No sul da Baviera, perto do sopé dos Alpes, perto das cidades de Hohenschwangau e Füssen, a poucos quilômetros da fronteira com a Áustria, fica um castelo que pode muito bem ter saído da mente de Walt Disney. Mas foi este castelo que inspirou o criador de Fantasia e A Bela Adormecida

O Castelo de Neuschwanstein, apesar de não ser permitido fotografar o seu interior, é um dos edifícios mais fotografados da Alemanha e um dos mais populares destinos turísticos europeus, além de também ser considerado o “cartão postal” daquele país. Seu fascínio não está apenas em sua famosa beleza de conto de fadas, mas também na história do homem que a construiu, o rei Ludwig II da Baviera, também chamado de “Louco”.

Ludwig nasceu em agosto de 1845 e foi coroado rei da Baviera em 1864 após a morte repentina de seu pai, Maximiliano II. O jovem monarca havia chegado ao poder em um momento de grandes mudanças. O Reino da Prússia, liderado por Otto von Bismarck, estava pressionando para criar uma nação alemã unificada. 

Em 1866, a Baviera e a Áustria entraram em guerra com a Prússia e perderam. Isso resultou em Ludwig sendo forçado a assinar um tratado com a Prússia que essencialmente entregou o controle do exército bávaro a Bismarck. A Baviera tornou-se um parceiro inferior e relutante no esforço da Prússia para a unificação alemã. Em 1871, Ludwig foi essencialmente forçado a eleger Guilherme I como imperador da Alemanha.

Após a derrota de 1866, Ludwig retirou-se da política. Ele buscou consolo na fantasia, encerrando-se na estética, na arte e na arquitetura de seu maior amor: as obras do compositor alemão Richard Wagner. As óperas do compositor foram baseadas na mitologia romântica alemã que arrebatou o rei Ludwig. 

Na verdade, o rei Ludwig estava completamente apaixonado por Wagner e tinha pouco interesse em mulheres ou em produzir um herdeiro. A paixão de Ludwig, no entanto, era algo que o compositor jamais retornaria. Ainda assim, deve ser dito que Wagner realmente liderou o rei, pelo menos para ajudar a resolver suas pesadas dívidas.

Se Ludwig não pudesse ser um rei de verdade com poder real, ele poderia pelo menos construir palácios adequados para realizar suas fantasias românticas. Inspirado pelas obras de Wagner, Ludwig ficou mais conhecido por construir palácios lindos como Linderhof e Herrenchiemsee, mas é mais conhecido pelo Castelo de Neuschwanstein. 

O nome, que nunca foi chamado durante a vida de Ludwig, significa “Nova Pedra do Cisne” derivado do personagem Cavaleiro do Cisne de Wagner. Embora o castelo nunca tenha sido totalmente concluído, o que está lá é inspirado por Wagner – T annhäuser, Tristan, Lohengrin, Parsifal e Der Ring des Nibelungen . Isso foi complementado com um cenário alpino deslumbrante – foi a fuga definitiva da realidade para Ludwig II.

Em 1868, as ruínas do Castelo Hohenschwangau, onde Ludwig passou a infância, foram demolidas e começaram as obras de uma nova estrutura projetada por Christian Jank e o arquiteto Eduard Riedel. As fundações foram lançadas em 1869, e em 1882 estava completo o suficiente para permitir a instalação de móveis. Ludwig escreveu a Wagner, animado para descrever como seu novo castelo homenageou seu trabalho – foi na verdade um ato de amor de Ludwig para Wagner. Wagner, que morreu em 1883, nunca pôs os pés no castelo.

O exterior de Neuschwanstein é magnífico, mas seu interior é igualmente inspirador, embora apenas 14 quartos tenham sido concluídos. Cada quarto concluído é maravilhoso em seu nível de detalhes. De nota específica é a Sala do Trono que, embora não tenha um trono, apresenta imagens detalhadas da flora e da fauna na cantaria. Outra sala curiosa é a gruta que liga o salão do castelo ao escritório. Esta caverna artificial foi inspirada no Hörselberg da saga Tannhäuser. É provavelmente a sala mais original do castelo.

