Histórias

Hans Steininger, o homem que foi morto por sua barba

Hans Steininger, o homem que foi morto por sua barba

A pequena cidade de Braunau am Inn, na fronteira austríaca, é comumente lembrada como a cidade natal de Adolf Hitler. Evidentemente, as autoridades da cidade prefeririam que sua pitoresca cidade fosse lembrada por algo menos infame ou talvez mais divertido. Por exemplo, a morte de Hans Steininger, o prefeito da cidade, morto por sua própria barba.

Hans Steininger era o prefeito de Braunau am Inn em 1567, e por já ter sido eleito seis vezes como prefeito, era uma pessoa muito popular em sua época. Embora não haja muitos registros sobre sua vida e trabalho, além do fato de ser muito amado pelo povo, há uma coisa sobre ele que sobreviveu através dos séculos – seus impressionantes pelos faciais. A característica física mais característica de Steininger era sua barba, um emaranhado de pelos de dois metros de comprimento que pendiam de seu rosto e terminava em duas pontas bifurcadas.

Hans Steininger, o homem que foi morto por sua barba

Estátua de pedra na parede da igreja Santo Estêvão | Crédito da foto

Normalmente, Steininger mantinha os pelos faciais cuidadosamente enrolados e guardados num bolso especial de seu paletó. Embora certamente tenha levado anos de muito trabalho e dedicação para aumentar sua barba nesses níveis, dá para entender o quão complicado era conviver com tamanha monstruosidade. Afinal de contas, a barba dele era tão longa que rastejava no chão, e teria sido uma verdadeira desgraça se alguma pessoa desavisada tropeçasse nela.

Hans Steininger, o homem que foi morto por sua barba

A barba de Hans Steininger exposta no museu da cidade | Crédito da foto

Infelizmente, foi exatamente isso que aconteceu com Steininger em uma fatídica noite de outubro de 1567. Um incêndio ocorreu na cidade e, como geralmente é o caso, o sinistro causou pânico generalizado. O incêndio era de grandes proporções e a população com medo que o incêndio pudesse se alastrar e queimar suas casas, estavam alvoraçadas. Steininger, como prefeito da cidade, não poderia deixar de estar no meio de toda aquela confusão. Em algum momento, enquanto tentava dominar a comoção, sua barba escapuliu de seu bolso.

Claro que, como a cidade estava em chamas, ele não teve tempo de colocá-la de volta e simplesmente a colocou de lado. Essa simples ação selaria seu destino tragicamente. Quando ele subia um lance de escadas, no meio do caos, ele pisou em sua própria barba e tropeçou. E assim, ele perdeu o equilíbrio e escorregou, acabando desabando pelas escadas e quebrando o pescoço com o impacto.

Após a sua morte, a cidade ergueu um monumento em homenagem ao seu prefeito caído na forma de um enorme relevo de pedra ao lado da igreja de Santo Estêvão, para que seu legado nunca pudesse ser esquecido. No entanto, aparentemente uma gigantesca estátua de pedra não foi suficiente e a cidade decidiu ir um pouco mais além.

Hans Steininger, o homem que foi morto por sua barba

Pessoal da associação turística da cidade ao lado de Rudolf Trauner, imitador de Hans Steininger | Crédito da foto

Antes do enterro, os moradores cortaram a majestosa barba de Hans Steininger e a colocaram em uma enorme vitrine no museu distrital de Herzogsburg, no centro histórico da cidade, garantindo que todos os anos de dedicação e esforço do prefeito no cuidado de seus pelos faciais não fossem em vão. Sua barba foi quimicamente tratada para evitar sua degradação prematura.

Nos últimos 450 anos, a barba atraiu milhares de visitantes, ansiosos por apreciar a famosa barba mortífera. E, se algum turista quiser uma excursão pela cidade, pode contratar um imitador de Hans Steininger, certificado pela associação turística da cidade, que usa uma barba postiça quase do mesmo tamanho que a original. Não há nenhuma palavra sobre se a turnê envolve escadas ou não. Por toda a cidade pode-se encontrar estátuas e até mesmo cervejaria com o nome do ilustre prefeito.

Para saber mais: www.tourismus-braunau.at

Fontes: 1 2 3

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 2831 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado

Faça nosso trabalho valer a pena. Deixe seu comentário!

Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Histórias

Me chamo Júlio César e moro em Porto Belo/SC. Sou o idealizador do site Magnus Mundi, um site sobre lugares curiosos, estranhos ou inóspitos pelo mundo afora, bem como histórias inusitadas de pessoas, lendas, eventos e outros assuntos interessantes. Feito para as pessoas que gostam de saber mais sobre um determinado assunto que é tratado superficialmente por outros sites do gênero.

Veja mais em Histórias

Dindim, o pinguim que sempre retorna para quem o ajudou

Magnus Mundi10 de dezembro de 2018

O pântano de sangue da ilha de Ramree

Magnus Mundi6 de dezembro de 2018

Castelo de Čachtice, o castelo da condessa sanguinária

Magnus Mundi1 de dezembro de 2018

Ilha Sentinela e a tribo mais isolada do mundo

Magnus Mundi23 de novembro de 2018

Santa Helena, a ilha do exílio de Napoleão Bonaparte

Magnus Mundi21 de novembro de 2018

Boa sorte, Sr. Gorsky!

Magnus Mundi17 de novembro de 2018

O desastre da ponte de Tay e o pior poema do mundo

Magnus Mundi16 de novembro de 2018

Dora: O super canhão da Segunda Guerra Mundial

Magnus Mundi14 de novembro de 2018

Lady Dai, a múmia preservada da China

Magnus Mundi12 de novembro de 2018

Magnus Mundi é uma revista digital que tem seu conteúdo voltado para lugares, eventos, artes e histórias inusitadas pelo mundo afora

Copyright © 2015 · OceanSite · Desenvolvimento de website e aplicativos para mobiles

Scroll Up