Arquitetura

O relógio ao contrário da Bolívia

O relógio ao contrário da Bolívia

O edifício da Assembleia Legislativa da Bolívia na Plaza Murillo, no centro de La Paz, possui um relógio acima da entrada que parece uma imagem invertida. A numeração das horas é ao contrário e os ponteiros trabalham no sentido anti-horário. O prédio que foi construído durante a década de 1920 e originalmente destinado a servir como sede do Banco Central da Bolívia, apresentava um relógio normal até 2014, quando o funcionamento do relógio foi invertia para afirmar o “sulismo” do povo boliviano.

Estamos no sul e é tempo de recuperar a nossa identidade“, disse David Choquehuanca, ministro dos Negócios Estrangeiros boliviano. “O relógio invertido (…) significa que, para nós, o nosso norte é o sul. Porque é no sul que nascem ideologias“, declarou em seu perfil no Twitter, Marcelo Elío, responsável pela Câmara dos Deputados, que referiu ainda “uma nova ordem mundial a nascer no sul”.

“Quem disse que os relógios tinham que girar sempre neste sentido (para a direita)? Porque temos sempre que obedecer, porque não podemos ser criativos? – Choquehuanca perguntou a um grupo de repórteres reunidos em uma coletiva de imprensa, onde também estava presente o presidente do país, Evo Morales.

O relógio ao contrário da Bolívia

O relógio na Assembleia Legislativa da Bolívia antes de 2014 | Crédito da foto

Além do relógio na Plaza Murillo, um número de delegados estrangeiros presentes à Cúpula do G77 de 2014 na cidade de Santa Cruz, no leste, recebeu versões em miniatura do relógio atrasado como um presente do governo boliviano. Mais estranho ainda, os relógios foram projetados na forma da fronteira boliviana desde antes de o país perder sua costa para o Chile, na Guerra do Pacífico de 1879 – uma afirmação profundamente nacionalista.

Segundo o ministro, a mudança foi feita para que os bolivianos valorizassem sua herança e ajudassem seu povo a se identificar mais de perto com suas raízes indígenas. Os dois principais grupos indígenas do povo boliviano, os aymaranos e os quechuanos, são únicos no mundo que têm um sistema de crenças tradicional que determina que o passado está à frente enquanto o futuro está por trás. O relógio ao contrário também está de acordo com a direção em que a sombra do relógio de sol se move no hemisfério sul. Afinal, a direção do movimento dos ponteiros de um relógio não foi escolhida arbitrariamente.

O relógio analógico moderno é uma evolução do relógio de sol, um dispositivo primitivo de cronometragem inventado pela primeira vez pelos romanos há mais de 2.000 anos. No Hemisfério Norte, a sombra de um relógio de sol move-se naturalmente no sentido horário. Na América do Sul, no entanto, o oposto é verdadeiro, o que em parte inspirou a mudança incomum de direção no Relógio do Sul.

Porém, isso não é totalmente verdade para o ano todo. Estando localizada perto do Equador, a sombra de um relógio de sol em La Paz nem sempre se move no sentido anti-horário. Por vários meses, a direção do movimento muda para o sentido horário, quando o sol passa para o sul em La Paz nos meses de verão no Hemisfério Sul.

Quando o novo relógio na Assembleia Legislativa foi instalado, muitos moradores da cidade acharam que era um erro. Outros saudaram a mudança, com bons olhos. Alguns até pensam que todos os relógios dos países no Hemisfério Sul deveriam ser ao contrário como este.

Fontes: 1 2

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 511 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado

Faça nosso trabalho valer a pena. Deixe seu comentário!

Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Arquitetura

Me chamo Júlio César e moro em Porto Belo/SC. Sou o idealizador do site Magnus Mundi, um site sobre lugares curiosos, estranhos ou inóspitos pelo mundo afora, bem como histórias inusitadas de pessoas, lendas, eventos e outros assuntos interessantes.

Veja mais em Arquitetura

Kayabuki no Sato, a pequena vila e seu sistema anti-incêndio

Magnus Mundi15 de abril de 2019

Cragside, a primeira casa do mundo a ter energia elétrica

Magnus Mundi7 de abril de 2019

Jal Mahal, o palácio da água da Índia

Magnus Mundi22 de março de 2019

As janelas de bruxa de Vermont

Magnus Mundi23 de fevereiro de 2019

Fadiouth, a ilha feita de conchas

Magnus Mundi21 de fevereiro de 2019

Burj Al Babas, a cidade dos castelos abandonados

Magnus Mundi27 de janeiro de 2019

Stepwells, os poços em degraus da Índia

Magnus Mundi6 de janeiro de 2019

Liebian Building, a cachoeira construída num edifício

Magnus Mundi12 de dezembro de 2018

Castelo de Čachtice, o castelo da condessa sanguinária

Magnus Mundi1 de dezembro de 2018

Magnus Mundi é uma revista digital que tem seu conteúdo voltado para lugares, eventos, artes e histórias inusitadas pelo mundo afora

Copyright © 2015 · OceanSite · Desenvolvimento de website e aplicativos para mobiles

Scroll Up