A ornamentação desses quartos nos andares inferiores não se estende aos quartos privados nos andares superiores, que eram mais esparsos e sensíveis. Isso pode ser porque Ludwig nunca pretendeu que eles fizessem parte de sua própria visão romântica.

O castelo compreende uma portaria, um caramanchão, a Casa dos Cavaleiros com uma torre quadrada e um Palas, ou cidadela, com duas torres no extremo oeste. O efeito do conjunto é altamente teatral, tanto no exterior como no interior. A influência do Rei é evidente por todo o lado, tendo este demonstrado um entusiástico interesse no desenho e decoração.

O castelo também inclui um oratório, acessível a partir do vestiário e da suite principal, o qual inclui um crucifixo de marfim; uma sala feita para parecer uma caverna, uma cozinha completa equipada com água corrente quente e fria e um armário aquecido, alojamentos para os criados, um gabinete, uma sala de jantar e o Hall dos Cantores. Uma das salas do castelo reproduz, de maneira muito realista, uma gruta com muitas estalactites e estalagmites, a qual possuiu uma cascata

Esta última divisão era um lugar onde os músicos e os dramaturgos atuavam. O Rei construiu-o para Wagner, como um lugar privilegiado para apresentação de peças. O Rei morreu antes de ser possível assistir a apresentações no Hall dos Cantores, mas este tem sido usado desde a sua morte.

Apesar do seu aspecto medieval, a construção do Castelo de Neuschwanstein requereu a moderna tecnologia da época, sendo o castelo uma maravilha dos acabamentos da tecnologia estrutural. Engenhos à vapor e elétricos, ventilação moderna e canalizações de aquecimento fazem, todos eles, parte da estrutura.

O rei louco e seu castelo de contos de fadas: Neuschwanstein

Projeto inicial do Castelo de Neuschwanstein, num guache de Christian Jank, 1869

Atualmente está quase esquecido que Luís II foi um patrono das invenções modernas e um precursor da introdução da eletricidade na vida pública da Baviera. Os seus novos castelos foram os primeiros a usar eletricidade (por exemplo a Gruta de Vénus de Linderhof) e outros equipamentos modernos. Através das suas atividades de construção, Luís II manteve vivos o conhecimento e a perícia de muitas artes particulares particular que de outra forma teriam morrido, providenciando trabalho e rendimento a um largo número de artesãos, construtores, estucadores e decoradores, entre outros.

Os programas de construção de Ludwig eram caros. Embora nunca tenha usado dinheiro público para os castelos, ele se endividou profundamente, abrindo continuamente linhas de crédito. Em 1886, ele estava com mais de 14 milhões de marcos em dívida e seu próprio gabinete recusou-se a conceder-lhe mais crédito.

O rei louco e seu castelo de contos de fadas: Neuschwanstein

Sala do Trono. Fonte: (Wikimedia Commons)

O Castelo de Neuschwanstein estava próximo da conclusão quando, em 1886, o Rei foi declarado insano pela Comissão de Estado liderada pelo Dr. von Gudden, e aprisionado no castelo. O Rei dificilmente se podia controlar quando perguntou ao Dr. von Gudden, “Como pode declarar-me insano? Ainda não me examinou!”.

O governo da Baviera, indignado com seus hábitos de consumo, excentricidades e sua sexualidade, uniu-se ao tio do rei, Luitpold. Em 11 de junho de 1886, o rei Ludwig II foi deposto e declarado “Louco”. Dois dias depois, foi levado para Berg, e encontrado, no dia 13 de junho de 1886, afogado em águas superficiais do Lago Starnberger, juntamente com von Gudden, o psiquiatra que o certificou. As circunstancias exatas da sua morte permanecem inexplicadas. O rei passou apenas onze noites em seu castelo de fantasia. Embora muitas vezes seja chamado de Ludwig, o Louco, um epíteto mais gentil e provavelmente mais verdadeiro para ele é Ludwig, o Rei dos Contos de Fadas.

