Arquitetura

Stepwells, os poços em degraus da Índia

Stepwells, os poços em degraus da Índia

Espalhados pela vasta arquitetura antiga da Índia, que incluem templos, mesquitas e palácios, há uma relíquia frequentemente negligenciada da infraestruturas históricas chamadas “stepwells” (poços em degraus). Esses prédios subterrâneos, antes numerados aos milhares, foram originalmente escavados para que os moradores pudessem acessar facilmente a água. Com o passar do tempo, os poços em degraus tornaram-se cada vez mais elaborados em sua construção, transformando-se de modestos buracos em forma de rocha em templos hindus totalmente funcionais, com colunas ornamentadas, escadarias e santuários.

O poço Chand Baori, na aldeia de Abhaneri, no leste de Rajastão é um dos mais antigos stepwells e considerado um dos maiores do mundo. Chand Baori parece com qualquer coisa, menos com um poço. Esta incrível estrutura quadrada tem treze andares de profundidade, e alinhada ao longo das paredes, em três lados, há dupla escadaria. São 3.500 degraus estreitos, dispostos em perfeita simetria que descem até o fundo do poço, a vinte metros de profundidade.

Construído durante o 8º e 9º século pelo rei Chanda (Chandra) da dinastia de Nikumbha, forneceu para as áreas circundantes, uma fonte de água confiável durante séculos, antes dos sistemas modernos de distribuição de água serem introduzidos. Atualmente, a água verde e escura na base atesta que o poço não está mais em uso, mas faz uma parada interessante para um estrutura arquitetonicamente impressionante que tem mais de 1.000 anos. Há um templo ao lado do poço para os visitantes explorarem.

Os poços em degraus, também chamados de bawdi, baoli, bavari, baudi ou baori, nomenclaturas que variam dependendo do local, são construções exclusivas da Índia. A complexidade geométrica do poço, infinitamente aparente, feita de degraus em degraus, garantiu que as pessoas tivessem acesso à água em qualquer época do ano e de todos os lados.  As razões por trás da construção de algo tão elaborado não são totalmente claras. Alguns acreditam que eram usados apenas como um local de coleta de água, outros já supõem que aja algum significado espiritual nas construções. Rajastão é um lugar seco, e portanto, cada gota de água é preciosa.

Stepwells, os poços em degraus da Índia

Crédito da foto

A boca grande do poço funcionava como um funil de captação de chuva que contribuía para a infiltração de água da rocha porosa no fundo. Além de conservar a água, Chand Baori também se tornou um ponto de encontro da comunidade para os os moradores de Abhaneri. Os moradores da cidade costumavam sentar-se nas escadarias e se refrescar durante os dias de verão. Na parte inferior do poço, o ar é sempre cerca de 5-6 graus mais frio do que no topo.

Os degraus circundam o poço em três lados, enquanto o quarto tem um conjunto de pavilhões construídos um sobre o outro. O lado que tem os pavilhões tem nichos com belas esculturas, incluindo esculturas religiosas. Há até mesmo uma residência real com quartos para o rei e a rainha e um palco para artes cênicas.  Chand Baori foi destaque no filme The Fall (Dublê de Anjo ou Um Sonho Encantado), filme americano de 2006, do diretor Tarsem Singh e também uma pequena aparição no filme de Christopher Nolan, Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge (The Dark Knight Rises) de 2012. O poço é agora um tesouro gerido pelo Inquérito Arqueológico da Índia.

Fontes: 1 2 3

Postagens por esse mundo afora

Visualização: 357 vezes

Obrigado por avaliar. Divulgue nas redes sociais, o que achou! .
Ajude a melhorar nosso conteúdo, informando o que sentiu ao ler este artigo?
  • Fascinado
  • Contente
  • Entediado
  • Indiferente
  • Decepcionado

Faça nosso trabalho valer a pena. Deixe seu comentário!

Clique para adicionar um comentário

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Arquitetura

Me chamo Júlio César e moro em Porto Belo/SC. Sou o idealizador do site Magnus Mundi, um site sobre lugares curiosos, estranhos ou inóspitos pelo mundo afora, bem como histórias inusitadas de pessoas, lendas, eventos e outros assuntos interessantes.

Veja mais em Arquitetura

Kayabuki no Sato, a pequena vila e seu sistema anti-incêndio

Magnus Mundi15 de abril de 2019

Cragside, a primeira casa do mundo a ter energia elétrica

Magnus Mundi7 de abril de 2019

Jal Mahal, o palácio da água da Índia

Magnus Mundi22 de março de 2019

O relógio ao contrário da Bolívia

Magnus Mundi24 de fevereiro de 2019

As janelas de bruxa de Vermont

Magnus Mundi23 de fevereiro de 2019

Fadiouth, a ilha feita de conchas

Magnus Mundi21 de fevereiro de 2019

Burj Al Babas, a cidade dos castelos abandonados

Magnus Mundi27 de janeiro de 2019

Liebian Building, a cachoeira construída num edifício

Magnus Mundi12 de dezembro de 2018

Castelo de Čachtice, o castelo da condessa sanguinária

Magnus Mundi1 de dezembro de 2018

Magnus Mundi é uma revista digital que tem seu conteúdo voltado para lugares, eventos, artes e histórias inusitadas pelo mundo afora

Copyright © 2015 · OceanSite · Desenvolvimento de website e aplicativos para mobiles

Scroll Up