiga mostrava sinais de coloração viva e translúcida. Carl então foi recolhendo e guardando essas sementes, e graças a sua habilidade no processo de melhoramento de milho e de muitos anos de esforço meticuloso, os “Glass Gem Corn” se multiplicaram.

Glass Gem Corn, os milhos multicoloridos

Quando Barnes com seus 80 anos se aposentou, ele concedeu sua preciosa coleção de semente ao seu amigo Greg Schoen e também lhe ensinou o processo do cultivo do milho colorido. Em 2010, Greg decidiu se mudar e enquanto não estivesse no novo endereço, ele precisava encontrar um lugar para armazenar e proteger sua coleção de sementes para que não se perdesse ou estragasse enquanto estivesse de mudança. Então, decidiu armazenar as sementes na Seeds Trust, uma empresa  especializada em semente no Arizona.

Glass Gem Corn, os milhos multicoloridos

Curioso sobre as sementes com o nome peculiar de Gemas de vidro, Bill McDorman, proprietário da Seeds Trust na época, decidiu plantar algumas sementes em seu próprio jardim e mais tarde, ficou surpreso com o que as espigas produzidas. “Eu fiquei encantado. Ninguém antes, nunca tinha visto milho como esses“, disse McDorman, que atualmente é Diretor Executivo da Native Seeds/SEARCH, uma organização sem fins lucrativos que ele fundou para proteger e preservar o patrimônio agrícola dos nativos americanos.

Glass Gem Corn, os milhos multicoloridos

A organização vende as sementes de gema de vidro através do seu site por US$ 7,95 o pacote, sendo vendido para vários países mundo afora. O milho pode ser usado para fazer farinha ou pipoca, embora não seja recomendado comê-lo diretamente da espiga. A maioria das pessoas trituram os grãos e usa-os em tortilhas, porque é muito rico em amido. Também pode ser usado para fazer pipoca (embora não saia colorido).

Glass Gem Corn, os milhos multicoloridos

Em 2005, Schoen começou a cultivar o milho arco-íris próximo a cidade de Santa Fé, no Novo México, misturando-o com variedades tradicionais e assim, criou novas linhagens. A cada ano de plantio sucessivo, o milho exibia cores mais vibrantes e padrões vívidos. De acordo com o relato de Schoen a semente do milho colorido veio originalmente de um cruzamento de milho Pawnee com o milho Osage, e também outra espécie de milho Osagem chamada “Greyhorse”. Schoen começou a nomear as várias cores e padrões que surgiram – “cores de circo”, “arco-íris verdadeiro”, “azul profundo”.

Glass Gem Corn, os milhos multicoloridos

Glass Gem Corn, os milhos multicoloridos

Glass Gem Corn, os milhos multicoloridos

Glass Gem Corn, os milhos multicoloridos

Glass Gem Corn, os milhos multicoloridos

Glass Gem Corn, os milhos multicoloridos

Glass Gem Corn, os milhos multicoloridos

Glass Gem Corn, os milhos multicoloridos

Glass Gem Corn, os milhos multicoloridos

Glass Gem Corn, os milhos multicoloridos

Glass Gem Corn, os milhos multicoloridos

Glass Gem Corn, os milhos multicoloridos

Glass Gem Corn, os milhos multicoloridos

Glass Gem Corn, os milhos multicoloridosFonte: 1 2

“Liberdade de voar num horizonte qualquer, liberdade de pousar onde o coração quiser”. – Cecília Meirelles

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 1616 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado

Faça nosso trabalho valer a pena. Deixe seu comentário!

Ver Comentários (1)

1 Comentário

  1. Pingback: Glass Gem Corn, os milhos multicoloridos – Digitado

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gastronomia

Me chamo Júlio César e moro em Porto Belo/SC. Sou o idealizador do site Magnus Mundi, um site sobre lugares curiosos, estranhos ou inóspitos pelo mundo afora, bem como histórias inusitadas de pessoas, lendas, eventos e outros assuntos interessantes. Feito para as pessoas que gostam de saber mais sobre um determinado assunto que é tratado superficialmente por outros sites do gênero.

Veja mais em Gastronomia

Oktoberfest, a maior festa alemã do mundo

Magnus Mundi20 de outubro de 2018

Dedos de Lúcifer, a iguaria perigosa de coletar

Magnus Mundi9 de outubro de 2018

Té, os bolinhos de terra para saciar a fome

Magnus Mundi21 de julho de 2018

Amezaiku, a doce arte de açúcar

Magnus Mundi15 de março de 2018

Tarântulas como alimento no Camboja

Magnus Mundi14 de março de 2018

Trufas, os diamantes orgânicos

Magnus Mundi28 de janeiro de 2018

Kuro tamago, os ovos negros de Õwakudani

Magnus Mundi25 de agosto de 2017

O túnel do cogumelo em Mittagong

Magnus Mundi4 de abril de 2017

Sampuru, a arte de fazer comida falsa

Magnus Mundi27 de janeiro de 2017

Magnus Mundi é uma revista digital que tem seu conteúdo voltado para lugares, eventos, artes e histórias inusitadas pelo mundo afora

Copyright © 2015 · OceanSite · Desenvolvimento de website e aplicativos para mobiles

Scroll Up