A concepção do edifício foi esboçada por Luís II da Baviera numa carta a Richard Wagner, datada de 31 de maio de 1868; “É minha intenção reconstruir a ruína do velho castelo em Hohenschwangau, próximo do Desfiladeiro de Pollat, no verdadeiro espírito dos velhos castelos dos cavaleiros alemães (…) a localização é a mais bela que alguém pode encontrar, sagrada e inacessível, um templo digno para o divino amigo que trouxe a salvação e a verdadeira bênção ao mundo.”

A primeira pedra do edifício foi colocada no dia 5 de setembro de 1869. O Neuschwanstein foi desenhado por Christian Jank, um desenhador de cenários teatrais, em vez de um arquitecto, o que mostra muito das intenções de Luís II, e explica grande parte da natureza fantástica do edifício resultante. A perícia arquitetônica, vital para um edifício colocado num lugar tão periclitante, foi providenciada inicialmente pelo arquitecto da Corte de Munique, Eduard Riedel, e mais tarde por Georg Dollman e Leo von Klenze.

O rei louco e seu castelo de contos de fadas: Neuschwanstein

O Salão dos Cantores. Fonte: (Wikimedia Commons)

O castelo foi originalmente chamado de “Novo Castelo Hohenschwangau” até à morte do Rei, quando foi renomeado como Neuschwanstein, o Castelo do Cavaleiro Cisne, Lohengrin, da ópera de Wagner do mesmo nome. Originalmente, o castelo havia sido Schwanstein, a sede dos cavaleiros de Schwangau, cujo emblema era o cisne.

Embora Ludwig nunca tivesse pretendido que o castelo fosse aberto aos visitantes, seu tio Luitpold, agora o rei, pensou de forma diferente e o abriu ao público pagante. Tornou-se uma das maiores fontes de receita dos reis da Baviera. O castelo permaneceu assim e, eventualmente, foi assumido pelo governo após a Primeira Guerra Mundial.

O rei louco e seu castelo de contos de fadas: Neuschwanstein

A Gruta. Fonte: (Wikimedia Commons)

Durante a Segunda Guerra Mundial, Neuschwanstein foi usado como um depósito de arte roubada levada pelos nazistas e quase foi explodida por eles para esconder os crimes. No entanto, ele foi poupado da destruição e sua popularidade aumentou. Ele inspirou o castelo em “A Bela Adormecida” de Walt Disney. É um ícone para a imaginação popular do mundo dos contos de fadas.

Hoje, o Castelo de Neuschwanstein recebe cerca de 1,5 milhão de visitantes por ano. Desde 2015, está na lista provisória como patrimônio mundial da UNESCO.

O rei louco e seu castelo de contos de fadas: Neuschwanstein

O castelo em construção. Fonte: (Wikipedia)

O rei louco e seu castelo de contos de fadas: Neuschwanstein

Richard Wagner por volta de 1860. Fonte: (Wikimedia Commons)

O rei louco e seu castelo de contos de fadas: Neuschwanstein

Ludwig II após sua coroação. Fonte: (Wikipedia)

Fontes: 1 2

Postagens por esse mundo afora

Visualização desde 2014: 145 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo! O que achou do artigo??
  • Ótimo
  • Bom
  • Indiferente
  • Poderia ser melhor
Ajude a melhorar o conteúdo do site. Deixe um comentário

Sobre o Autor

Curioso desde sempre, queria um lugar para guardar às curiosidades de lugares e histórias inusitadas que lia em livros ou pela internet e assim nasceu o site Magnus Mundi em 2015. Me chamo Julio Cesar, sou natural de Blumenau e morador de Porto Belo, litoral de Santa Catarina.

Você pode gostar de ver isso

Faça um comentário

Seu email não será publicado